18 de nov de 2009

Ministro do Esporte faz pressão para aumentar orçamento

O ministro do Esporte, Orlando Silva, faz pressão para que a pasta tenha um orçamento maior para 2010. Acompanhado de vários atletas, o ministro esteve no Congresso, onde conversou com o relator da Lei Orçamentária Anual (LOA) do próximo ano, deputado Geraldo Magela (PT-DF), com os presidentes da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), e do Senado, José Sarney (PMDB-AP). "Pedimos a ampliação dos investimentos no esporte brasileiro. O Ministério do Esporte não pode continuar como menor orçamento da Esplanada dos Ministérios", afirmou Silva. O orçamento do ministério para 2009 é de R$ 1,4 bilhão. Para o próximo ano, a Comissão de Orçamento aprovou o aumento das emendas individuais dos atuais R$ 10 milhões para R$ 12,5 milhões por deputado e senador. Há seis meses, está parado dentro do Ministério da Fazenda um projeto vital para a organização da Copa do Mundo. Dentro do cadernos de encargos da Fifa, entidade que rege o esporte mundialmente, está a exigência de conceder isenção tributária para ela e seus parceiros. Apesar de conceder isenção total à Fifa, Silva descartou outros tipos de benefícios, como nas reformas dos estádios. Tramita na Câmara um projeto, de autoria do deputado Beto Albuquerque (PSB-RS), que concede isenção fiscal às empresas e aos clubes que construírem ou readequarem suas praças esportivas."Não está na perspectiva do governo zerar a alíquota da construção dos estádios. Até mesmo porque, com as medidas anticrise, as alíquotas foram praticamente zeradas. Seria preciso uma engenharia muito complicada para fazer isso", disse Silva, destacando que os estados e municípios podem conceder renúncia de ICMS e ISS.
Redação Sport Marketing