11 de ago. de 2008

Nova propaganda olímpica da Coca-Cola

A Coca-Cola lançará uma nova campanha intitulada "Viva o lado Coca-Cola dos Jogos Olímpicos". Os três filmes produzidos tiveram animações 2D e 3D e serão exibidos em diversos países da América Latina.

Redação Sport Marketing

Vulcabras encerra primeiro semestre com lucro

A fabricante de calçados Vulcabras encerrou o primeiro semestre deste ano com lucro líquido de R$ 91,4 milhões. Os números representam crescimento de 49% em relação ao mesmo período de 2007, quando o ganho somou R$ 61,2 milhões. Os números já incluem o desempenho da Azaléia e da Indular, adquiridas no segundo semestre do ano passado pela Vulcabras. Entre janeiro e junho, a receita operacional bruta da companhia somou R$ 928,4 milhões, valor que supera em 17% o apurado no primeiro semestre de 2007. As vendas internas ficaram em R$ 783,42 milhões, com alta de 15%, enquanto as exportações renderam 145 milhões, com salto de 27%. Na Argentina, a receita em dólares cresceu 150% sobre o primeiro semestre de 2007. No mesmo intervalo de comparação, o custo dos produtos vendidos avançou 18%, para R$ 366,55 milhões, e as despesas operacionais recuaram 1%, para R$ 220,76 milhões. Com isso, a Vulcabras atingiu o montante de R$ 144,43 milhões em geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de impostos, juros, amortizações e depreciações).

Redação Sport Marketing

Light faz ação com filmes de esporte

Já está nos cinemas do Rio de Janeiro a dupla Asterix e Obelix, desta vez, em missão olímpica. A dupla que fez sucesso no ano de 1959 nas histórias em quadrinhos, embarca em mais uma aventura nas telas dos cinemas com “Asterix nos Jogos Olímpicos”. A Light, pegou carona no lançamento e no momento olímpico para fazer uma promoção. A empresa pretende levar os clientes para assistir a competição entre gregos e romanos. Além da divertida disputa esportiva com os heróis gauleses, os clientes da Light vão poder conferir no filme a performance do campeão do mundo pela seleção francesa de futebol Zinedine Zidane, do heptacampeão mundial de F1 Michael Schumacher, do astro da NBA, Tony Parker e da ex-número 1 do tênis feminino, Amelie Mauresmo. A empresa irá distribuir dois mil convites para os clientes que colocarem a conta de energia em débito automático. Para isso, basta levar um documento de identificação em uma das agências comerciais da Light participantes da promoção e fazer a solicitação ao atendente. A retirada dos ingressos será nas próprias agências. A promoção da Light em parceria com a PlayArte permanece até esgotarem os bilhetes.

Redação Sport Marketing

Kobe Bryant com bola e bolso cheios em Beijing

O astro da NBA Kobe Bryant esteve na arena de vôlei de praia e fez parte da torcida que assistiu à vitória da dupla Ricardo e Emanuel contra brasileiros naturalizados georgianos Renatão e Jorge (que atuam sob os nomes de Geor e Gia), por 2 sets a 0 (21-19 e 21-17). Kobe, que não trajava uniforme de passeio da delegação americana, idealizado pela marca Ralf Lauren e nem o uniforme da delegação americana idealizado pela Nike, mas sim uma camiseta vermelha com a marca Nike, patrociandora do atleta, ficou empolgado com o jogo que garantiu a classificação antecipada da dupla do Brasil , em 46 minutos (ler matéria arquivo Sport Marketing - USOC veste Polo Ralph Lauren) . Kobe Bryant é um verdadeiro ídolo na China. A imagem de Kobe Bryant está exposta em vários oudoors da Nike espalhados por Beijing. Além de grande astro, Kobe, da seleção americana de basquete e do Los Angeles Lakers, é o top do ranking dos atletas milionários que estão disputando os Jogos Olímpicos de Beijing. Kobe Bryant fatura, de acordo com a revista Forbes, 24,5 milhões de euros ano em salários na NBA. Isso, sem contar a grana preta com contratos de publicidade e patrocínio (ler matérias arquivo Sport Marketing - Kobe Bryant é Einstein; Nike apresenta uniformes olímpicos de basquete).

