27 de jan de 2009

Marketing do Flamengo não segura esportes olímpicos

Patrícia Amorin não foi apenas campeã nas piscinas do Flamengo, mas também à frente do departamento de esportes olímpicos do clube. Durante anos, a ex-nadadora nada contra a maré da Gávea, que sempre rumou, inegavelmente, em direção ao futebol. Dona de uma simpatia e de uma correção inigualáveis, Patrícia não poupou fôlego para manter os esportes olímpicos respirando no clube. Esteve à frente de várias negociações de patrocínio, enquanto o departamento de marketing só voltava esforços para o esporte bretão. Reuniu as categorias, juntou forças, representava como ninguém o real Movimento Olímpico no clube Rubro-Negro, cuja história começou graças ao remo e não ao futebol! Eis que no mesmo dia em que anunciou um patrocinador para manter os ginastas Diego Hypólito, Daniele Hypólito e Jade Barbosa no clube, o Flamengo decidiu "demitir" Patrícia Amorin, que ajudou a costurar o acordo para trazer o apoio da Prefeitura de Niterói para a Gávea. Por meio de nota, o presidente Márcio Braga anunciou a saída da vice-presidente de esportes olímpicos Patrícia Amorim e empossou João Henrique Areias para o cargo, que possui uma empresa de consultoria em marketing esportivo. Nada pessoal contra o João Henrique Areias, profissional o qual respeitamos e muito, mas tudo contra a falta de capacidade do clube e de seus diretores e gerentes em resolver, internamente, os problemas e as funções que lhes cabem. Nada disso estaria acontecendo, ou seja, este circo decorado com balões de ensaios (característica do clube para se manter na mídia em ano eleitoreiro) não teria ocorrido, caso o departamento de marketing do clube fosse eficiente e a política da Gávea abraçasse, com o mesmo afinco que faz com o futebol, os esportes olímpicos. A pergunta que não quer calar é: quais foram as últimas grandes ações de marketing que o Flamengo fez nos últimos anos além de: brigar com a Nike, fechar um contrato problema com a Olympikus, renovar com a Gatorade, abrir um site, lançar um programa sócio torcedor furado, lançar no mercado novos produtos licenciados, discutir com a Petrobras, perder o Ronaldo Fenômeno para o Corínthians??? Enfim...será mesmo que o departamento de marketing do Mengo tem mais ações a realizar do que o São Paulo FC, exemplo de sucesso em marketing ou isso reflete apenas pura falta de competência? Será que as ações que o Flamengo tem feito nos últimos anos tomam tanto assim o tempo do departamento que não tem como, os mesmos profissionais, tomarem conta dos esportes olímpicos, sendo necessária a contratação de um outro profissional e, pior, custando a demissão de um real representante do Movimento Olímpico? Estranho e esquisito isso no mínimo é. A tecla é uma só: Patrícia Amorin, ex-atleta, com 100% de certeza, iria sim exigir da direção do clube que a verba advinda do patrocínio da Prefeitura de Niteroi (80 mil reais mês por 4 anos - em troca, os três atletas - Jade, Diego e Daniele - participarão do projeto de ginástica de Niterói, que visa incentivar as crianças a iniciarem a prática do esporte) fosse destinada única e exclusivamente aos esportes olímpicos e a presença dela ali, iria garantir que nenhum centavo fosse desviado para o futebol! Está aí o cerne da questão! Cabe à Prefeitura de Niterói acompanhar de perto, daqui prá frente, o destino real das verbas que estará aportando na ginástica olímpica da Gávea. Caso contrário, terá comprado gato por lebre, assim como a Olympikus! Patrícia, que trabalhava na Gávea há dois anos, não ficou satisfeita com a troca no comando. Foi ela que procurou diversas empresas para conseguir patrocínio e quem sempre batalhou sozinha ali dentro pelos esportes olímpicos. A nota oficial do Flamengo emitida na noite da última terça afirmou que Patrícia solicitou o desligamento poucas horas depois de participar do anúncio oficial da parceria com Niterói. A ex-atleta, entretanto, negou que tenha pedido para deixar o cargo de vice-presidente."Não foi nada disso. Não pedi demissão ao Márcio Braga. Mas não guardo mágoas do Flamengo. Só fiquei chateada pelo fato de terem dito que eu pedi para sair quando não fiz isso"- disse Patrícia, que acredita que a relação com Braga ficou desgastada após o recente episódio em que o clube decidiu acabar com a maior parte dos esportes olímpicos."Foi uma passagem muito complicada. E que acabou gerando um desgaste natural. Mas deixo o clube feliz, porque sei que cumpri meu dever"- completou a dirigente em entrevista ao repórter Bruno Império do UOL Esporte. Márcio Braga afirmou ao repórter que decidiu tirar Patrícia da vice-presidência porque o clube precisa de um novo modelo de gestão para os esportes olímpicos e que o fato de a nota oficial ter falado em pedido de desligamento foi apenas uma "falha de comunicação". Sinal de que nem o departamento de marketing e nem o de comunicação cumprem bem o papel na Gávea (ler matérias arquivo Sport Marketing: Ginastas fecham com Prefeitura de Niteroi; Sport Marketing: Esportes Olímpicos viram as 'galinhas dos ovos de ...; Sport Marketing: Marketing do Flamengo ganha prêmio mico 2008; Sport Marketing: Novela Flamengo x Nike termina apenas em dezembro!; Sport Marketing: Ronaldo vira uvas verdes para Flamengo).

Redação Sport Marketing