15 de set. de 2008

Ryder Cup inova

Pela primeira vez na história de 81 anos de Ryder Cup, os fãs que freqüentarem o último dia de competição poderão comprar as mesmas camisas que do time dos Estados Unidos. O PGA, responsável pela Ryder Cup nos Estados Unidos, venderá as camisas apenas nas barracas de produtos oficiais de Louisville’s Valhalla Golf Club. A associação não vendeu as camisas no passado para preservar a tradição e restringir a comercialização do evento, mas decidiu vender este ano, de maneira limitada, como uma forma de se conectar com os fãs. "Eu fico surpreso que demorou tanto tempo para isso acontecer" - disse Alan Fey, presidente da XP Events, empresa que administra operações de merchandise do esporte, mas não da Ryder Cup. As camisas custam entre US$96 e Us$64. "Eu estou certo que nós podíamos provavelmente vender tantos muitos produtos, mas nós não estamos realmente visando capitalizar com isso neste momento" - disse Kevin Carter, diretor sênior de desenvolvimento de negócios do PGA na América.

Redação Sport Marketing

Reebok foca em público feminino

A Reebok já está preparando uma campanha de marketing global para próximo ano. A nova campanha será voltada para as mulheres que buscam boa forma física e que gostam de aliviar a fadiga da ginástica. A campanha, que está em desenvolvimento, apresentará um time de instrutores da Reebok escolhidos em torno do mundo, incluindo Suécia, Alemanha, Coréia, Reino Unido, China, Rússia, Índia e EUA. O novo posicionamento da marca foi elaborado com base em uma pesquisa encomendada pela Reebok para a empresa GFK/Roper Worldwide. Quase metade das 15 mil mulheres de 25 países entrevistadas disseram que acham importante manter a forma, mas apenas 25% faz exercícios regularmente. O slogan da nova campanha da Reebok é 'Less work, more play' ("Menos trabalho, mais diversão"). Já está disponível um site na web voltado para as mulheres que visa encorajar o público feminino a ficar ativo e deixar usuários interagirem com os Instrutores da Reebok.

Redação Sport Marketing

Usain Bolt e Veronica Campbell-Brown embaixadores UNESCO

Duas das estrelas mais brilhantes dos Jogos Olímpicos de Beijing, os atletas jamaicanos Usain Bolt e Veronica Campbell-Brown, receberam a denominação de Campeões para Esporte pela Organização das Nações Unidas (UNESCO). O direitor geral da UNESCO, Koïchiro Matsuura, anunciou as designações em Kingstom, capital jamaicana, onde estava para a abertura do Congresso Internacional do Desenvolvimento do Esporte pela Paz. De acordo com divulgação da ONU, os dois campeões receberam a homenagem em reconhecimento ao compromisso com os valores de paz e tolerância, como também eqüidade e igualdade entre homens e mulheres no esporte. A UNESCO seleciona personalidades do esporte para serem seus embaixadores como Michael Schumacher, Justine Henin, Pelé que espalham a mensagem da UNESCO no mundo, especialmente os valores da educação física e do esportes e como a prática esportiva pode ajudar a construir por um futuro melhor para gerações mais jovens.

Redação Sport Marketing

Basquete de Franca fecha patrocínio

O clube de Franca, tradicional pelas equipes de basquete, acertou parceria com a Vivo para esta temporada. O acordo foi anunciado na sede da empresa de telefonia. "Neste momento difícil para patrocínios, conseguir isto é muito importante" - reconheceu o presidente do clube, Francisco Sérgio Garcia, o Fransérgio, irmão do técnico Hélio Rubens. De acordo com o site da Gazeta Esportiva, o contrato tem duração de um ano com possibilidade de renovação, porém, não foi revelada a quantia que envolveu a negociação. "A expectativa, em função do desempenho e da tradição, é de longo prazo. Nosso objetivo é a perpetuação'. A empresa também patrocina as seleções brasileiras de futebol desde 2005 (US$ 4 milhões/ano por dez anos) e o time masculino de vôlei de Minas.

