6 de mai de 2009

Madrid 2016 nega espionagem

O Comitê Organizador da candidatura de Madri a sede dos Jogos Olímpicos de 2016 negou a intenção de espionar a visita dos inspetores do IOC - International Olympic Committee - Comitê Olímpico Internacional (COI) ao Rio de Janeiro, na semana passada."Não queríamos espionar nada, nem descobrir nenhum segredo, apenas saber como dar um tratamento adequado à imprensa" - afirmou o chefe de imprensa da campanha espanhola, Malcolm Munro. O caso teve início a partir da permissão de credenciamento do britânico Simon Walsh como 'freelancer' da agência EFE, para cobrir a visita de inspeção dos membros do COI no Brasil. A Textual, assessoria de imprensa do Comitê Olímpico Brasileiro, responsável pelo credenciamento dos eventos do COB e pela equipe contratada para prestar serviços para o Rio2016, não checou a veracidade dos dados do suposto jornalista, que foi credenciado como imprensa. O 'gaiato' Simon só foi descoberto como prestador de serviço do Comitê Madrid 2016 no último dia da visitação dos membros do COI, quando a credencial foi confiscada. "As coisas aumentaram e ficaram fora da proporção"- afirmou Munro, admitindo que a campanha espanhola deveria ter agido de forma transparente e afirmando ainda que a vistoria da capital espanhola está aberta a representantes das demais campanhas. Os membros do COI estão em Madri e pretendem permanecer até o próximo domingo.
Redação Sport Marketing