17 de mai de 2009

Animosidades esquentam bastidores da F1

Os radiadores estão fervendo na F1. A temperatura está alta nos bastidores da categoria por causa das novas regras estabelecidas para teto orçamentário voluntário estabelecidas para a próxima temporada. Ferrari, Toyota e Red Bull anunciaram que vão deixar a F1 caso a regra do teto orçamentário permaneça, porém, a escuderia do cavalinho rampante esquentou os ânimos da reunião entre FIA, Associação das Esquipes de F1 (FOTA) e FOM, realizada em Londres, que terminou sem nenhum acordo entre as partes. "Durante a reunião, ficou evidente que a Ferrari entrará com uma ação judicial na França para impedir o que estamos fazendo" - afirmou Max Mosley que afrmou a intenção da federação em não desistir dos planos de limitação no orçamento dos times. "Nós explicamos aos times que não podemos adiar o prazo para a inscrição no Mundial. Afinal, a data já foi publicada. E nós não podemos prejudicar as equipes que desejam entrar no campeonato. Mas estamos preparados para ouvir as equipes.Entretanto, as regras já foram aprovadas e publicadas. Além disso, também dissemos aos times que queremos um mesmo regulamento. Por isso, gostaríamos que todos aceitassem o teto orçamentário. E é uma coisa que as equipes terão de considerar. Não consigo entender por que algumas pessoas se mostram contra o teto, já que isso significaria uma flexibilização progressiva das regras técnicas. No fim, creio que a escolha das equipes ficou entre a liberdade intelectual e a limitação financeira. Mas eles insistem em dizer que, na verdade, a opção ficou entre a liberdade financeira e a limitação intelectual"- disse o dirigente irredutível. As equipes também discutiram sobre o novo Pacto da Concórdia. "Eles perguntaram o sobre o Pacto da Concórdia, e nós respondemos que estaremos preparados, caso exista alguma mudança. E afirmamos que estamos dispostos a assinar um novo acordo por mais cinco anos" - esclareceu."Mas ainda não há nenhum tipo de acordo entre as equipes e Bernie sobre a questão dos direitos comerciais, o que é surpreendente, já que estão discutindo sobre isso há, pelo menos, dois anos" - acrescentou A liminar apresentada pela Ferrari, que visa impedir o regulamento do próximo no ano, será ouvida na próxima terça-feira (19). A equipe italiana entrou com uma ação na Justiça francesa, pois acredita que a FIA tenha infringido uma regra técnica que prevê o veto sobre futuras mudanças no regulamento. O time de Maranello solicitou que a entidade máxima do automobilismo retire do site todas as alterações relativas às regras de 2010."Temos de registrar nossa inscrição entre 22 e 29 de maio, e isso significa aceitar as novas regras, mas esse regulamento não está em conformidade com os compromissos assumidos pela Ferrari. Por isso, não tivemos escolha" - afirmou Emmanuel Gaillard, advogado da equipe.

Redação Sport Marketing