21 de ago. de 2008

Futebol feminino leva EUA a mil medalhas

Dor de uns, felicidade de outros. Enquanto a seleção brasileira feminina de futebol sentia o gosto amargo da prata, a seleção feminina americana garantia mais um ouro para os EUA. O feito garantiu ao país o total de mil medalhas de ouro olímpicas, ao longo das diversas participações nos Jogos Olímpicos. Até a vitória americana por 1 a zero do futebol feminino, os Estados Unidos já haviam conquistado 30 medalhas de ouro, feito superado apenas pela China, que até então somava 46 medalhas. No entanto, no total, até aqui, os atletas norte-americanos são os que mais medalhas receberam ao atingirem 99 lugares no pódio. Com problemas de patrocínio e de organização,a medalha de prata do futebol feminino brasileiro tem valor de ouro. "Patrocinadores vão surgir (com a prata), mas o Brasil precisa de uma liga nacional. Meu sonho é o de jogar no meu País"- destacou a atacante Daniela Alves. No ano passado, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) organizou pela primeira vez a Copa do Brasil feminina.

Redação Sport Marketing

O futuro de Liu Xiang

A revelação da contusão do ídolo chinês do atletismo Liu Xiang, que o impediu de competir na prova dos 110 metros com barreiras nos Jogos Olímpicos de Beijing, foi um choque para a nação. O sonho de fadas do povo chinês de ver um atleta do país vencer em casa os melhores atletas do mundo, se transformou em um pesadelo. Depois que o astro do esporte chinês abandonou a pista do 'Ninho de Pássaro' mancando, vítima de dores no tendão de Aquiles, o mundo do sport business começou a se perguntar se Liu continuaria ou não a ser um poder de fogo aos patrocinadores interessados no mercado chinês. Especialistas em marketing esportivo afirmam que, apesar do fracasso olímpico, o atleta chinês permanecerá sendo um fenômeno de marketing por muitos anos. A certeza de que o fracasso do atleta no 'Ninho de Pássaro' não afetará os negócios de Liu foi a comoção dos patrocinadores que enviaram declarações de apoio ao atleta no dia seguinte da fatídica prova (ler matérias arquivo Sport Marketing - Nike e Coca-Cola seguem com Liu Xiang; Liu Xiang e Fabiana Murer choram no 'Ninho de Pássaro'; Nike fica na pista com Liu Xiang; Nike apresenta uniforme de astro chinês do atletismo; Nike lança uniformes olímpicos do atletismo; Nike apresenta uniformes da China ). Liu sempre terá um lugar nos corações dos fãs do esporte chinês e nos orçamentos de marketing de grandes corporações, até que existiam novos reis de forte potencial de patrocínio no horizonte chinês. Um prodígio que promete brilhar no futuro próximo é Ding Junhui e a estrela das quadras de basquete Yi Jianlian, que debutou na Liga Americana de Basquete (NBA) no ano passado. Hoje, aos 25 anos, Liu Xiang dividi a paixão popular e a preferência dos patrocinadores apenas com o gigante do basquete Yao Ming, que também atua na NBA (ler matérias arquivo Sport Marketing - Yao Ming faz doação para vítimas de terremoto; Yao Ming, um gigante no aeroporto; O que será da Reebok sem Yao Ming nos Jogos Olímpicos?). Ambos são considerados as personalidades do esporte mais comerciáveis da China desde os Jogos Olímpicos de Atenas 2004. Especula-se que Liu ganhou mais de US$20 milhões em endossos no ano passado e que companhias como Nike, Visa e Cadillac buscaram a ajuda da imagem do ícone chinês para alavancar estratégias de marketing no crescente mercado da China.

Redação Sport Marketing - Beijing 2008

Ouro de Cielo valoriza atleta

O ouro olímpico inédito na natação brasileira conquistado na provas dos 50 metros pelo nadador Cesar Cielo valorizou o atleta. De acordo com o ex-atleta Fernando Scherer, agente do medalhista, em reportagem do jornal Valor Econômico, um contrato de longo prazo, até os Jogos Olímpicos de Londres 2012, Cielo precisa de no mínimo R$ 200 mil. "Apenas em exposição da marca na mídia, quando Cielo chegou a São Paulo, os patrocinadores conseguiram o equivalente a R$ 20 milhões" - disse Scherer. Para o vice-presidente executivo da Samsung , José Roberto Ferraz de Campos, também entrevistado pelo Valor Econômico, o ganho é ainda maior. "O esporte, principalmente o olímpico, passa para a marca todo o conceito de esforço, competição com ética e desdobramento para alcançar objetivos" (ler matérias arquivo Sport Marketing -Depois do ouro, Cielo pensa em McDonald´s e em devorar títulos; Cielo agradece medalha aos patrocinadores e ao 'paitrocinador'; Xuxa vira gestor de atletas).

