18 de ago de 2008

GE esbanja tecnologia e números nos Jogos de Beijing

O pavilhão da GE no Olympic Park - Parque Olímpico (local reservado aos patrocinadores mundiais dos Jogos localizado entre o Estádio Nacional - 'Ninho de Pássaro' e o Parque Aquático 'Cubo D'água' é um verdadeiro espetáculo tecnológico. O General Electric Imagination Center é um verdadeiro centro de exibições de produtos GE que vão desde equipamentos de transporte, sistemas de segurança, passando por produtos relacionados a energia como turbinas de vento e até equipamentos médicos. Com os Jogos Olímpicos, a GE espera arrecadar cerca de US$1.7 bilhão em renda derivado de anúncios (a GE é do Grupo NBC Universal - rede de tv americana) e vendas de produtos industriais GE incorporados às instalações olímpicas, como, por exemplo, geradores elétricos. Em Beijing, a GE vendeu mais de US$700 milhões em produtos para o BOCOG - Beijing Organizing Committee Olimpic Games - Comitê Oganizadore dos Jogos Olímpicos de Beijing, inclusive equipamento de segurança para uma linha de metrô de Beijing e para o novo terminal do recém inaugurado aeroporto, além de equipamentos médicos instalados nos hospitais das Vilas Olímpicas e de 120 turbinas. Espera-se um lucro aproximado de mais de $150 milhões. A NBC Universal está a caminho para colecionar mais de US$1 bilhão em venda de espaços comerciais durante a mega histórica programação olímpica de 3.600 horas (ler matéria arquivo Sport Marketing - NBC fatura alto com Jogos Olímpicos; Patrocinador FIFA apóia NBC em Beijing; NBC e Microsoft driblam fuso horário olímpico; NBC se prepara para mega transmissão olímpica; NBC fará transmissão em vários idiomas dos Jogos de Beijing) da rede de tv detentora dos direitos de transmissão dos Jogos Olímpicos com exclusividade para os Estados Unidos até 2012. Numa cobertura jornalística sem precedentes, a NBC abriu seis canais a cabo. A cerimônia de abertura teve uma média de 35 milhões de espectadores e as provas de natação que mostraram a supremacia do norte-americano Michael Phelps no Cubo D'água (ler matéria arquivo Sport Marketing - A supremacia Phelps - medalhas 6 e 7 - o toque de Midas; Quanto vale Michael Phelps - o rei das piscinas?; Fenômeno Michael Phelps eleva índices de audiência) atingiram índices fenomenais. A NBC Universal pagou cerca de US$894 milhões pelos direitos de radiodifusão dos Jogos Olímpicos para os Estados Unidos. Por outro lado, a NBC já gastou mais de US$100 milhões em custos operacionais e de produção, que incluam câmeras de alta definição e os salários para a equipe olímpica da NBC composta por mais de 2.900 pessoas. O livro Ouro Olímpico - a história do marketing dos aros (selo COB Cultural), conta que a NBC está ligada ao Movimento Olímpico desde os Jogos de 1932, quando foi realizada a primeira transmissão por ondas de rádio dos Jogos Olímpicos de Los Angeles. Desde então, os Jogos Olímpicos têm sido um forte aliado da NBC por anos. No centenário olímpico, quando os Jogos foram realiados na terra da Coca-Cola, o evento de Atlanta, gerou US$75 milhões para a rede americana de televisão. A GE entrou recentemente para a lista dos patrocinadores TOPs do IOC - International Olympic Committee - Comitê Olímpico Internacional (COI), ao lado de outras doze empresas patrocinadoras mundiais: Coca-Cola, Lenovo, Atos Origin, Johson&Johnson, McDonald´s, Samsung, Panasonic, Manulife, Kodak, Visa, Omega (ler matéria arquivo Sport Marketing - Coluna Olímpica 7: G.E a luz dos Jogos; GE fecha com Comitê Olímpico espanhol).

