18 de fev de 2009

Bancos vão abandonar F1

O ex-piloto e atual comentarista de F1, Marc Surer, afirmou que os bancos deverão acabar com
os patrocínios na categoria. As saídas do Credit Suisse, ex-BMW Sauber, e do ING no fim de 2009, ex-Renault, marcarão o fim de uma era para o esporte, assim como houve com as empresas tabagistas. Apenas o Royal Bank of Scotland (RBS), patrocinador da Williams, por enquanto, permanece na categoria apesar de a instituição financeira estar também passando por crise financeira. "Após os efeitos da crise financeira, os bancos não combinam mais com a imagem da F1. A festa acabou, mas a categoria vai sobreviver, assim como aconteceu no fim da era tabagista" - disse Surer, de 57 anos, em entrevista à agência de notícias alemã "SID".

Redação Sport Marketing