Redação Sport Marketing - Beijing 2008

Polícia alemã quer dinheiro dos clubes

Segurança na Alemanha vai custar caro. O sindicato da polícia alemã divulgou ao jornal alemão "Bild", que os clubes do país deverão pagar as despesas do policiamento nos estádios durante as partidas do Campeonato Alemão. "Queremos 50 milhões de euros (cerca de R$ 121 milhões). É quanto custa empregar nossos agentes em cada temporada" - disse o chefe do sindicato, Rainer Wendt., "Esse dinheiro até agora foi pago pelos contribuintes, para proteger jovens milionários vestindo calções" - destacou Wendt. De acordo com dados do sindicato, na temporada 2006/2007 foram utilizadas cerca de 975 mil horas de trabalho de agentes da polícia que trabalharam nos estádios durante os jogos. "Um número que corresponde ao trabalho anual de quase 960 policiais"- falou Wendt.

Redação Sport Marketing

Schenker esbanja experiência olímpica

A globalsportsevents, divisão da DB Schenker empresa alemã especializada na área de , com atuação também no Brasil e de forte experiência em Jogos Olímpicos, foi a empresa responsável pela logística do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e cuidou de toda a operação que envolveu os mais de 10 mil atletas dos 202 países presentes nos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Beijing. Nada pode dar errado – sob pena de a medalha ser perdida antes mesmo de a competição ser iniciada. " Já imaginou a responsabilidade por algum atleta abandonar uma competição porque seu equipamento se perdeu? " – disse o presidente da DB Shenker no Brasil, Eric Brenner. O serviço exige alto profissionalismo; não existe erro. Com relação ao esporte nacional, a DB Schenker firmou parceria com a confederação de Vela para o transporte dos equipamentos dos atletas. Para o COB, o trabalho consistiu no transporte e na logística dos materiais utilizados pela delegação brasileira na Vila Olímpica e na Casa Brasil, espaço de convivência montado pelo COB e pelo governo federal para divulgação do país durante os Jogos Olímpicos. A empresa também lida com a documentação, fiscalização entre as alfândegas chinesa e a brasileira. O trabalho da DB Schenker envolveu o transporte marítimo de 1,5 mil contêineres de 20 pés; carregamento aéreo de 2,5 mil toneladas de carga provenientes de países de todo o mundo para a China.

Redação Sport Marketing

Coca-Cola sai na frente mais uma vez

A Coca-Cola, patrocinadora dos Jogos Olímpicos desde 1928, com contrato estendido até 2020, segue com uma campanha de marketing exemplar. A maior fabricante de bebidas do planeta montou a maior campanha de Bluetooth marketing da história olímpica. A empresa fechou contrato com a Pioco, maior empresa de mídia da China Bluetooth, a qual distribuiu conteúdo gratuito sobre os Jogos Olímpicos de Beijing. Foram montadas centenas de “Bluetooth areas” ao redor dos estádios olímpicos, hotéis, restaurantes, cafés, clubes e ao longo de diversos locais de lazer em Beijing e Shanghai. Foram transmitidos vídeos com comerciais de tv da Coca-Cola para telefones celulares habilitados. A Coca-Cola acredita que a campanha alcançará consumidores até mais intuitivamente que as tradicionais formas de mídia.


