9 de dez de 2008

Williams segue na F1 em ritmo de incertezas

A Williams anunciou a renovação de patrocínio com a empresa suíça de relógios Oris. Na contra-mão das boas novas, de acordo com o site "F1 Live", a equipe poderá perder o patrocínio da Lenovo, empresa chinesa de informática, que já demonstrou interesse em investir na McLaren a partir de 2009. Além da Oris, a Williams já anunciou a manutenção das parcerias com alguns dos principais patrocinadores, mas também poderá perder o investimento do Royal Bank of Scotland (RBS), banco afetado diretamente pela crise internacional. “Estou contentíssimo que a Oris, junto com Phillips e Allianz, tenha renovado seu contrato com o time. A Oris pode ter certeza de que retribuiremos a confiança com um retorno comercial e espero que esse seja o primeiro passo da empresa para se tornar mais uma parceira de longa data, como a Accenture e a Allianz, que nos patrocinam há mais de uma década” - disse Frank Williams, chefe da equipe. A Oris começou a patrocinar a Williams em 2005 e, neste ano, estampou a marca no aerofólio dianteiro do FW30.

Redação Sport Marketing

Red Bull fecha patrocínio em época de crise

A Red Bull anunciou acordo com a empresa holandesa Trust. A fabricante de produtos para computadores, como mouses, teclados e webcams estampará a marca nos capacetes dos pilotos e em algumas áreas dos carros. No comunicado distribuído à imprensa, a escuderia fez um trocadilho com a palavra trust (confiar, em inglês): "Red Bull Racing Put Their Trust in New Partner", ou seja, Red Bull Racing tem confiança em novo parceiro. "É ótimo para o time entrar em 2009 com um novo e vibrante parceiro, com a F1 dando a perfeita plataforma para a Trust mostrar a tecnologia" - declarou Christian Horner, chefe da escuderia. A Trust já patrocinou outras equipes na F-1: Minardi (com Jos Verstappen como piloto), Jordan e Spyker. Além disso, ela trabalha na GP2 com a Arden.

Redação Sport Marketing