14 de jan de 2009

Kaká no Manchester City?

O clube inglês Manchester City acertou com o Milan a contratação de Kaka. O contrato ainda não foi oficializado, mas a imprensa europeia já dá o negócio como certo e destaca que o City vai pagar 105 milhões de euros (R$ 319,6 milhões) à vista, naquela que, em se concretizando, entrará para a história do futebol, como a maior negociação. O recorde anterior é de 2001, quando o Real Madrid pagou 65 milhões de euros (R$ 198 milhões em valores desta terça) para tirar o francês Zidane da Juventus. Como clube formador do jogador (Kaká ficou lá entre os 12 e os 21 anos), o São Paulo terá direito a 3,25 euros do valor da transação (R$ 10,3 milhões).O vice-presidente Gary Cook, o diretor de operações Paul Aldridge e o iraniano Kia Joorabchian, ex-homem forte da parceria MSI/Corinthians (foi ele quem costurou a ida de Robinho para o clube inglês em janeiro) estão na sede do Milan em reunião com o vice-presidente Adriano Galliani, o diretor-geral Ariedo Braida e o empresário Ernesto Bronzetti, uma espécie de "consultor de mercado" do clube italiano. Sem rodeios, ofereceram 100 milhões de euros (R$ 307,6 milhões) pelo craque. À noite, em novo encontro, a proposta subiu para 105 milhões de euros. E aí o Milan capitulou. Galliani assinou um documento concordando com a venda e autorizou o clube inglês a conversar com Kaká para acertar o contrato do craque. Isso deve acontecer na próxima segunda, numa reunião com Bosco Leite (pai e procurador de Kaká), que está no Brasil. O City está disposto a pagar 15 milhões de euros (R$ 46,1 milhões) livres por ano para Kaká, mas pode até subir esse valor - como fez na negociação com o clube italiano. Kaká chegou ao Milan em 2003 por US$ 8,2 milhões (R$ 19 milhões). Ganhou seis títulos (um Italiano, uma Liga dos Campeões da Europa, um Mundial de Clubes da Fifa, duas Supercopas Europeias e uma Supercopa Italiana), foi eleito o melhor do mundo em 2007 e tornou-se um símbolo do clube. Agora, os milhões dos árabes colocaram ponto final nesta história.

Redação Sport Marketing