23 de out. de 2008

Começa a corrida para sediar as Copas de 2018 e 2022

A competição pelos direitos de hospedar as Copas do Mundo FIFA de Futebol de 2018 e 2022
começa sexta-feira quando o comitê executivo irá se reunir e fixar um horário para que os candidatos entreguem as propostas para executar o evento. O presidente de FIFA, Joseph Blatter disse que deseja que o corpo administrativo escolha os anfitriões das duas edições da Copa nos três próximos anos. Austrália, China, Inglaterra, Rússia e Estados Unidos estão na disputa. Segundo Blatter um país do hemisfério do norte seria ideal para a Copa de 2018 e sugeriu que a Austrália e Estados Unidos seriam fortes concorrentes à sede de 2022. A Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, renderá para a FIFA cerca de US$3.2 bilhões em direitos de televisão e renda de marketing. Os países anfitriões da Copa são escolhidos pelo Comitê Executivo FIFA, composto por 25 membros. A reunião de sexta-feira também é esperada pois irá esclarecer as regras referentes à convocação de jogadores para os Jogos Olímpicos. A FIFA
pretende organizar o calendário internacional a fim de incluir os Jogos de Londres 2012. Os membros de Comitê Executivo também receberão relatórios da preparação da África do Sul para a Copa de 2010.

Redação Sport Marketing

Schincariol lança produto no GP Brasil

A Schincariol lança, no GP Brasil de F1, a cerveja Nova Schin Zero, apresentada como bebida com teor alcoólico de 0º GL. A empresa diz que o produto conserva os mesmos ingredientes de uma cerveja pilsen convencional: água, malte, cereais não malteados, carboidratos, lúpulo e CO² natural. O processo de desalcoolização é feito por meio um equipamento alemão. A Nova Schin Zero é a primeira cerveja sem álcool vendida em embalagem 600 ml. Também há versões long neck (355ml) e lata (350ml). A distribuição será nacional.

Redação Sport Marketing

Conquest Racing fecha patrocínio

A Conquest Racing anunciou que os carros da equipe estamparão a marca da Sanctuary Cove durante a etapa extra-campeonato de Surfers Paradise da IRL. A imobiliária australiana será a patrocinadora principal da equipe na Nikon Indy 300, tendo o logo nas laterais, aerofólio traseiro e cobertura do motor dos carros. Depois de substituir Enrique Bernoldi nas duas últimas provas do campeonato, o canadense Alex Tagliani voltará a correr ao lado do brasileiro Jaime Câmara na Austrália e terá mais uma chance de garantir uma vaga na IRL em 2009.

Redação Sport Marketing

TVA abre sinal da ESPN e ESPN Brasil

Os assinantes TVA poderão conferir gratuitamente, de 23 de outubro a 2 de novembro, os jogos dos campeonatos Inglês, Italiano e Espanhol, além de jogos da UEFA Champions League. Isso porque a operadora abre sinal dos canais esportivos ESPN e ESPN Brasil em São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba durante este período para os assinantes que ainda não os têm pacotes.

