24 de jan de 2009

Árabes de olho no Chelsea

Aumentam os boatos que o Chelsea pode ser comprado a qualquer momento. De acordo com o site “Arabian Business”, Abu Dhabi United Group (ADUG), o mesmo que articulou a compra do Manchester City pelo grupo de investimento árabe, poderá ser o futuro dono do Chelsea. O milionário Dr Sulaiman al-Fahim está disposto a fazer uma proposta ao russo Roman Abramovich para assumir o controle do time. Segundo o “Arabian Business”, Sulaiman, que preside a empresa Hydra Properties, está fazendo uma parceria com a alemã Falcon Equity para comprar o Chelsea. Nas últimas semanas, a imprensa inglesa noticiou que Abramovich estava nos Emirados Árabes atrás de compradores para os Blues."Nós olhamos alguns clubes europeus antes, para saber valores, e agora estamos fazendo o mesmo com o Chelsea. Mas não posso dar mais detalhes agora. Não acredito que alguma coisa não esteja à venda se você chegar com o preço certo. Não se trata de tentar comprar um time de futebol, mas de um negócio" – – disse Holger Heims, presidente da Falcon Equity ao site árabe.

Redação Sport Marketing

Associação Europeia de Clubes prega mudanças nos negócios do futebol

A recém-criada Associação Europeia de Clubes (ECA) já iniciou conversas preliminares com a UEFA, visando a delimitação de um teto orçamental para a transferência de jogadores e salários. De acordo com fontes contactadas pela Agência Reuters, os montantes envolvidos na proposta do Manchester City por Kaká (cerca de 110 milhões de euros), são impossíveis a longo prazo. "As conversas estão numa fase preliminar, mas existe a perspectiva de que um clube não pode suportar esta situação a longo prazo" - disse um dos integrantes da Associação Europeia de Clubes. A ECA ocupa o espaço do extinto G-14 e conta com 16 membros fundadores, incluindo Manchester United, Real Madrid, AC Milan e o próprio F.C. Porto. Contactado pela Reuters, um oficial da UEFA confirmou as conversações com a Associação Europeia de Clubes. A FIFA, a UEFA e a União Europeia já demonstraram preocupação pela crescente entrada de capital extra-europeu no Velho Continente, especialmente em Inglaterra. A União Europeia, aliás, pondera avançar com medidas concretas se os organismos desportivos não agirem.

Redação Sport Marketing

Mineradora Rio Tinto volta a apostar no patrocínio esportivo

Após suspender o patrocínio do Corumbaense, a mineradora Rio Tinto voltou atrás e manteve o contrato com o clube, que agora poderá disputar o Campeonato Estadual. Tudo isso há uma semana do inicio da competição. A notícia foi repassada aos atletas e imprensa na tarde pelo presidente do Clube, Joelson Dib, em conjunto com o Deputado Estadual Paulo Duarte, que intermediou a negociação, do Secretário Municipal de Finanças, Daniel Martins Costa, o presidente da Funec, Heliney Miranda, e representantes de dois patrocinadores, a Coordenadora de Comunicação da Rio Tinto, Letícia Franco e o Gerente Regional da Andorinha, Geisiel Rodrigues Santos. O valores da negociação não foram divulgados, mas deverá cobrir gastos como medicamentos, hospedagem aos jogadores e uniformes.

Redação Sport Marketing

Sercomtel segue patrocínio com o Londrina

A Sercomtel segue patrocínio com o Londrina Esporte Clube – LEC na primeira fase do Campeonato Paranaense de Futebol. A operadora londrinense irá repassar ao clube R$ 40 mil mensais. De acordo com o presidente da Sercomtel, Mário Jorge Tavares, o patrocínio está garantido apenas durante a primeira fase do campeonato, cujo último jogo está programado para 25 de março. “Lembramos que a diretoria atual da Sercomtel é interina, portanto, não pode tomar decisões de longo prazo ou que comprometam as prioridades, o orçamento e ações dos novos dirigentes”- explicou. “A diretoria da Sercomtel considerou importante a manutenção dessa parceria, que vem desde 2004, como uma forma de estimular o esporte local e regional, já que o LEC é um dos principais clubes da região” - disse o vice-presidente da Sercomtel, Oscar Bordin. O LEC assume com a Sercomtel o compromisso de gerar exposição na mídia espontânea e direcionada, através de espaço publicitário no uniforme dos jogadores, no estádio onde serão realizados os jogos, entre outros. “Estamos ajudando o LEC e, em contrapartida, o clube abre várias oportunidades para a realização de ações mercadológicas e consolidação da marca Sercomtel, que já é bastante forte em Londrina e na região” - finalizou o diretor de Marketing da Sercomtel, Eduardo Yokomizo.

Redação Sport Marketing

Seguros Aliança do Brasil patrocina corrida em São Paulo

A Companhia de Seguros Aliança do Brasil, empresa do Banco do Brasil, é co-patrocinadora da corrida de comemoração do 455º aniversário de São Paulo, que acontece no próximo dia 25. A seguradora participa com o Seguro Ouro Vida, cuja logomarca estará exposta em todos os materiais de divulgação do XII Troféu Cidade de São Paulo Carrefour Viver 10km, inclusive nas camisetas, fichas de inscrição e placas de identificação dos participantes. Destinado a uma ampla faixa etária (de 16 anos completos a 65 anos incompletos), o Seguro Ouro Vida possui várias coberturas como morte natural ou acidental, indenização, invalidez permanente ou total e doença terminal. Disponibiliza também inúmeras vantagens de assistência 24 horas.

Redação Sport Marketing

Sai AIG entra Saudi Telecom na camisa do Manchester United

O Manchester United assinou novo contrato de patrocínio. O novo parceiro do clube inglês é a Saudi Telecom, empresa árabe de telecomunicações. O acordo renderá € 26,5 milhões (cerca de R$ 80 milhões) por ano, aos "Diabos Vermelhos" e terá inicio a partir da temporada de 2010/2011, com duração de cinco anos. A Saudi Telecom vai entrar no lugar da AIG, que ainda ficará estampando as camisas do Manchester até o término da temporada 2009/2010. Com um alto valor, o Manchester é o time mais bem pago por uma empresa e ainda por cima ampliou a vantagem para o segundo colocado Schalke 04 (€ 20,8 milhões), Bayern de Munique (€ 17 milhões) e Chelsea (€ 14,8 milhões).

Redação Sport Marketing

McLaren perde patrocínio

A Schuco anunciou que não vai renovar o patrocínio com a McLaren. De acordo com o jornal "Neue Westfalische", a empresa de sistemas de energia solar estava ligada à equipe de Woking desde 1999. O logo da Schuco era estampado nos macacões e asas traseiras dos carros do time inglês. "A F-1 foi muito boa para nós"- disse o porta-voz da empresa, Thomas Lauritzen, que negou que a crise econômica mundial seja o motivo para o fim da parceria com a McLaren.

Redação Sport Marketing