25 de mai de 2009

Mercado: cocaína na fórmula da Red Bull Cola mancha marca na Alemanha

A marca de refrigerante Red Bull Cola pode ser banida da Alemanha. A empresa que investe forte em marketing esportivo está sendo acusada utilizar cocaína na fórmula do refrigerante. Segundo informações da imprensa europeia, as autoridades do estado de Hesse e de Nordrhein-Westfalen ordenaram que os lojistas retirem a bebida das prateleiras e que parem de vender. As autoridades alemãs afirmam que os níveis de cocaína não colocam a saúde em risco. Cinco estados alemães já proibiram a venda do refrigerante. O porta-voz da região Nordrhein-Westfalen disse ainda que espera que os outros Estados do país sigam as mesmas orientações e que não permitam a bebida. A Red Bull contesta a afirmação e diz que os extratos de cocaína são usados em alimentos em todo o mundo para dar sabor. A empresa adianta ainda que outros alimentos que contêm extratos de cocaína são considerados seguros na união Europeia e nos Estados Unidos da América. A concentração de cocaína encontrada foi de 0,4 microgramas de cocaína por litro, considerada pequena."O instituto examinou Red Bull em um processo químico minucioso e realmente encontrou traços de cocaína"- confirmou o diretor do departamento de segurança alimentar do ministério alemão para Defesa do Consumidor, Bernhard Kühnle. "A quantidade é absolutamente irrelevante"- reconheceu Wilhelm Deitermann, porta-voz da Secretaria de Saúde do estado de Renânia do Norte-Vestfália. "Não é possível tomar tanto, a ponto de a bebida fazer mal"- esclareceu. Entretanto, a substância é proibida por lei. "Nossa opinião é que o produto é plenamente comercializável"- garantiu à imprensa alemã Frank Farnsteiner, representante da Red Bull na Alemanha. A bebida Red Bull Cola está no mercado alemão desde o ano passado.
Redação Sport Marketing