Deborah Ribeiro - Diretora Sport Marketing - Beijing 2008

Empresas coreanas satisfeitas com investimentos em marketing esportivo

Algumas empresas coreanas já estão colhendo os frutos dos Jogos Olímpicos de Beijing graças ao desempenho dos atletas patrocinados. No centro das estratégias de marketing de patriotismo está o campeão mundial Park Tae-hwan, da Coréia do Sul, que ganhou a primeira medalha de ouro olímpica da natação para país na prova dos 400m livres. Park Tae-hwan, chamado "menino marinho" pelos coreanos, já tornou-se um ídolo na Coréia e estrela de uma lista de comerciais. Atualmente Park Tae-hwan aparece em vários comerciais de tv como do Kookmin Bank, SK Telecom, Lotte Chilsung e Basic House – uma marca de roupas para jovens. A SK Telecom, empresa de telecomunicações, é uma das companhias que estão se beneficiando com a imagem da estrela olímpica (ler matéria arquivo Sport Marketing - Efeito ouro olímpico movimenta marketing na Coréia). "A transmissão das provas de natação registrou quase 40% de audiência. Em cada break comercial, nós colocamos anúncios com Park Tae-hwan e acreditamos que o impacto do anúncio terá um impacto enorme - disse um representante da empresa. A popularidade de Park Tae-hwan também afetou o mercado de valores. As ações do Kookmin Bank e da SK Telecom subiram consideravelmente depois que ele ganhou as medalhas olímpicas. Os artigos e produtos endossados pelo atleta também sofreram o impacto da conquista olímpica e um consequente aumento na procura. Os jovens estão comprando o headset que ele usou antes das provas. As empresas que apostaram na imagem de Jin Jong-oh, medalha de ouro olímpica no tiro pistola até 50 metros, também estão colhendo os frutos do investimento em marketing esportivo. O grupo Hanwha Group, patrocinador dos atiradores coreanos desde 2002 e a KT estão em tremendo bom humor. Já a Hyundai-Kia está apreciando a popularidade da equipe corena de tiro com arco - medalha de ouro no masculino e feminino (foto) nos Jogos Olímpicos de Beijing. Já a Samsung, uma das patrocinadoras oficiais do IOC - International Olympic Committee - Comitê Olímpico Internacional (COI), está aproveitando o momento olímpico para melhorar a imagem da empresa manchada pelos escândalos envolvendo evasão de impostos. "As excelentes apresentações dos atletas coreanos estão desviando a atenção dos fãs do esporte locais. Enquanto mais espectadores assistirem aos atletas coreanos competindo, o logotipo da Samsung também será exposto. O impacto da exposição da imagem da marca será enorme" - disse um oficial da Samsung.

Redação Sport Marketing - Beijing 2008

Shawn Johnson vira estátua de manteiga

A ginasta americana Shawn Johnson, medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Beijing, teve a imagem eternizada na história de uma forma muito honrosa. É que o famoso museu de cera, Madame Tussuad fez uma escultura da atleta.O ineditismo, entretanto, é que a escultura foi feita em manteiga, ao invés de cera. O escultor planeja incluir uma viga de ferro na escultura. Uma coisa é fato: se Shawn Johnson souber aproveitar o momento, em breve, estará fechando patrocpinio com uma empresa de laticínios e derivados de leite, como manteiga.

Redação Sport Marketing

Nike lança série de anúncios em emissoras americanas

A fim de aproveitar o momento olímpico, a Nike lançou uma série de novos comerciais de tv com atletas olímpicos. Os comerciais exibidos em emissoras americanas em horário nobre, exalatam o espírito esportivo e a capacidade de superação. Sanya Richards, a seleção americana de softball e com a seleção americana de basquete são os protagonistas dos spots comerciais da marca. Em "Nós temos softball", a Nike destaca a paixão e compromisso da seleção americana em continuar a praticar o jogo, não importando as circunstâncias, já que o esporte daqui a quatro anos, nos Jogos de Londres, não fará parte do calendário olímpico. Participam do comercial as atletas Jessica Mendoza, Lauren Lappin, Vicky Galindo, Laura Berg, Andrea Duran e Stacey Nuveman que sorriem enquanto aparece na tela a frase: "nós temos softball, você pode ter todos os outros". O outro anúncio - "Um Sonho Adiado" , dá aos espectadores esperanças usando a imagem de Sanya Richards nos últimos dois anos. Depois de batalhar contra uma doença rara que ameaçou a carreira, Richards perseverou e retornou à ação mais forte do que nunca. O anúncio mostra Richards treinando e se preparando para retornar às provas de 400 metros. Os anúncios Nike são de 60 segundos e de 30 segundos e foram desenvolvidos pela agência Wieden+Kennedy de Portland. Um terceiro anúncio da maior fabricante de materiais esportivos também está sendo exibido nas telinhas americanas - "Unidos Nós Subimos" é um anúncio apresentando a seleção de basquete dos EUA.

