14 de mai de 2009

Astana - a uma pedalada do fim

A União Ciclística Internacional (UCI) deu ao time Astana um prazo para resolver problemas financeiros. A equipe tem até o dia 31 de maio para regularizar a situação, caso contrário, poderá haver uma possível suspensão. “Pelo menos nós poderemos terminar o Giro, cuja etapa final acontece também em 31 de maio” - disse Johan Bruyneel, diretor da Astana que precisa de dois milhões de dólares para ressarcir a garantia bancária da UCI, que foi utilizada para pagamento de salários. Bruyneel e Lance Armstrong indicaram, na semana passada, que estão tentando encontrar soluções, incluindo encontrar um novo patrocinador. Eu já disse que tudo o que eu sei sobre o Kazaquistão é a Astana e o Borat. Eu não sei nada mais” - declarou Armstrong ao jornal americano ‘The Guardian’. “Não é meu time, não é meu patrocinador. Eu não tenho nada a dizer sobre isso. É difícil chegar a uma grande corporação e dizer, no meio do ano fiscal: ‘que tal começarmos em 20 ou 30 dias?’ Mas vamos ver” - explicou o heptacampeão do Tour de France. Os contantes casos de doping têm afastado os patrocinadores do ciclismo, assim como o interesse de emissoras em transmitir os eventos.


Redação Sport Marketing