30 de mar de 2009

Futebol chinês se prepara para ser potência no futuro

Em um mercado globalizado, abalado mundialmente por problemas financeiros, a China se prepara para desenvolver um futebol de alto nível e exportar, num futuro próximo, novos talentos, disputando os gramados do sport business com outras nações na mesma região tais como: Coréia, Japão e Irã. Mas, o que falta para que a República Popular da China entre definitivamente neste mercado? Especialistas afirmam que a crise entre a Federação e o treinador têm tirado a China de importantes competições internacionais e, por consequência, os jogadores têm menor visibilidade. Nos Jogos Olímpico de Biejing, por exemplo, a China foi eliminada rapidamente, o que impediu que o mercado europeu e mundial se familiarizasse com o futebol asiático. Existe também outro ponto a ser analizado: os preços impostos pelos dirigentes chineses são altos para a Europa. No Japão, entretanto, o quadro parece ser diferente. As equipes já tiveram jogadores brasileiros e ocidentais, o que mostra uma maior flexibilidade dos japoneses nas negociações. Alguns presidentes e gerentes esportivos alegam também que a discriminação racial é um fator negativo contra o jogador chinês que tem mais dificuldade em se habituar à vida europeia. Além disso, os europeus acreditam que pode levar vantagem com patrocínios, mas a China não é o Japão e nem o Brasil. Na China, por exemplo, as emissoras de tv são estatais e não existe tv a cabo, não há "pay per view", um importante fator que influencia o mercado em termos de patrocínio. O que leva a crer que o futebol chinês pode ser considerado uma boa opção de futuro, ou seja, uma saída para times e equipes que tenham planejamento e que não primem pelo rendimento imediato. A longo prazo, a China pode se tornar uma potência de futebol, estádios e merchandising já estão crescendo, principalemnte após a realização dos Jogos Olímpicos. É esperar para ver. (ler matérias arquivo Sport Marketing: Nike pretende investir forte na China; Sport Marketing: Adidas em saia justa na China; Sport Marketing: Adidas abre maior loja do mundo na China ; Sport Marketing: Pirelli corre atrás do futebol chinês; Sport Marketing: China barra Coca-Cola; Sport Marketing: Li Ning patrocina Jogos da China; Sport Marketing: Especial: Li Ning, a marca que venceu Nike e Adidas; Sport Marketing: Jelena Jankovic fecha contrato com marca chinesa ; Sport Marketing: China estará livre de ressaca econômica pós-olímpica; Sport Marketing: Carrefour cancela campanha na China ;Sport Marketing: Nike aposta no basquete americano na China ;Sport Marketing: Beijing, marca a história do marketing olímpico;Sport Marketing: Especial: Li Ning, a marca que venceu Nike e Adidas;Sport Marketing: Club Bud promete ser a sensação em Beijing).

Jing Wang - Correspondente Sport Marketing - China