Redação Sport Marketing

Coritiba fecha patrocínio até fim do ano

A marca de computadores Positivo será a nova patrocinadora oficial do Coritiba. O contrato com a empresa, maior fabricante de computadores do Brasil, tem duração de quatro meses, período em que a empresa terá o direito de estampar a marca na frente e nas costas da camisa do time, explorar a comunicação visual no Couto Pereira, além de criar ações promocionais durante os jogos. “Temos utilizado o marketing esportivo como uma ferramenta estratégica para alavancar os nossos produtos. No caso do futebol, uma das paixões nacionais, acreditamos que é uma forma inovadora e promissora de promovermos a nossa imagem institucional” - disse César Aymoré, diretor de marketing da Computadores Positivo. A Computadores Positivo tem parceria com o Atlético desde o ano passado, para o qual fornece equipamentos de informática em troca de espaços publicitários na Arena da Baixada e no CT do Caju.

Redação Sport Marketing

ESPN de olho nos Jogos de 2014 e 2016

A ESPN Internacional está interessada em adquirir os direitos de transmissão dos Jogos Olímpicos de Inverno - 2014, que serão realizados em Sochi, Rússia e dos Jogos Olímpicos de Verão - 2016 cuja anfitriã será escolhida em outubro de 2009 entre Chicago, Rio de Janeiro, Madrid e Tóquio. A emissora pretende mostrar as competições ao vivo, independente da cidade escolhida como sede e do fuso horário. Entretanto, para conseguir esse feito, a ESPN terá pela frente a concorrência da NBC que em 2003, desbancou o Disney Channel, da ESPN, a Fox e ABC que fizeram uma oferta conjunta para o IOC - International Olympic Committee - Comitê Olímpico Internacional (COI) pelos direitos dos Jogos de 2010 e 2012. A NBC ganhou a licitação ao oferecer uma soma em torno de US$2.2 bilhões, que incluiu a GE - General Eltric como patrocinadora do programa de marketing TOP. ESPN/ABC certamente se encontrarão com a NBC no leilão pelos Jogos de 2014-16 leilão, com a FOX como terceira licitante. A FOX
nunca transmitiu os Jogos Olímpicos. A ABC já transmitiu 10 edições olímpicas entre 1964 e 1988, a NBC está transmitindo a 11° edição olímpica desde os Jogos de Moscou - 1980 Jogos, que os Estados Unidos boicotaram quando a emissora enviou uma equipe de produção para a União Soviética e mostrou os destaques das competições nos finais de semana. O livro Ouro Olímpico - a história do marketing dos aros, mostra toda a evolução das transmissões dos Jogos Olímpicos.