Redação Sport Marketing

Boatos e balelas de marketing esportivo com relação aos Jogos Olímpicos

Tenho lido alguns artigos e notícias com relação à "possível ameaça" da Rede Globo em boicotar
os Jogos Olímpicos de 2010 (Inverno - Vancouver) e 2012 (Verão - Londres), caso a emissora
não consiga negociar a compra dos direitos de transmissão do evento que pertencem, com
exclusividade,no Brasil, à Rede Record.Que alguns veículos veiculem esses boatos ainda vai,mas,
me admiro ao ver que, alguns 'especialistas em marketing esportivo', abrem espaço para esse tipo de notícia, deixando claro a falta de experiência no dealing com veículos de comunicação, em negociações de direitos de transmissão, falta de noção completa de como funciona a máquina que move os esportes olímpicos e, consequentemente, o marketing olímpico. Por isso, vou começar pelo início. A Carta Olímpica, que rege o IOC - International Olympic Committee - Comitê Olímpico Internacional (COI) é muito clara com relação à disseminação do Olimpismo e da imagem dos Jogos Olímpicos. A Carta estabelece como compromisso que as emissoras detentoras dos direitos de transmissão do evento garantam ser capazes de levar a imagem dos Jogos ao maior número possível de pessoas, de graça (tv aberta), assim como pelas mais diversas formas tecnológicas possíveis (canais a cabo, internet, telefonia móvel), a fim de fomentar as ações do Movimento Olímpico mundialmente e, para todas as classes sociais. Além do fator financeiro (a proposta da Rede Record superou a da Globo), este foi um dos pontos primordiais que levaram o COI a vender os direitos dos Jogos para a Record e não para a Globo, que apresenta uma grade de programação estrangulada com novelas, jornalismo e programas. Não é de hoje, que a emissora aberta carioca, principalmente após a fusão com o canal a cabo Sportv, não garante aos esportes olímpicos o espaço que merecem, se restringindo a transmitir as finais dos mega eventos, quando a maior parte das provas e competições são transmitidas pelo canal pago Sportv, da Globosat, o qual boa parte da população não tem acesso. Ou seja, a Rede Globo sempre visou, muito mais do que disseminar a cultura dos esportes olímpicos, os lucros em publicidade que os esportes e os Jogos Olímpicos atraem, passando a ser uma necessidade, para o Grupo, ter os Jogos nas grades de programação, a fim de manter o controle do mercado publicitário. A partir dessa realidade e fato, torna-se quase que impossível que a Globo 'boicote 100%' o evento olímpico! Digo isso, principalmente, porque o jornalismo da emissora, certamente, seria 'obrigado' a mostrar o evento e, consequentemente, mostrar os atletas e resultados dos brasileiros, para não ficar totalmente de fora do momento e não cair em profundo descrédito nacional! Isso sem contar que, os pacotes de patrocínio são de longo prazo e vendidos, muitas vezes, com anos de antecedência - o que significa que alguns patrocinadores de Beijing 2008 ou tantos outros, podem ainda ter créditos para os próximos anos, 'obrigando' assim, a emissora a mostrar os eventos pré-olímpicos ou classificatórios, seja no canal aberto ou a cabo. Além disso, a compra de eventos internacionais também acontecem com antecedência, ou seja, o que já está comprado precisa ser comercializado e exibido. Desta forma, levando-se em conta que a grade da Globo pouco se abre para o esporte, nem os esportes olímpicos, nem a população e, menos ainda, o mercado publicitário irá perder com um 'boicote' - o qual eu não acredito que aconteça 100% e, sobre o qual, estou escrevendo apenas para trazer um pouco de conhecimento da área jornalística àqueles que defendem que o marketing esportivo deve ser tocado apenas e, unicamente, por profissionais de marketing, os quais na maioria das vezes, não têm noção de como funcionam as engrenagens do esporte e dos veículos de comunicação responsáveis pelo retorno dos patrocinadores dos eventos!!! Ou seja, mesmo que a Globo 'boicote' os Jogos Olímpicos, o mercado irá comprar os espaços comerciais dos telejornais da emissora carioca, que, por questões jornalísticas irá mostrar o evento. O lado positivo é que os patrocinadores passarão a maior fatia do bolo de investimentos para a Record ou para qualquer outra emissora aberta ou fechada que tiver uma maior grade de programação voltada para o evento. Falar que haverá perda de visibilidade do principal veículo do país é uma besteria colossal, porque a Globo aberta há muito não é a responsável por garantir a maior visibilidade dos Jogos Olímpicos, perdendo, neste quesito, para outros canais abertos como, por exemplo, a Rede Bandeirantes! A ameaça de 'boicote' não será um grande empecilho para o crescimento do marketing esportivo nacional, muito pelo contrário, haverá sim uma melhor distribuição dos investimentos entre as emissoras que mostrarem o esporte para a maior parte da população que tem tv aberta e/ou entre os canais a cabo! Os cinco canais a cabo que o Sportv da Globosat abre durante os Jogos serviram, até hoje, única e, exclusivamente, como moeda de troca nas negociações do departamento comercial da 'nave prateada' e não privilegiam a maior parte da população que não tem condições de assinar os pacotes da Net! A grade de programação do Sportv e o departamento comercial da Rede Globo e Globosat, sim, vão sentir profunda diferença, se houver o imaginário e absurdo 'boicote 100%' da tv aberta, que alguns desinformados aventam e, caso a Record não acerte a venda do evento nem com a tv aberta e nem com a Globosat! Especula-se no mercado que Record e Globosat já entraram em um acordo, o que salvaria o Sportv de, em 2012, perder o slogan do 'canal campeão', perder os principais patrocinadores e ver a grade de programação despencar! A primeira proposta da Globosat rejeitada pela Record foi de R$ 12 milhões, valor este que, segundo boatos, a Globosat teria aumentado, agora, para R$ 30 milhões (US$ 22 milhões), valor equivalente a mais de sete vezes o montante pago pela empresa pelos direitos dos Jogos de Beijing 2008 (US$ 3 milhões). Já BandSports e ESPN Brasil teriam apresentado propostas menores do que US$ 4 milhões. O valor também supera o que a TV Globo aberta pagou por Beijing: US$ 12 milhões de dólares. A equipe do Jornal Folha de São Paulo apurou que o acordo é praticamente dado como certo. De qualquer forma, esse acerto só poderá ser finalizado, se for, no fim do primeiro trimestre de 2009, obedecendo a prazos estabelecidos pelo COI para o encaixe de patrocinadores e anunciantes internacionais dos eventos e sob a aprovação da entidade. Se a Globosat conseguir comprar os direitos de transmissão dos Jogos a cabo, com exclusividade, sem a transmissão da aberta, o canal volta a respirar no mercado, deixando em maus lençóis a ESPN Brasil e o BandSports! Enfim, muita água ainda vai rolar embaixo dessa ponte, mas as movimentações das peças no tabuleiro das emissoras comprovam que, o Grupo Globo, do qual a Globosat pertence, está optando pela melhor política, ou seja, se render à Rede Record e convencer a emissora do bispo Macedo, da Igreja Universal, quem a Globo que veste a túnica da Igreja Católica, sempre criticou e denunciou, a vender os direitos de transmissão dos Jogos Olímpicos e Pan-americanos de Guadalaraja (2011)! Afinal, depois da criação do controle remoto, da internet e dos aparelhos celulares, a 'nave prateada' tem muito mais a perder com a não transmissão dos Jogos do que o mercado de marketing esportivo e o esporte nacional! Além disso, antes da Globo e do Sportv existir, na época do Luciano do Valle (um dos precursores do marketing esportivo no Brasil) e da equipe do Show do Esporte, da qual com muita honra fiz parte, a Rede Bandeirantes era o Canal do Esporte! Ou seja, as coisas mudam!

