27 de nov de 2009

BMW vende equipe para Peter Sauber

A BMW cancelou o projeto de venda para a Qadbak Investments e fechou um novo contrato com a Peter Sauber para salvar a equipe. "Ontem, a BMW AG chegou a um acordo com Peter Sauber sobre a venda da BMW Sauber F1 Team", disse comunicado oficial da BMW. "O contrato está sujeito à condição de que a equipe esteja no grid para a temporada 2010". A equipe está baseada em Hinwil, na Suíça. O número de funcionários será reduzido de 388 para cerca de 250. A BMW adquiriu uma participação majoritária na Sauber em 2005.
Redação Sport Marketing

Volkswagen pensa em F1 e se afirma no futebol

A montadora alemã Volkswagen poderá fornecer motores às equipes de F-1 a partir de 2012. No movimento inverso das três montadoras [Honda, BMW e Toyota] que deixaram a categoria, além da possibilidade da Renault, o Grupo Volkswagen acredita que o esporte se tornará mais atrativo depois da introdução do novo regulamento. A empresa não pretende patrocinar nenhuma equipe, mas sim fornecer propulsores."Se você é a maior montadora do mundo, é natural que pense em entrar na F-1, mas não antes de 2012", disse Stuck ao site da revista inglesa "Autosport". "Estamos procurando coisas inovadoras, e a F-1 é o ponto máximo do esporte a motor. Há dois anos, houve algumas conversas de que a Volkswagen compraria a Red Bull, o que não precisamos fazer. Por que nos dedicaríamos a um se podemos fornecer motores a vários times?" A Volkswagen oficializou o patrocínio da seleção brasileira de futebol até 2014 e a aplicação de R$ 6,2 bilhões nas fábricas e no lançamento de novos produtos e tecnologias entre 2010 e 2014 no Brasil. O montante é o maior de toda a história da fabricante. Com o patrocínio, a montadora vai poder usar a marca da instituição futebolística e desenvolver atividades promocionais. Além disso, o ônibus que transportará a equipe nos jogos e treinos no País será da empresa. O valor que será direcionado ao time não foi declarado. Um fator que influenciou a parceria é o fato de o nome do Gol, o carro mais vendido do Brasil, ter alusão direta ao futebol. De acordo com Flavio Padovan, vice-presidente de Vendas e Marketing da montadora, “existe uma sinergia muito grande entre a Volkswagen e a Seleção, pois ambos expressam valores muito importantes para o brasileiro, como confiabilidade, amizade, paixão e proximidade ao público”. Na Alemanha, a Volkswagen é dona da equipe de sua cidade-sede, o Wolfsburg, atual campeão alemão, onde joga o atacante Grafite, que atuou pelo São Paulo Futebol Clube.

Redação Sport Marketing

Dono da Stefan Grand Prix pode comprar a Toyota

O russo Zoran Stefanovic, dono da Stefan Grand Prix, está interessado no espólio da Toyota. A informação é do jornalista inglês Joe Saward, que noticia no blog que a montadora nipônica pode ser vendida ao time russo Stefan Grand Prix que teve a inscrição recusada pela FIA no meio deste ano, quando foram criadas mais três vagas e abertas as inscrições para 2010. Ainda segundo Saward, a Toyota não interrompeu o desenvolvimento do carro do próximo ano, para vender o projeto pronto aos russos.
Redação Sport Marketing

Governo assume exames antidoping

A Agência Mundial Antidoping (Wada) não descarta a possibilidade de o Laboratório de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico (Ladetec), na Ilha do Fundão, no Rio de Janeiro, o único credenciado no Brasil, perder pela o aval da entidade. Um dos motivos alegados seria burocracia, uma vez que a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) atrasa ou impede a entrada de material biológico ou de amostras vindas do exterior necessários para as análises em laboratório. A informação foi passada pelo médico Eduardo de Rose, membro do do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e da WADA. "Do que o laboratório precisa? Precisa importar muito reagente, incluindo cocaína, para detectar doping. Experimenta importar 1 miligrama de cocaína? Não vai conseguir". O médico explicou que, a cada três meses, o Ladetec é testado - recebe dez amostras enviadas pela WADA e precisa ter 100% de aproveitamento para se manter no primeiro nível de qualificação da agência. "Só que, quando a amostra vem, ela fica trancada na alfândega, na Anvisa. Uma semana depois é liberada, mas está estragada. E o laboratório erra o resultado e tem de explicar o motivo disso. É uma situação muito ingrata". As mudanças no sistema de exames foram anunciadas. O laboratório passa agora a ser controlado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e receberá verbas governamentais. "Sempre defendi que essa questão de combate ao doping fosse liderada pelo governo federal, como acontece em outros modelos", explicou Eduardo de Rose. "Com isso, os custos dos exames realizados pelo Ladetec deverão cair, já que o laboratório deverá passar a ser subsidiado através da UFRJ", complementou. A transferência de responsabilidade faz parte da transformação da Agência Brasileira Antidoping (ABA), criada pelo Comitê Olímpico Brasileiro, em Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), controlada pelo governo federal, por intermédio do Ministério do Esporte.
Redação Sport Marketing

Topper entra no campo do Atlético

O Grupo Alpargatas está negociando com o Atlético Mineiro. De acordo com o presidente, Alexandre Kalil, ratificou, a partir de 2010, a empresa passará a fornecer o material esportivo para o clube. A marca Topper vai assinar a coleção de uniformes, em substituição à Lotto. Os valores e as bases da negociação ainda não foram revelados.
Redação Sport Marketing

Jacques Rogge recebe prêmio em Portugal

O belga Jacques Rogge, presidente do IOC - International Olympic Committee - Comitê Olímpico Internacional (COI), foi agraciado com o doutoramento honoris causa da Faculdade de Desporto do Porto. "Este é um título para todo o movimento olímpico e não o entendo como um título pessoal. De qualquer forma, é uma grande honra, já que a Universidade do Porto tem muito prestígio a nível mundial", disse Jacques Rogge, que está em Portugal, onde irá participar de um jantar de gala comemorativo ao centenário do Comitê Olímpico de Portugal, marcado para esta sexta-feira.
Redação Sport Marketing

David Beckham pode perder dois milhões de dólares

David Beckham pode ter um prejuízo de pelo menos dois milhões de dólares. O jogador inglês comprou uma mansão no empreendimento de luxo Palm Jumeirah, em Dubai, mas a empresa de investimentos estatal, a Dubai World, e a subsidiária do setor imobiliário, Nakheel, pediram seis meses de moratória para o pagamento de dívidas que chegam a 59 bilhões de dólares. A crise no país pode fazer com que o condomínio Palm Jumeirah sequer seja finalizado. Michael Owen, David James, Joe Cole e Andy Cole também compraram casas em Palm Jumeirah que fica em uma ilha artificial construída em Dubai.
Redação Sport Marketing