Redação Sport Marketing

Manchester United corre risco de perder patrocínio

A AIG, seguradora americana, principal patrocinadora do Manchester United está em "crise de liquidez" e busca ajuda. Se a situação irá afetar as ações da empresa em marketing esportivo isso ainda é uma icógnita. O fato é que as ações da AIG caíram quase 40% depois que a seguradora solicitou um empréstimo de cerca de US$40 bilhões aos cofres americanos. O Manchester United tem contrato de patrocínio de quatro anos com a AIG, no valor de £56.5milhões, acordo este assinado em 2006 e que caracteriza-se como o maior negócio de patrocínio do futebol inglês.Recentemente, o West Ham United perdeu £8m do patrocínio da camisa por causa de problemas financeiros com a XL Leisure Group, o Manchester United pode vir a sofrer dificuldades semelhantes. A marca AIG ficou no lugar da Vodafone na camisa do Manchester United, a qual pagava £9 milhões ano ao clube inglês pelo negócio."Nós estamos avaliando todos os nossos negócios e olhando para as opções de como a AIG deve atuar daqui prá frente" - disse o porta-voz da AIG Nicholas Ashooh. A AIG foi fundada há 89 anos na China e, anos mais depois, se transformou em uma das maiores asseguradoras do mundo, com escritórios em 130 países e territórios, servindo 74 milhões de clientes.

Sandra White - Correspondente Sport Marketing - Estados Unidos

Adidas lança coleção limitada do Palmeiras

A Adidas, fornecedora de material esportiva do Palmeiras, a exemplo do que fez com outros times grandes da Europa (Olympique de Marselha, da França, e Hamburgo, da Alemanha) promoveu ao torcedor a chance de entrar na máquina do tempo e retornar à década de 80. A fabricante alemã de materiais esportivos lançou uma coleção reeditada da camisa clássica do Verdão. A coleção tem edição limitada e é composta por camisa (R$ 99,90), agasalho com a descrição S.E Palmeiras nas costas (R$ 269,90) e moletom com capuz, com o logo do time em marca d’agua, na cor verde escura com detalhes em branco (R$ 269,90), característicos do time alviverde.

Redação Sport Marketing

Blatter visita África do Sul

O presidente da FIFA, Joseph Blatter, está na África do Sul, em inspecionando as instalações para a próxima edição da Copa do Mundo de futebol em 2010. Apesar das preocupações com relação aos atrasos nas construções dos estádios, aumento dos custos, crime, transporte e energia elétrica, Blatter afirmou em entrevista à imprensa internacional que não irá mudar a sede da Copa. No primeiro dia de um total de quatro que passará na África do Sul, o presidente esteve no estádio Green Point, em Cape Town. O roteiro de Blatter também inclui a Cidade do Futebol (Soccer City) em Johannesburg, onde será realizada a abertura e o último jogo da Copa de 2010. "A África do Sul está no caminho" - disse o secretário geral da FIFA Jerome Valcke em entrevista a uma estação de rádio local. "O plano B da FIFA é a África do Sul. O plano C da FIFA é a África do Sul"- afirmou Blatter depois do encontro com o presidente Thabo Mbeki. Para Blatter, o sucesso da Copa de 2010 se tornou uma cruzada pessoal. Um dos problemas que assolam o evento é o falho transporte público. O governo somou 13.6 bilhão rands (US$1.7 bilhão) para melhorar ferrovias e estradas que ligam as cidades sedes dos jogos da Copa. Mas, não é garantido que haja o desenvolvimento de ferrovias de alta velocidade entre jurisdições como ocorreu na Alemanha em 2006, Coréia do Norte e Japão em 2002. Os organizadores prometem, entretanto, reformas no aeroporto internacional de Johannesburg e nas vias de acesso com o centro da cidade, mas não existem planos para outras sedes como Cape Town e Durban. A FIFA está trabalhando junto com o Comitê Organizador Africano a fim de comprar e contratar ônibus para mover os torcedores. Enquanto isso, o governo está somando esforços para persuadir motoristas de táxi e vans, para que dêem suporte ao sistema de transporte público, tirando de circulação veículos velhos e permitando com novos. A segurança é outro aspecto preocupante do Comitê Organizador, num país onde 50 pessoas são mortas todo dia. "Eu não estou preocupado com segurança hoje. Eu penso que nós estamos indo do jeito certo" - disse Jerome Valcke em entrevista à Rádio 702, ressaltando que até em cidades como Paris e Zurich é impossível estar 100%. Mesmo assim,Valcke disse que organizadores locais estão trabalhando com Interpol, polícia local e forças de segurança estrangeiras. O governo da África do Sul planeja aumentar para 190 mil o número de policiais durante a Copa (ler matérias arquivo Sport Marketing: Copa da África do Sul tem mais um patrocinador; Sport Marketing: Etiópia fora da Copa de 2010; Sport Marketing: Copa de 2010 procura novo diretor; Sport Marketing: Copa de 2010 agita mercado publicitário; Sport Marketing: Programas de hospitalidade África do Sul 2010; Sport Marketing: Pesquisa aponta otimismo na África do Sul para a Copa).