Deborah Ribeiro - Diretora Sport Marketing

Parreira confirma nomes do Footecon

O preparador físico italiano Daniele Tognaccini, idealizador do projeto MilanLab; e Lars Lagerback, técnico da Suécia. Estes são os primeiros nomes confirmados por Carlos Alberto Parreira, diretor técnico do Footecon - V Fórum Internacional de Futebol, evento que será realizado nos dias 9 e 10 de dezembro, no Rio Centro, Rio de Janeiro. Em paralelo ao Footecon, acontece a Football Expo 2008 - 2ª Feira Internacional de Produtos e Serviços para a Indústria do Futebol. Equipamentos, produtos, projetos, serviços e soluções para arenas e estádios, melhor rendimento, capacitação e gerenciamento de jogadores, clubes, instituições e profissionais do futebol. O local é oportuno para bons negócios e os melhores lances.

Redação Sport Marketing

África do Sul teme crise mundial financeira

A África do Sul teme que crise mundial financeira possa afetar os preparativos para a Copa do Mundo de 2010. A expectativa é que as construções e obras sejam concluídas dentro do prazo, mas há preocupação com os custos. O país sofre com desaceleração econômica do país e encarecimento dos materiais de construção. O Tesouro sul-africano liberou 1,4 bilhão de rands (126,3 milhões de dólares) para cobrir estouros no orçamento de médio prazo e que outros 600 milhões seriam usados para melhorar as conexões de Internet nos estádios. "O programa de construção para os estádios está no caminho de cumprir os prazos da FIFA, embora a escala de custos continue sendo um desafio" - disse em nota o porta-voz Themba Maseko. A África do Sul inicialmente destinou 17,5 milhões de rands para a construção ou reforma de dez estádios e para outras obras destinadas à Copa.

Redação Sport Marketing

Sky Italia compra direitos de transmissão dos Jogos Olímpicos

O International Olympic Committee - Comitê Olímpico Internacional (COI) fechou contrato com a SKY Italia. A emissora comprou os direitos de transmissão, com exclusividade para a Itália, dos Jogos Olímpicos de Inverno (Sochi 2014) e Jogos Olímpicos de Verão de 2016, cuja sede ainda não foi definida. A SKY Italia também será parceria do COI na transmissão dos Jogos de Vancouver 2010 e Londres 2012. O contrato garante à SKY Italia os direitos de transmissão digital em todas as plataformas, inclusive canal a cabo, canal aberto, internet e telefonia celular. "Nossa meta é assegurar que o maior número de pessoas possa apreciar a ação esportiva em todas plataformas de radiodifusão" - disse Jacques Rogge, presidente do COI. Os valores da negociação ão foram revelados, mas especula-se que a Sky pagou cerca de 80 milhões de euros (US$109 milhões), cobrindo a oferta da RAI, que ofereceu 60 milhões de euros (US$82 milhões) para o mesmo pacote.

Redação Sport Marketing

AT&T Williams lança linha de produtos

A AT&T Williams F1 anunciou o lançamento da primeira linha de produtos no mercado automotivo brasileiro. A linha High Performance Car Care AT&T Williams F1 é composta por 31 ítens, cada um especialmente desenvolvido para refletir a tecnologia de ponta que caracteriza a equipe de F1 de Oxfordshire, Inglaterra. No Brasil, a TecBril, com exclusividade, será responsável pela fabricação, distribuição e comercialização dos produtos. A TecBril é a terceira maior empresa do segmento de produtos para o carro e faz parte do grupo TecFil, o maior fabricante de filtros automotivos da América Latina. (leia matérias arquivo Sport Marketing: Williams mal das pernas; Sport Marketing: AT&T Williams fecha mais dois patrocínios).

Redação Sport Marketing

Atletas GOL Esportes participam de evento de turismo

Tiago Camilo, Leandro Guilheiro, Adria Santos e Clodoaldo Silva, atletas da equipe GOL Esportes, participam da maior feira de turismo da América Latina. A ABAV 2008 acontecerá no Rio de Janeiro, de 22 a 24 de outubro, no Riocentro.Os judocas Tiago Camilo e Leandro Guilheiro
e os atletas paraolímpicos Clodoaldo Silva e Ádria Santos ficarão no Stand da GOL. Esta será a primeira vez que todos se reunirão após os Jogos Olímpicos de Beijing.

Redação Sport Marketing