17 de fev de 2009

Petrobras nega patrocínio com Honda e Senna

A Petrobras afirmou em nota oficial que não pretende fazer parte de nenhum programa de marketing para salvar a Honda. Neste final de semana, surgiram informações na mídia de que a empresa brasileira ajudaria o piloto Bruno Senna a alinhar no grid para a etapa de abertura da temporada na Austrália. No entanto, a empresa além de negar o patrocínio para Senna, também anunciou que não vai investir os US$ 10 milhões que haviam sido negociados no final do ano passado. Com isso a empresa deixa a F-1, após não encontrar uma equipe para continuar o processo de desenvolvimento na categoria. "A presença da Petrobras na F-1 era o nosso meio para continuar o desenvolvimento tecnológico e para isso precisávamos de um estreito relacionamento com um fabricante" - explicou Claudio Thompson, chefe de patrocínios da pretroleira."Uma vez que a Honda anunciou a saída da categoria, decidimos parar também. Não estamos interessados em ser apenas um patrocinador comercial, mas queremos também poder desenvolver nossos produtos" - acrescentou. Em nota divulgada a empresa confirmou sua saída da F-1 e negou qualquer envolvimento com a possível contratação de Bruno Senna. De acordo com o comunicado são inverídicas as infomações sobre o provável apoio ao piloto. "A Petrobras nega os rumores veículados na mídia sobre a contratação do piloto Bruno Senna pela ex-equipe Honda com o apoio da empresa. A petroleira não tem contrato com a Honda ou qualquer equipe que venha a ser formada para a temporada 2009. A empresa reitera que não promove patrocínio individual de pilotos" - disse a nota.

Redação Sport Marketing