Redação Sport Marketing

Felipão veste Armani no Chelsea

Luis Felipe Scolari vai abandonar o confortável uniforme e agora vai se vestir como um verdadeiro lord inglês. Scolari, técnico do Chelsea, vestirá um terno com agrife do estilista italiano Giorgio Armani. O terno oficial de Felipão será azul marinho com o escudo do clube no paletó, camisa branca em popeline de algodão e gravata em seda azul. A estilista italiano é o alfaiate oficial do Chelsea desde o ano passado e tem contrato com o clube está garantido até 2009. Os uniformes de campo do time são da alemã marca Adidas, fornedora de materiais esportivos do time inglês. Recentemente, o fenômeno do marketing inglês David Beckham estendeu o patrocínio com a marca (ler matérias arquivo Sport Marketing - Mural gigante de Beckham de cuecas pára o trânsito; David Beckham é garoto propaganda da Emporio Armani).

Redação Sport Marketing

Liu Xiang e Fabiana Murer choram no 'Ninho de Pássaro'

Quando o ídolo Liu Xiang, campeão olímpico em Atenas-2004, abandonou, mancando, a pista do 'Ninho de Pássaro' na primeira rodada dos 110 obstáculos de metros com barreiras, um profundo pesar caiu sobre uma nação inteira. Foi o dia em que a China chorou. O tendão de Aquiles foi o responsável por retirar de Liu Xiang um lugar no Olimpo, na mitológica história dos Jogos Olímpicos. Ídolo nacional, o tendão do jovem atleta de 25 anos, não suportou o peso da expectativa chinesa que o atleta carregava sobre os ombros. Depois da conqusita da primeira medalha de ouro chinesa na prova, nos Jogos Olímpicos de Atenas, Liu Xiang tornou-se a esperança asiática de ganhar uma posição de respeito no atletismo. O livro Ouro Olímpico - a história do marketing dos aros (selo COB Cultural) menciona os passos gloriosos do atleta cujo triunfo trouxe fama e uma fortuna estimada na região de US$23 milhões de dólares. A fama deste garoto que nasceu em Xangai, em 1983, é maior até mesmo do que a do gigante jogador de basquete Yao Ming. O ouro olímpico na Grécia e os recordes em mundiais fizeram de Liu Xiang o garoto propaganda de marcas famosas como Nike,VISA, Coca-Cola, Cadillac, como também marcas domésticas como a Yili e, também, uma das maiores fabricantes de cigarro da China, a Baisha (foto 2) a mais famosa, com vendas em torno de 75 bilhões de maços de cigarros ano. Na época, a associação do atleta com uma empresa de cigarros não foi bem aceita nem pelo BOCOG - Beijing Organizing Olympic Committee - Comitê Olímpico Organizador dos Jogos Olímpicos de Beijing e nem pelo governo chinês. Mas, o drama de Liu Xiang não foi o único do dia no 'Ninho de Pássaro'. Nas provas finais do salto com vara, foi a vez do Brasil se emocionar e se entristecer. A vara da esperança de medalha de Fabiana Murer não foi encontrada. Logo a vara da atleta que tem patrocínio de varas desde 2005. "Tenho um jogo completo de 11 varas de fibra de vidro. A vara que meu patrocinador me fornece é feita para mim. Tem flexibilidade adequada a mim, se ajusta a meu peso, minha altura" - disse a atleta. "Tenho muito dinheiro em varas. Cada uma que eu uso custa US$ 500. Eu tenho 11 vindas do meu patrocinador. Mas eu ainda guardo todas as varas da minha evolução, desde quando comecei. Eu tinha que trocar de vara para passar o 4,55m, mas quando fui procurar, não estava lá. A gente traz as varas num tubo, a organização passa o equipamento para um carrinho e leva para a área de competição. Nessa hora esqueçeram a vara para os 4,55m em algum lugar, não sei o que aconteceu - explicou. Patrocinada pelo BM&F BOVESPA, Nike e com apoio da Caixa Econômica, Fabiana desconcentrou-se procurando a vara que a organização não levou para a pista e, sem equilíbrio emocional para seguir adiante na prova, a atleta viu a chance de medalha lhe cair entre os dedos, devido a um erro da organização do evento. A prova terminou com o recorde mundial de Isinbayeva, saltando 5,05 m. A prata, porém, foi para a norte-americana Jennifer Stuczynski, com 4,80 m. Essa marca é justamente a mesma que o recorde pessoal da brasileira. O bronze foi para a russa Svetlana Feofanova. Se em Atenas 2004, Vanderlei Cordeiro de Lima foi vítima do erro da falta de segurança quando um lunático invadiu a prova da maratona e o impediu de ganhar o ouro, em Beijing 2008, a falta de organização da organização fez Fabiana derrubar lágrimas de tristeza por não poder disputar o ouro olímpico. A Fabiana coube o destino de se contentar com a medalha de ouro dos Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro (2007) e a barra de (1,5kg) que ganhou de prêmio da BM&F pelo Pan. A CAIXA, patrocinadora oficial da Confederação Brasileira de Atletismo desde 2001, ainda não se pronunciou com relação à fatalidade. O investimento inicial da CAIXA no atletismo foi de R$ 1,5 milhão, em 2001 e chegou a R$ 12 milhões, em 2008.