Redação Sport Marketing

Adidas bem na Dow Jones

Pela nona vez consecutiva, o Grupo Adidas foi selecionado para juntar-se ao Dow Jones Sustainability Group Indexes (DJSGI), Grupo de Sustentabilidade da Dow Jones, o primeiro índice de sustentabilidade global de acompanhamento de família mundial. O índice, que analisa e localiza a apresentação social, ambiental e financeira de mais de 300 companhias mundiais, avaliou o Grupo Adidas como a indústria líder em assuntos de sustentabilidade e responsabilidade corporativa entre as fabricantes de roupas, acessórios e materias esportivos. A Adidas também está entre as melhores companhias sustentáveis mundiais. "Nós estamos muito orgulhosos, pois isso confirma o grande progresso que nós fizemos em desenrolar novos padrões, diretrizes e procedimentos. Ao mesmo tempo também confirma que nós estamos fazendo as coisas certas em agarrar os desafios de sustentabilidade. Este reconhecimento nos dará impulso para sermos, cada vez mais, uma companhia social e ambiental responsável" - disse à imprensa internacional o presidente e CEO do Grupo Adidas, Herbert Hainer. O DJSG Index elege um grupo seleto de companhias com base no compromisso contínuo de sustentabilidade ambiental, apresentação financeira forte, uma relação positiva com stakeholders e dedicação em apoiar e sustentar os direitos humanos. O Dow Jones Sustainability Index avalia o desempenho das empresas em um contexto amplo, levando em conta aspectos como a contribuição para a economia das localidades onde estão instaladas, o impacto ambiental de operação e a atuação em questões sociais. A inclusão no índice reflete a boa gestão das oportunidades e riscos relacionados à sustentabilidade.

Redação Sport Marketing

Galeão se prepara para mega eventos

Os dirigentes da Infraero apresentaram aos representantes do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Ministério do Esporte, Secretaria de Transportes, Polícia Federal, Receita e Vigilância Sanitária (Anvisa) o projeto das obras de revitalização do Galeão. O projeto que tem como meta a ampliação e reforma dos dois terminais de passageiros e do Terminal de Logística de Carga. A Infraero pretende utilizar recursos próprios e do Pac da ordem de R$ 600 milhões. A previsão de finalização de todo empreendimento é 2010. "Independentemente da Copa de 2014 e da possível escolha da cidade do Rio de Janeiro para sediar os Jogos Olímpicos de 2016, o Aeroporto do Galeão estará pronto para atender com conforto, agilidade e segurança os passageiros e visitantes" - ressaltou o superintendente do Galeão, Wilson Massa.

