19 de jun de 2009

F1 em crise pode perder dois bilhões de dólares

Caso as oito equipes de F1 abandonem a categoria, a debandada representará a perda de um investimento anual de dois bilhões de dólares (1,4 bilhões de euros) na competição. BMW-Sauber, Brawn, Ferrari, McLaren, Renault, Red Bull, Toro Rosso e Toyota representam cerca de 47% das receitas da F1, incluindo patrocínios, os acordos com os fornecedores e a contribuição das equipes. O relatório da Formula Money, empresa que monitoriza a indústria automóvel, citado pela Reuters, afirma também que a F1 pode sofrer sérias consequências de efeitos imediato caso a saída destas equipes se concretize. “Isto pode tornar mais difícil os promotores das corridas pagarem as rendas dos circuitos, em média 23,7 milhões de dólares (16,9 milhões de euros).” As televisões poderão também não estar dispostas a pagar os altos valores de direitos de transmissão por um campeonato sem as principais equipes. “Estas equipes também gastam grandes montantes em alojamento e publicidade nas pistas. Por isso, a partida terá outros impactos nas receitas”, aponta o mesmo relatório. A Fórmula Money estima que a competição necessite de 550 milhões de dólares anuais (394 milhões de euros) para cobrir os custos.
Redação Sport Marketing