6 de abr de 2009

'Naming Rights' em concessões de espaços nas arenas - nova tendência americana

Os torcedores americanos que vão às arenas de baseball em New York não conseguem fugir das ações de marketing, presentes nos estádios em todas as partes. Com o aumento das franquias e concessões dentro das instações esportivas que empurram as receitas, bares, restaurantes e camarotes carregam o nome de patrocinadores que procuram atingir os consumidores de outras formas que não apenas o tradicional logotipo. Por exemplo, no Yankee Stadium, os fãs podem jantar no Audi Yankees Club ou tomar uma cerveja no Mohegan Sun Sports Bar. No Mets Citi Field, os torcedores podem jantar no Delta Sky360 Lounge ou assistir ao jogo no Pepsi Porch. "As equipes estão transformando cada pedra das arenas em receitas de patrocínio, especialmente neste período dee conomia"- disse Andrew Brandt, co-fundador e presidente do Conselho National Football Post e professor de marketing esportivo da Wharton School, Universidade da Pensilvânia. A Delta, por exemplo, visando reforçar presença em Nova Iorque tem patrocínio em ambos estádios. No Citi Field, o Delta Sky360 Lounge é um espaço com 1.600 assentos. No Yankee Stadium, a marca Delta está em uma praça com 1.200 lugares. Ambos os espaços apresentam o logotipo da empresa e comercializam os produtos, como o programa SkyMiles. "As empresas estão exigindo integração" - disse Robert Tuchman, presidente da Premiere Corporate Events, que trabalha com empresas de hospitalidade e pacotes de comercialização, programas que envolvem os clientes através de eventos esportivos e de entretenimento. "O marketing esportivo já não é apenas colocar um logotipo na arena. As empresas agora desejam ter um espaço dentro das arenas onde possam 'batizar'. Vender direitos de 'naming rights' de espaços especiais nas instalações esportivas é a tendência do momento" - acrescentou Tuchman. Outro exemplo de integração é o acordo da PepsiCo com os Mets, que inclui uma área de 1.284 lugares denominada Pepsi Alpendre. O Yankee Stadium está deixando a Coca-Cola para fechar com a Pepsi como fornecedora exclusiva de bebidas. A Sharp também tem um acordo com os Mets. A equipe comprou mais de 800 aparelhos Sharp de LCD HDTV para colocar em todo o estádio. O patrocínio da companhia de eletroeletrônicos também inclui sinalização rotativa no estádio, um local permanente para o logo no placar e um acordo para patrocinar um programa anti-drogas para os estudantes locais. Embora os números oficiais não sejam disponibilizados, especula-se que a construção do Citi Field tenha custado US$ 850 milhões e, o Yankee Stadium, aproximadamente, US $ 1,6 bilhão. Ambos têm os mais caros assentos. O número de luxuosas suites do novo Yankee Stadium (56), é o triplo do que havia no estádio velho, já a capacidade dos Mets elevou de 45 para 54. Os ingressos no Citi Field variam de US$ 11 a US$ 695, enquanto no Yankee Stadium os bilhetes variam de US$ 14 a US$ 375. Não é a toa queos novos estádios estão se esforçando em proporcionar o máximo possível de entretenimento. "Estes estádios são enormes shoppings de entretenimento. É muito mais do que um jogo neste momento " - disse Tuchman. Ler matéria arquivo Sport Marketing: Americanos contra altos contratos de naming rights.

Sandra White - Correspondente Sport Marketing - Estados Unidos