Deborah Ribeiro - Diretora Sport Marketing - Beijing 2008

Michael Phelps chega antes em Londres para festa olímpica

Micheal Phelps chega em primeiro nos Jogos Olímpicos de Londres! Oito medalhas de ouro em Beijing, batendo registro do Mark Spitz de sete medalhas douradas em uma única edição dos Jogos (1972 - Munique), somando 14 medalhas de ouro em três Jogos Olímpicos (Sidney, Atenas, Beijing), Michael Phelps larga mais uma vez na frente e estará em Londres, na festa que a capital da Inglaterra reserva para a noite em que a bandeira olímpica for entregue ao prefeito da cidade londrina durante a cerimônia de encerramento no 'Ninho de Pássaro'. "Será uma grande oportunidade para celebrar o sucesso dos Jogos de Beijing e o pontapé inicial a contagem para Londres 2012" - disse o herói olímpico de 23 anos, que nitidamente, demonstrou interesse em fazer parte da próxima edição dos Jogos de Verão. A VISA, patrocinadora de Phelps desde 2002 (ler matéria arquivo Sport Marketing - Quanto vale Michael Phelps - o rei das piscinas?), patrocinadora mundial do IOC - International Olympic Committe - Comitê Olímpico Internacional (COI), e também patrocinadora da festa que será realizada em Londres é quem está bancando a ida do atleta a Londres (ler matéria arquivo Sport Marketing (Visa patrocina festa olímpica em Londres; VISA inova para os Jogos de Londres 2012). Como publicou o Sport Marketing (ler matéria arquivo Sport Marketing - David Berkham orgulhoso com a cerimônia olímpica de encerramento), o jogador David Beckham será uma das estrelas da festa de encerramento. Faz parte da tradição que na cerimônia de encerramento, a sede seguinte dos Jogos faça uma apresentação de até oito minutos.

Leandro Rabello - Correspondente Sport Marketing - Londres

Nivea patrocina histórica medalha da vela feminina em Beijing

A primeira medalha da história da vela feminina brasileira foi conquistada pela dupla Fernanda Oliveira e Isabel Swan da classe 470. As meninas da vela, que treinam juntas desde 2005, conquistaram o bronze nas águas de Qingdao, costa leste da China. A dupla contou com o apoio da marca internacional de cosméticos Nivea que patrocinou a sexta medalha do país nos Jogos Olímpicos de Beijing, o quinto bronze do Brasil. A Confederação Brasileira de Vela paga as passagens aéreas, hospedagens, alimentação e traslados de todas as competições internacionais. As velejadoras, estavam em quarto lugar na classificação geral, somaram dois pontos e terminaram com 60 pontos perdidos garantindo lugar no terceiro degrau do pódio dos Jogos Olímpicos de Beijing. O ouro ficou com as australianas Elise Rechichi, com 43 pontos perdidos, e Tessa Parkinson e a prata com as holandesas Marcelien De Koning e Lobke Berkhout, com 53 pontos perdidos.

Redação Sport Marketing - Beijing 2008

Nike fica na pista com Liu Xiang

Mais uma estrela patrocinada pela Nike ficou na pista do Ninho de Pássaro em Beijing. Desta vez, as chances de aumentar visibilidade da empresa norte-americana na China e no mundo foi por terra quando o chinês Liu Xiang, campeão olímpico dos 110 metros com barreiras em Atenas-2004, desistiu de disputar a prova. Xiang alinhou para a última eliminatória da prova, mas após uma anulação de largada, ele parace ter sentido uma contusão e se retirou da pista deixando o público presente no Ninho de Pássaro decepcionado. Inconformado com a dor, Liu Xiang foi para os vestiários visivelmente desolado. Outra importante baixa na prova foi a do americano Terrence Trammel, vice-campeão mundial. Depois de conquistar o ouro nos 110 metros com barreiras nos Jogos de Atenas, o atleta fechou vários contratos de patrocínio e mudou radicalmente de vida. O recorde mundial de 12.91 segundos nos Jogos de Atenas (dois anos depois ele diminuiria a marca para 12.88 segundos), se transformou em milhões de dólares na vida do herói nacional chinês que, em poucos meses, assinou contratos de patrocínio e publicidade de marcas de carros, motocicletas, roupas esportivas (Nike), telefones celulares, refrigerantes (Coca-Cola), com a VISA e com a empresa chinesa Yili.

Redação Sport Marketing - Beijing 2008