Redação Sport Marketing

NBCU e CCTV conseguem impedir pirataria olímpica on-line

A NBC Universal, maior rede americana de televisão e detentora dos direitos de transmissão dos Jogos Olímpicos até 2012 para os Estados Unidos, divulgou que a pirataria de imagens olímpicas on-line foi de menos de 1% nos EUA durante os Jogos. O baixo índice se deve ao fato da NBC ter diponibilizado pela NBCOlympics, as provas, evitando que os internautas procurassem outros sítios para ver as competições olímpicas (ler matérias arquivo Sport Marketing: NBC se prepara para mega transmissão olímpica; Sport Marketing: NBC registra aumento de vendas de produtos olímpicos; Sport Marketing: NBC fará transmissão em vários idiomas dos Jogos ...;Sport Marketing: NBC vende bem as cotas de transmissão dos Jogos; Sport Marketing: Patrocinador FIFA apóia NBC em Beijing; Sport Marketing: NBC fatura alto com Jogos Olímpicos). A alta tecnologia desenvolvida pela NBCU foi uma das responsável por prevenir 80% da pirataria. De acordo com o periódico Business Week, a NBC empregou uma estratégia de tecnologia especial para proteger os direitos transmissão. Na China, a rede estatal chinesa CCTV, detentora dos direitos dos Jogos Olímpicos, também minimizou em 90% a pirataria on-line no país.

Redação Sport Marketing

Newcastle United à venda

O time inglês Newcastle United está à venda. De acordo com o site oficial do time (http://www.nufc.premiumtv.co.uk/), Mike Ashley (foto), dono de clube de Liga Principal inglesa, pretende colocar o time à venda. O clube atravessa um péssimo momento com muita contestação dos torcedores, sobretudo depois da saída do treinador Kevin Keegan. "Vou pôr o clube à venda. Espero que os adeptos possam conseguir o que desejam e que o próximo proprietário possa abrir os cordões à bolsa como desejam os seguidores", afirmou Ashley num comunicado divulgado no site do clube. Ashley destacou no texto que comprou o Newcastle em 2007 por 134 milhões de libras (168,7 milhões de euros) e que já gastou mais 110 milhões (138,4) pagando dívidas. Ele também acrescentou que ainda há contas pendentes de direções anteriores devido a gastos com comissões de transferências de antigos jogadores. O proprietário alertou que "o Newcastle não gera as receitas de um Manchester United ou um Real Madrid" e por isso decidiu colocar o clube à venda, apesar de garantir que não comprou o clube para ter lucro. "Eu sou agora um papai que não pode levar as crianças para uma partida do futebol no sábado porque sou aconselhado que podemos ser violentados. Então eu não sou mais preparado para subsidiar Newcastle Unido. Eu estou pondo o clube à venda" - desabafou Ashley que juntamente com o diretor geral, Dennis Wise, estão no centro da polêmica com a torcida do clube, que os consideram responsáveis pela saída de Keegan do comando técnico dos "magpies", por não ter conseguido que os responsáveis do Newcastle lhe dessem os reforços que desejava para a temporada 2008/09.

Redação Sport Marketing

Noruega dividida pelo pleito olímpico

A Noruega pretende sediar os Jogos Olímpicos de Inverno de 2018, mas a população está contra. A notícia partiu do principal periódico norueguês, Aftenposten. O país realizou uma pesquisa entre a população a qual constatou que 51% dos noruegueses são contra investir de US$4 a US$5 bilhões como garantia para hospedar os Jogos. Apenas 38% da população se motraram favoráveis ao pleito olímpico e 11% ficaram indecisos. A cidade postulante é Tromso. O jornal destaca, porém, que a pesquisa varia de uma parte a outra da Noruega. A população local na Noruega Setentrional, por exemplo, a maioria é a favor dos Jogos, enquanto que na Noruega Oriental o povo parece menos entusiasmado.

Redação Sport Marketing