23 de dez de 2008

LOCOG terá Centro de Imprensa patrocinado pelo governo

O LOCOG - London Organizing Committee Olympic Games - Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Londres, entidade responsável pela infra-estrutura dos Jogos de 2012 afirmou que espera obter do poder público 318 milhões de euros necessários para a construção do Centro de Imprensa. Segundo noticiou a agência EFE, o presidente do órgão, John Armitt, citou que, devido à crise econômica, existe pouca possibilidade dos recursos serem patrocinados pela iniciativa privada."Inicialmente pensávamos que teríamos capital privado e público, mas tememos que será 100% público"- disse Armitt, em entrevista ao jornal britânico Evening Standard. Sobre o projeto, o presidente ressaltou que a intenção do órgão é criar uma estrutura permanente e divisível, que possa ser utilizada por empresas de comunicação ao final dos Jogos Olímpicos.

Redação Sport Marketing

Espanha e Portugal juntas pela Copa

A Federação de Futebol da Espanha (RFEF) finalizou a proposta da candidatura espanhola para organizar a Copa do Mundo de 2018 em conjunto com Portugal. A Espanha, atual campeã européia, e Portugal declararam interesse em sediar o torneio depois que a FIFA anunciou que receberá as candidaturas para os Mundiais de 2018 e 2022. O presidente da FIFA, Joseph Blatter, disse que a Espanha, sozinha ou com Portugal, era forte candidata para 2018, assim como Inglaterra e Holanda com Bélgica. Austrália, China, México e Rússia também manifestaram interesse. A Espanha não sedia a Copa do Mundo desde 1982, mas Portugal construiu 10 novos estádios para receber a Eurocopa de 2004. A candidatura vencedora será anunciada em dezembro de 2010.

Redação Sport Marketing

Robinho compra carro de luxo

O jogador brasileiro Robinho, do Manchester City, que até pouco tempo andava de táxi, pois se confundia em dirigir na faixa da esquerda, já superou o problema. Segundo o jornal “The Sun”, Robinho comprou um Lamborghini Gallardo LP560-4. O valor do carro não foi divulgado, mas sabe-se que só dirige um Lamborghini quem pode!

Redação Sport Marketing

Novak Djokovic é o protagonista do vídeo de Natal

O tenista sérvio Novak Djokovic é o protagonista do vídeo de Natal do circuito ATP. Novak, que gosta de imitar os tiques dos colegas, também mostra toda a sua irreverência no filme. Ao lado do treinador Marian Vajda, o campeão da Masters Cup, aparece vestido de Pai Natal e revela os dotes de cantor que se deixa atrapalhar pela barba... O vídeo conta ainda com a participação de Andy Murray, Jo-Wilfried Tsonga, Gilles Simon, Florent Serra, David Ferrer, Nikolay Davydenko, Marcelo Melo e André Sá.

Redação Sport Marketing

FINA agenda data para decidir futuro de maiôs

A Federação Internacional de Natação (FINA) agendou uma reunião para 20 de fevereiro, em Laussane, na Suíça, que definirá o processo de aprovação dos maiôs para oficiais da modalidade. “A aprovação dos maiôs é uma questão complexa e precisa ser analisada com cuidado. Por isso a FINA busca a colaboração de todos os envolvidos para que a decisão possa ser aceita e compreendida por todo o mundo da natação”- explicou um comunicado da entidade, que chamou fabricantes, nadadores, representantes legais e especialistas para participarem da discussão em que serão analisados fatores como material, espessura e uso os maiôs. O estopim para uma onda de discussões sobre o material esportivo utilizado na natação foi o lançamento do maiô LZR Racer, da Speedo, em março de 2008 e utilizado pela maioria dos nadadores nos Jogos Olímpicos de Beijing.

Redação Sport Marketing

Toyota pretende cortar investimentos em marketing esportivo

A Toyota admitiu que vai cortar os investimentos em marketing esportivo. A empresa, que teve neste ano, o primeiro prejuízo operacional após sete décadas, pretende economizar na F1, mas se comprometeu em não abandonar a categoria. Katsuaki Watanabe, presidente da Toyota, não deu detalhes sobre como a fabricante japonesa vai reduzir custos. A equipe está há sete anos na principal categoria do automobilismo e ainda não conseguiu nenhuma vitória. "É muito difícil manter o atual nível"- admitiu Watanabe, em entrevista concedida na fábrica da Toyota, em Nagoya. Apesar disso, ele considera que a F1 é um boa forma de atrair jovens consumidores. As indústrias automobilísticas foram atingidas pela crise financeira nos Estados Unidos, maior mercado do setor no mundo. Teme-se que a crise se espalhe para outras regiões, incluindo os mercados emergentes, que têm sustentado parte das venda dessas empresas. Subaru e Suzuki deixaram o Campeonato Mundial de Rali. A F1 anunciou medidas com o objetivo de reduzir os custos das equipes em 2009, depois da saída da Honda, em dezembro, e da Super Aguri, em abril. A expectativa da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) é que as mudanças para a próxima temporada ajudem as principais equipes a reduzir em um terço os gastos que tiveram em 2008.

