5 de mai de 2009

Clubes da Espanha sofrem com a crise

O presidente do Osasuna Pamplona, um dos times da primeira divisão da Espanha, não está otimista com relação ao futuro dos clubes de futebol. "Os clubes de futebol estão à beira de um colapso financeiro que pode afundar o futebol professional espanhol, caso uma ação não seja tomada para impedir que os clubes caiam ainda mais em dívidas"- disse à agência Reuthers. "Clubes que não possuem vasto poder lucrativo como Real Madrid e Barcelona têm se mantido além dos limites há muito tempo, e o modelo econômico que usam é defeituoso" - acrescentou Francisco Izco. "Houve um grande acordo de excesso na construção dos elencos. Os clubes não monitoraram os gastos e a situação saiu de controle" - ressaltou Izco, que preside o Osasuna desde 2002, preocupado com a atual situação de muitos clubes pequenos enfrentam a perspectiva real de falência e estão lutando para lidar com custos salariais e de transferência no meio de uma das piores recessões que a Espanha já atravessou. O Valência, duas vezes vice-campeão da Liga dos Campeões da UEFA na década passada, já admitiu que pode ter de vender alguns dos melhores jogadores, além de ser obrigada a atrasar o pagamento de salários e travar a construção do novo estádio. A matéria da Reuters destaca que, José María Gay, professor de economia da Universidade de Barcelona, calculou que os 20 clubes da primeira divisão espanhola têm dívida de cerca de 3 bilhões de euros. "O mundo do futebol não está imune à situação econômica geral"- revelou Izco que previu que o impacto da crise financeira será provavelmente mais clar na próxima temporada, quando clubes serão obrigados a entrar em acordo com a diminuir receitas das vendas de ingressos, patrocínios e direitos televisivos. "Temos que ter um período de adaptação às novas condições"- acrescentou. "Os gastos devem ser controlados e alinhados com as receitas."A maioria dos clubes profissionais da Espanha é composta por sociedades anônimas desportivas (SADS), cumprido a Lei do Desporto de 1990. Esta necessidade surgiu da falência de quase todas os clubes, devido aos elevados impostos e custos de gestão. Entretanto, a maioria das SADs, tive dificuldades econômicas. Muitos clubes entraram no sistema de pagamento de dívidas do Governo Espanhol (Lei Concursal) para evitar a falência como: Hercules, Logroñes, Compostela, Oviedo, Las Palmas, Sp. Gijon, e Real Sociedad. Mas alguns times como Osasuna, Real Madrid, Barcelona e Athletic de Bilbao, ainda são clubes, com milhares de membros (sócios), como proprietários, em vez de um pequeno grupo de acionistas. A estas quatro equipes foi imposto que os dirigentes fossem responsabilizados pela gestão. De acordo com o “Diário de Mallorca” os clubes da primeira liga espanhola têm em conjunto uma dívida de 2.086 milhões de euros.

Redação Sport Marketing