17 de mar de 2009

CBF e Coca-Cola em guerra judicial

As receitas da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) estão penhoradas. Segundo o site Cidade do Futebol, a medida aconteceu por determinação do judicial. O motivo seria o rompimento do contrato da entidade com a Coca-Cola. De acordo com o juiz Wilson Nascimento, da 41ª Vara Cível da Comarca do Rio de Janeiro. Até que seja paga a quantia de R$ 15 milhões à empresa de bebidas, a CBF ficará sem receber os patrocínios. As empresas Nike, Ambev e Vivo terão de depositar judicialmente as cotas. A briga entre as duas partes começou em 2001, quando a CBF decidiu encerrar o contrato com a Coca-Cola, que rendia R$ 3 milhões anuais até 2002, para fechar com a Ambev, que passaria a desembolsar R$ 10 milhões por ano. O juiz responsável pelo caso, entende a quebra de contrato como unilateral. A empresa de refrigerantes pede uma indenização de R$ 50 milhões, alegando perdas pela falta de exposição da marca na camisa de treino da Seleção durante a Copa do Mundo de 2002. Atualmente, a CBF recebe quase R$ 110 milhões por ano dos três principais patrocínios (ler matérias arquivo Sport Marketing: CBF condenada pela Coca-Cola; Sport Marketing: CBF perde recurso contra a VIVO; Sport Marketing: Vivo e CBF fazem as pazes; Sport Marketing: CBF dá ultimato à Ambev; Sport Marketing: CBF x Mastercard; Sport Marketing: CBF fecha com Hugo Boss; Sport Marketing: Mercado: Coca-Cola a mais valiosa do mundo.

Redação Sport Marketing