Redação Sport Marketing

Bradesco patrocina “Jogo das Estrelas”

A Bradesco Seguros e Previdência – com o apoio da Bradesco Vida e Previdência – patrocina, pelo terceiro ano consecutivo, o Jogo das Estrelas. A tradicional partida de futebol beneficente realizada pelo ex-jogador Zico, acontece nesta terça-feira, dia 23, a partir das 17h30, no Estádio do Maracanã. A renda será revertida para 20 instituições de caridade do Estado do Rio e para ajudar as vítimas das enchentes em Santa Catarina. Nesta que será a quinta edição, a partida marcará o reencontro de três grandes ícones do futebol brasileiro – Zico, Rivelino e Roberto Dinamite. Craques que atuam no Brasil e no exterior também já confirmaram presença, como Adriano, Cafu, Roberto Carlos, Rivaldo, Djalminha, Júnior, Raí, Leonardo e Edmundo, entre outros. A transmissão ao vivo é do Sportv. De acordo com o Diretor-Executivo de Marketing do Grupo Bradesco de Seguros e Previdência, Jorge Nasser, “o patrocínio ao Jogo das Estrelas se alinha a outras ações do Grupo que visam resgatar a história de um dos traços mais marcantes da cultura brasileira, o futebol.”

Redação Sport Marketing

As contas do Pan 2007 vão parar na Justiça

A prefeitura reivindica do Comitê Organizador dos Jogos Pan-americanos 2007 - Co-Rio, o pagamento de R$ 8 milhões referente a despesas extras bancadas pelos cofres municipais para garantir a realização do evento. Apenas a prefeitura gastou cerca de R$ 1,4 bilhão. Em nota, o Co-Rio negou responsabilidade em relação à cobrança da prefeitura. A entidade de direito privado, presidida por Carlos Arthur Nuzman, que também comanda o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), o Co-Rio informou que, de acordo com apuração dos balanços e demonstrativos de resultados, a entidade é credora do município. O Comitê alega que ainda aguarda o pagamento de convênios firmados com a prefeitura por ocasião dos jogos. Autorizada pelo prefeito Cesar Maia, que deixará o cargo no próximo dia 31, a Controladoria-Geral do Município vai incluir o Co-Rio na dívida ativa. "Há um contrato com obrigações, direitos e deveres. Neste contrato, a prefeitura tem direitos. Chegamos a um saldo de R$ 13 milhões. O Co-Rio recalculou e passou para R$ 8 milhões. Aceitamos, mas não pagaram. A prefeitura tem obrigação de inscrever em dívida ativa" - explicou Maia, que ainda ironizou a nota da entidade. "Para quem aplicou R$ 1,4 bilhão, só rindo"- disse. No total, os governos federal, estadual e municipal repassaram R$ 3,7 bilhões para garantirem a realização do Pan. O estouro foi de 793,72% a mais do que o previsto em 2002, quando a cidade ganhou o direito de sediar a competição, quando os governos registraram que gastariam apenas R$ 414 milhões. O principal pagador dos Jogos foi o governo federal, que gastou R$ 1,8 bilhão. Pelo orçamento inicial, a União não desembolsaria nem sequer 8% disso R$ 140 milhões. A prefeitura é a primeira entre os entes governamentais a cobrar na Justiça uma dívida deixada pelos organizadores dos Jogos cariocas. O Co-Rio não informou o valor do seu crédito junto ao município no comunicado. Cesar Maia admitiu que a bilionária conta do Pan atrapalhou os últimos anos de mandato. Em entrevista à Folha de S.Paulo, no domingo, disse: "Do ponto de vista da ação do governo, foi o elemento de desintegração da imagem". Ele diz ter sido obrigado a deslocar os investimentos para bancar o evento. "Perdemos qualidade, o que permitiu que a crítica ao governo, injusta, fosse absolutamente certa. A imagem ruim estava construída". O presidente do Co-Rio, Carlos Arthur Nuzman, não fez comentários.

Redação Sport Marketing

Suzuki deixa Mundial de Rali

A Suzuki anunciou que não continuará no Mundial de Rali em 2009. A fabricante japonesa é mais uma montadora que repassa às competições os prejuízos com a crise financeira mundial. "Em resposta à diminuição das vendas, causada pela turbulência financeira global, a Suzuki começará imediatamente a adotar medidas para assegurar a continuidade de seus negócios. Por isso, a organização decidiu rever as áreas de operação e vai focar em questões vitais" - disse a montadora, em nota oficial. A Suzuki começou a participação no Mundial de Rali em 2002, quando estreou na categoria Junior. Neste ano, a montadora entrou na categoria principal e terminou na quinta posição entre as seis equipes que disputaram a competição. Na área de motovelocidade, a empresa deve manter os investimentos e continuar competindo, tanto na MotoGP como na Superbike. Depois da crise, a Honda deixou a F1 e a Audi restringiu atividades nas competições de Turismo.

Redação Sport Marketing