12 de mai de 2009

FIFA ganha ação contra marketing de emboscada

A FIFA ganhou processo judicial contra uma taberna de Pretória que exibia a expressão "Copa do Mundo 2010" em várias línguas. A firma de advocacia que trabalha com a FIFA disse que o Supremo Tribunal de Justiça de Pretória deu causa ganha à entidade máxima do futebol no processo contra a Eastwoods Tavern, acusada de marketing de emboscada. "Isso envia um sinal claro que qualquer outra organização que pretenda fazer marketing de emboscada irá sofrer as consequências" - disse Owen Dean, sócio da firma de advocacia de propriedade intelectual Spoor and Fisher. "A FIFA tem equipe e todos os meios necessários para impedir o marketing de emboscada" - alertou. A Eastwoods Tavern, localizada próximo ao estádio Loftus, tinha colocado a frase " World Cup 2010 " (Copa do Mundo 2010) abaixo do letreito principal do estabelecimento. ALém disso, o bar também se enfeitou com bandeiras dos países que suspostamente estarão no evento, acrescentando em bordado, o número 2010 e a frase " Dois mil e dez - África do Sul". Dean disse que, uma vez que a sentença foi feita no início deste mês, o pub, conforme ordenado pelo tribunal, já tenha retirado todos os letreiros referentes à Copa do Mundo FIFA. O pub também pagou todos os custos legais da FIFA. "Esta decisão é oportuna, porque estamos próximos da Copa das Confederações, que será um ensaio para a Copa do Mundo 2010"- alertou Dean cuja empresa tem acordo com a FIFA, desde 2004, em um programa de proteção da marca 'Copa do Mundo'. Também estão sob proteção outras marcas como África do Sul 2010, que podem ser utilizados, apenas pelas empresas patrocinadoras FIFA que pagam caro para obter os direitos de publicidade exclusiva e exposição através do torneio. Diminuir a exclusividade dada à patrocinadores pode prejudicar seriamente a FIFA, e não é à toa que o marketing de emboscada é apontado como um câncer do marketing. Para a Copa do Mundo de 2014, no Brasil, a FIFA também já protegeu as marcas, a fim de garantir os direitos dos patrocinadores do evento. Por isso, é bom que os brasileiros se atendem a este detalhe para que não tenham prejuízos com ações legais. O IOC - International Olympic Committee - Comitê Olímpico Internacional (COI) também realiza ações de proteção das marcas, garantindo, assim, os direitos de exclusividade dos patrocinadores que investem no mega-evento.

Leandro Rabello - Correspondente Sport Marketing - Londres