Redação Sport Marketing

Nike aposta no basquete americano na China

Nenhuma edição olímpica foi tão decepcionante para a estratégia de marketing da Nike quanto os Jogos de Beijing. Todas as grandes apostas da marca americana de materiais esportivos caíram por terra ou foram água abaixo. No Cubo D'água, a supremacia nas provas de natação foi da Speedo com Michael Phelps (ler matéria arquivo Sport Marketing - Speedo, medalha de ouro de marketing em Beijing), que roubou a cena, os refletores e os espocares das câmeras de todo o mundo. No 'Ninho de Pássaro', as provas de velocidade mais tradicionais do atletismo, ninguém bateu a Puma patrocinadora da delegação da Jamaica e do velocista Usain Bolt, grande estrela que sagrou-se o homem mais rápido do mundo (ler matéria arquivo Sport Marketing - Usain Bolt, o puma mais rápido do mundo). Esta foi a primeira vez que os Estados Unidos não conquistaram medalha de ouro nas provas de velocidade do atletismo, seja no masculino ou no feminino, desde os Jogos de Moscou-80, quando boicotaram os Jogos. Nos 110 metros com barreiras, outra prova tradicional do atletismo, a Nike também perdeu fichas com a contusão e desistência do ídolo chinês Liu Xiang (ler matérias arquivo Sport Marketing -Nike fica na pista com Liu Xiang; Liu Xiang e Fabiana Murer choram no 'Ninho de Pássaro'; Nike e Coca-Cola seguem com Liu Xiang; Liu Xiang tem pernas de 14 milhões de dólares). Isso sem contar que o uniforme idealizado pela empresa americana para as competições de atletismo, de tecnologia inovadora e design arrojado, não caiu nas graças dos atletas que abandonaram as luvas desenvolvidas para diminuir a resistência e o atrito do ar (ler matéria arquivo Sport Marketing - Nike lança uniformes olímpicos do atletismo). Nos gramados, a seleção brasileira masculina de futebol não teve o sucesso esperado. Ronaldinho Gaúcho fez sucesso, mas apenas fora dos campos e longe das câmeras da mídia internacional. A medalha de ouro da seleção americana de futebol feminino foi um alento para a marca que agora conta com os jogadores de basquete para garantir mais um momento brilhante e histórico nos Jogos. Kobe Bryant é a chave do marketing da empresa americana em Beijing. Não é à toa que Kobe está presente nas arquibancadas dos palcos de momentos decisivos dos Jogos como na arena de vôlei de praia, no Estádio dos Trabalhadores, na final do futebol feminino, no Cubo D'água durante as provas de natação, no 'Ninho de Pássaro' nas provas de atletismo. Kobe também é presença marcante nas ruas e outdoors de Beijing (ler matéria arquivo Sport Marketing - Kobe Bryant com bola e bolso cheios em Beijing; Kobe Bryant é Einstein). Ao lado de LeBron James, Bryant está entre as super-estrelas mais adoradas na China. O mercado chinês é crucial para a Nike que ultrapassou a marca de US$1 bilhão de vendas anual, fazendo do país o segundo maior mercado para a empresa sediada em Beaverton, que também está desbravando outros mercados como a Europa Oriental. Nas quadras de basquete a Nike pretende defender a posição dominante, principalmente, porque deseja desarticular a Adidas, que é a fornecedora oficial dos uniformes da Liga Americana de Basquete Profissional - NBA (ler matéria arquivo Sport Marketing - Nike x Adidas - histórica disputa olímpica; Nike x Adidas se preparam para números e pódios olímpicos). A Nike investiu alto nos Jogos Olímpicos de Beijing (ler matéria arquivo Sport Marketing - Gastos da Nike em publicidade e marketing preocupam), criou novos produtos para cada modalidade esportiva e equipou 22 das 28 federações americanas (ler matéria arquivo Sport Marketing - Nike estende patrocínio com USOC). A marca ainda espera que o retorno do evento patrocinado pela rival Adidas seja satisfatório.

Jing Wang - Correspondente Sport Marketing - China

Portugal já pensa em Londres 2012

O Comitê Olímpico de Portugal já pensa nos Jogos Olímpicos de Londres 2012. O COP mandou uma proposta de orçamento de 16.800 milhões de euros ao Governo português, para o próximo ciclo olímpico, que já inclui a participação nos Jogos da Juventude, agendados para Cingapura em 2010. Apenas a participação dos atletas portugueses em Londres poderá custar 12 milhões. Para os Jogos de Beijing o orçamento liberado pelo Governo foi de 14 milhões de euros.

