28 de jan de 2009

Medalhista olímpica da Vela procura patrocínio

A velejadora Fernanda Oliveira. medalha de bronze na classe 470 nos Jogos Olímpicos de Beijing
sofre com a falta de patrocínio. Fernanda e Isabel Swan, dupla que protagonizou um momento histórico na vela brasileira, as mulheres subiram ao ponto mais alto da modalidade que mais alegrias deu ao Brasil em Jogos Olímpicos, decidiram desfazer a parceria. Isabel foi competir sozinha na classe Laser, ao passo que Fernanda uniu-se à jovem Ana Barbacham, de 19 anos, para dar início a um novo ciclo olímpico. Nesta nova fase, Fernanda espera arrumar novos apoiadores rapidamente para poder contar com dinheiro suficiente para manter a estrutura apropriada para a busca da segunda medalha olímpica.

Redação Sport Marketing

FIFA em visita de inspeção no Brasil

O presidente da FIFA Joseph Blatter está em São Paulo para acompanhar os trabalhos que visam a realização da Copa do Mundo de 2014. Ele almoçou no Palácio dos Bandeirantes com o governador José Serra e personalidades como Pelé. No roteiro de visitações, Blatter visitará o Museu do Futebol, no Estádio do Pacaembu. O governador José Serra disse que está "praticamente certo" que São Paulo sediará a abertura da Copa do Mundo em 2014. "Está praticamente certo que São Paulo sediará a abertura da Copa, e a gente sente isso pelas apreciações que ouvimos. A proposta de São Paulo foi muito elogiada" - disse Serra, depois do encontro que teve ainda a presença do presidente da CBF, Ricardo teixeira, do ex-jogador Pelé e do governador do Amazonas, Eduardo Braga. Blatter fez elogios ao país e à infraestrutura do estado de São Paulo e que a crise econômica mundial não deve afetar os jogos. "O que precisamos mesmo é das emoções com o futebol" - disse. Joseph Blatter, confirmou que a Copa do Mundo do Brasil, em 2014, terá jogos em 12 cidades, como desejava a CBF.

Redação Sport Marketing

Governo bloqueia verba do Ministério do Esporte

O governo federal anunciou um bloqueio provisório de R$ 37,2 bilhões no orçamento de custeio e investimentos de 2009. Os cortes atingem apenas as verbas do Executivo e valem até o fim de março, quando o governo já conhecerá a arrecadação do primeiro bimestre e poderá definir o valor exato do contingenciamento, incluindo a limitação de gastos dos demais poderes. O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, admitiu que a decisão de adiar o decreto decorre principalmente das incertezas da equipe econômica sobre os efeitos da crise internacional na arrecadação. Na prática, os gastos sofreram um corte quase cirúrgico, com a tesoura pesando mais sobre os ministérios cujo orçamento foi inflado pelas emendas parlamentares. A pasta de Turismo, por exemplo, teve 95,7% do orçamento bloqueado até março. Dos R$ 3 bilhões aprovados pelo Congresso, o ministério só poderá usar R$ 129 milhões nos próximos dois meses. O orçamento do Ministério do Esporte perdeu 94,5%. Os menores cortes ocorreram na Saúde, Educação, Ciência e Tecnologia e Desenvolvimento Social, todos abaixo de 10%. Esses ministérios deverão ser beneficiados com remanejamento de verbas para recompor o corte que o Congresso fez em programas governamentais para atender às obras e projetos propostos pelos parlamentares.

Redação Sport Marketing

Associação Comercial investirá R$ 110 mil por Copa 2014

A ACICG (Associação Comercial e Industrial de Campo Grande) investirá R$ 110.100,00 em uma campanha para contagiar a população campo-grandense em prol da escolha da cidade como sub-sede da Copa do Mundo de 2014. Tudo está sendo preparado para a recepção do Comitê Organizador da Copa da Mundo da FIFA no próximo dia 3. Com o slogan, “O comércio está com a bola toda rumo a Copa de 2014”, a associação comercial promete encher as ruas de Campo Grande com adesivos, leques, camisetas, bonés e outdoor. A idéia é demonstrar que a iniciativa privada apóia a vinda do evento a Campo Grande. “Será um marketing de guerrilha”- disse o dirigente que parece não entnder muito o significado do que disse em termos de marketing.

Redação Sport Marketing

Crise alcança Moto GP

Continuam a surgir más notícias para o Moto GP. A crise financeira mundial segue assustando patrocinadores. Agora, a Rizla, patrocinador principal da Suzuki pode deixar a categoria. A imprensa italiana adiantou que a decisão da marca de papel de enrolar tabaco será definitiva, o que representa a perda de 3,5 milhões de euros/ano, e que deverá levar à desistência da marca japonesa, que tem um orçamento estipulado em 10 milhões de euros/ano. Quem também deverá abandonar a competição será a Kawasaki, que já havia anunciado a retirada, mas o aparecimento de uma equipa privada ainda dava esperanças. No entanto os testes que estão sendo efetuados não têm agradado muito aos responsáveis.

Redação Sport Marketing

Indonésia interessada em sediar Copas do Mundo

A Indonésia apresentou proposta de candidatura a sede das Copas do Mundo de 2018 ou 2022. Inglaterra, Japão, Catar, Rússia e a parceria Portugal e Espanha são os outros candidatos já oficializados para a disputa, que será definida apenas em 2010. De todos os candidatos, incluindo países que já mostraram interesse mas ainda não formalizaram candidatura, como a dupla Bélgica-Holanda, Austrália, Mexico e Estados Unidos, a Indonésia é o país com menos tradição no futebol. A seleção ficou em 144º lugar no último ranking da FIFA e já está fora da briga por vaga na Copa de 2010, na África do Sul. Mesmo assim, o país atende ao principal requisito para sediar uma Copa do Mundo, um estádio novinho em folha com capacidade para 88 mil torcedores, que sediou em 2007 a final da Copa da Ásia.
Redação Sport Marketing

Emissora de tv alemã critica COI

A emissora de tv alemã ARD criticou o International Olympic Committee - Comitê Olímpico Internacional (COI) por ter aumentado os valores dos contratos de transmissão dos Jogos Olímpicos de 2014 e 2016. As críticas surgem depois do COI ter rejeitado a oferta da European Broadcasting Union (EBU) pelos direitos televisivos dos próximos Jogos de inverno e verão."As ideias do COI em termos de valor comercial dos direitos televisivos são exageradas" - declarou Volker Herres, diretor de programas da ARD ao jornal "Handelsblatt". O COI justificou a posição com fato de poder obter mais dinheiro se estabelecer contratos separados com cada país. Sky Italia e Fox Turquia, canais pagos que são de Rupert Murdoch, já pagaram pelos direitos dos eventos para os respectivos países.

Redação Sport Marketing