Redação Sport Marketing

Michael Phelps nas caixas de sucrilhos

Super herói olímpico Michael Phelps, também mundialmente famoso como devorador de 'junk food', voltou a ter a imagem estampada nas caixas dos cereais Kellogg´s. Phelps, que endossa a marca, será o garoto propaganda dos cereais Kellogg's Corn Flakes e Frosted Flakese, numa edição especial limitada que estará nas prateleiras dos mercados americanos em setembro. Se por um lado, o endosso será lucrativo para a Kellogg´s, o endosso já está levantando polêmica entre nutricionistas e médicos americanos, que acham um absurdo, um campeão olímpico, colocar a imagem em um produto cujo teor nutricional é questionável. "Eu não considero os produtos Corn Flakes e Frosted Flakese como produtos olímpicos. É uma refeição incompleta. Eu considero o Corn Flakes e Frosted Flakese a comida de uma geração obesa, diabética." - disse a médica Rebecca Solomon do Hospital Mount Sanai Medical Center em entrevista ao Daily News. "As crianças costumam seguir modelos reais, não promotores de traição que negociam fama por dinheiro" - acrescentou. A polêmica gira em torno da delicada questão de que atletas deveriam ser mais cuidadosos com a qualidade dos produtos que endossam e avaliar a consequência das publicidades que realizam, pois o endosso é uma faca de dois gumes capaz, inclusive, de ferir a imagem de um campeão. Phelps, no caso, apesar de idolatrado nas piscinas começa a ser acusado de usar a condição de celebridade para promover produtos açucarados à uma geração de crianças americanas que já sofrem de taxas sem precedentes de obesidade e diabetes. "Ele agora prova que não é diferente de qualquer outra pessoa que empurra substâncias insalubres para crianças americanas. Por que Phelps não buscou outra companhia para endossar ou pelo menos um produto mais saudável?" - questiona a inconformada médida americana. Uma coisa é certa, enquanto os fãs de Michael Phelps engordam ou não, o nadador fica ainda mais rico (ler matérias arquivo Sport Marketing - Quanto vale Michael Phelps - o rei das piscinas?; Michael Phelps e oito medalhas de ouro, capa da Sports Illustrated; Omega reúne em Beijing a nata da história da natação; Michael Phelps chega antes em Londres para festa olímpica). Porém, o dinheiro pode não comprar de volta a oportunidade perdida para ter uma influência positiva na juventude de toda uma nação. Dara Torres, por exemplo, é garota propaganda da LivingFuel, uma marca de alimentos, que segundo os especialistas, é mais saudável. Aos 41 anos, Dara ganhou duas medalhas de prata nos Jogos Olímpicos de Beijing (ler matéria arquivo Sport Marketing -Veterana dos Jogos faz história em Beijing).

Sandra White - Correspondente Sport Marketing - Estados Unidos

Omega reúne em Beijing a nata da história da natação

O pavilhão da Omega viveu um dos grandes momentos do Olympic Park em Beijing, local onde os patrocinadores TOPs do IOC - International Olympic Committee - Comitê Olímpico Internacional (COI), realizam ações de marketing e exposições de produtos. A fábrica suíça de relógios, responsável pela cronometragem dos Jogos recebeu a visita de cinco embaixadores da natação no pavilhão. Os cinco atletas patrocinados pela marca, que segundo o livro Ouro Olímpico - a história do marketing dos aros (selo COB Cultutal) é parceria do Movimento Olímpico desde os Jogos Olímpicos de 1932, em Los Angeles, somam um total de 48 medalhas conquistadas em Jogos Olímpicos, sendo que 16 delas são do nadador americano Michael Phelps, a grande estrela da ação de marketing da Omega, que reuniu Natalie Coughlin, Katie Hoff, Alexander Popov e Ian Thorpe. Juntos eles heróis olímpicos quebraram dúzias de recordes mundiais e acumularam várias medalhas de ouro em competições internacionais. O evento 'bombou'. Mais de 200 membros dos internacionais se apertam no pavilhão da Omega, responsável pelo sistema de cronometragem dos Jogos Olímpicos e que já renovou contrato com o COI até 2012. Todos querim ver de perto, as lendas da natação da história olímpica deste século. "Eu nunca deixo de acreditar em mim mesmo" - disse o detentor de oito medalhas de ouro olímpicas nos Jogos de Beijing, Michael Phelps. "Eu nunca fiquei tão feliz em estar errado" - disse Ian Thorpe o australiano que estava entre as pessoas que dividaram da possibilidade de Phelps superar a marca histórica de Mark Spitz que nos Jogos de Munique ganhou sete medalhas de ouro na natação. Natalie Coughlin, detentora de onze medalhas olímpicas em Beijing, entrou para a história dos Jogos como a nadadora americana que mais ganhou medalhas em uma única edição olímpica e é um dos grandes nomes da Omega nas piscinas ao lado da jovem de 19 anos Katie Hoff, três medalhas olímpicas em Beijing, que é a mais jovem embaixadora da Omega na natação. "Os Jogos Olímpicos de Beijing têm sido uma grande experiência. É maravilhoso fazer parte do time americano. É uma atmosfera realmente especial" - disse Katie Hoff. "Apenas a Omega tem potencial para reunir num mesmo palco ídolos da natação e do esporte mundial como Ian e Alexander, duas lendas, Natalie que apenas em duas edições olímpicas ganhou 11 medalhas, Katie que é uma grande nadadora e se revela uma promessa e Michael Phelps que elevou a natação a um nível absolutamente novo" - disse Stephen Urquhart, presidente da divisão de natação Omega. (ler matérias arquivo Sport Marketing - O centésimo de glória da Omega em Beijing; Omega lança edição limitada de relógios olímpicos; Omega inaugura pavilhão em Beijing).

Deborah Ribeiro - Diretora Sport Marketing - Beijing 2008