Redação Sport Marketing - Beijing 2008

Judoca da Gol fatura segunda medalha brasileira em Beijing

Um ippon aos 23 segundos de luta garantiu a segunda medalha de bronze do Brasil nos Jogos Olímpicos de Beijing. Leandro Guilheiro, que sofreu três cirurgias antes de ir a Beijing, garantiu a medalha na categoria até 73 quilos de forma fenomenal. Patrocinado pela GOL, o atleta do Esporte Clube Pinheiros, subiu no pódio olímpico pela segunda vez na carreira, a primeira foi em Atenas 2004, quando ele conquistou a primeira medalha de bronze. Guilheiro honrou a tradição dos leves brasileiros. Desde Atlanta-1996, a categoria lutava por medalha. Em 1996, Sebastian Pereira foi derrotado. Em Sydney-2000, Tiago Camilo foi vice-campeão. E em Atenas-2004, o próprio Guilheiro já tinha ido ao pódio. É o primeiro judoca a conquistar duas medalhas em Olimpíadas seguidas. O único com dois pódios olímpicos é Aurélio Miguel, campeão em Seul-1988 e bronze em Atlanta-1996. Além de Leandro Guillheiro, a Gol, uma das empresas que mais cresce no mercado nacional e internacional, por meio do projeto “Gol Esporte” contempla oito atletas entre eles Tiago Camilo e Mayra Aguiar, do judô; Flávia Delaroli e o paraolímpico Clodoaldo Silva da natação; Ricardo Winicki (Bimba), do Windsurf; Adria dos Santos, do atletismo paraolímpico e João Fernando Nascimento, do tênis de mesa paraolímpico). A empresa não considera o projeto como investimento de marketing, sendo que o dinheiro do “Gol Esportes”, segundo o vice-presidente de marketing de serviços da Gol, Tarcísio Gargioni, “vem da área de Responsabilidade Social. A Gol apóia quatro áreas de responsabilidade social com projetos culturais, sociais, ambientais e esportivos. Para participar do Gol Esportes fomos buscar atletas jovens, determinados, arrojados e com potencial, assim como o DNA da nossa marca". Gargioni ressalta que os atletas também foram escolhidos por fazerem parte de projetos sociais e serem considerados líderes em suas comunidades.

Redação Sport Marketing - Beijing 2008

Brasil desencanta nos Jogos Olímpicos com atleta da BeloDente

Saiu a primeira medalha olímpica do Brasil. O judô conquistou a primeira medalha de bronze dos Jogos Olímpicos de Beijing e a primeira da história do judô feminino brasileiro. Em 1992, nos Jogos Olímpicos de Barcelona, o judô passou a ser disputado pelas mulheres e foi, justamente graças à Ketleyn Quadros, 20 anos de idade, que o Brasil subiu no pódio de Beijing após a judoca derrotar a australiana Maria Pekli na categoria leve. O judô passa a ser o esporte que trouxe 13 medalhas olímpicas para o país. Ketleyn Quadros é patrocinada pela empresa Belodente e treina no Minas Tênis Clube. Ketleyn Quadros se classificou para as Olimpíadas após Danielle Zangrando se lesionar no início do processo seletivo e não ter condições de disputar o circuito europeu.

Redação Sport Marketing - Beijing 2008

Timão lança "Sou Mano do Mano"

O departamento de marketing do Corínthians voltou a inovar e desta vez, surpreendeu. O time lançou a campanha "Sou Mano do Mano". Foram produzidas camisetas em homenagem ao treinador gaúcho que está há oito meses no clube. O lançamento faz parte da estratégia do clube para tentar manter o treinador na próxima temporada. "Estamos mais preocupados com o conceito da campanha do que com as vendas. Queremos que ele fique conosco em um projeto de longo prazo, por no mínimo três anos" - disse o gerente de marketing do Timão Caio Campos. A exemplo do São Paulo Futebol Clube, que prestou várias homenagens à Telê Santana depois que ele se aposentou, a ação do Timão pode ser considerada a primeira inciiativa de marketing para um técnico em atividade. A camiseta já está a venda nas lojas do oficiais do Timão pelo preço de R$ 39,90. A camiseta "Não Pára, Não Pára, Não Pára" teve 50 mil unidades vendidas e a modelo "Eu Nunca vou te Abandonar" teve vendas de 200 mil unidades. Para o lançamento da campanha, a Timão TV preparou um vídeo com personalidades fãs de Mano, entre elas Heródoto Barbeiro e o músico Derico.

Redação Sport Marketing

Schneider Electric reforça Jogos de Beijing

O que mantém os 258.000 m² do Estádio Nacional da China, o Ninho de Pássaro, aceso? A empresa responsável pelo controle de iluminação artificial é a Schneider Electric , que desenvolveu o sistema de energia capaz de fornecer iluminação adequada ao local, inclusive em cerimônias noturnas. A solução utiliza a rede EIB da Europa e conta com o Guia DIN, permitindo o controle manual e atendendo às regras internacionais KNX/EIB. A tecnologia da empresa também está presente na CCTV, emissora estatal chinesa e detentora dos direitos de transmissão dos Jogos, local responsável pela transmissão dos Jogos. A Schneider Electric, especialista mundial em gerenciamento de eletricidade e automação, criou uma série de soluções inteligentes para os Jogos Olímpicos de 2008, que acontecem em Beijing, na China. Ao total, a empresa forneceu soluções integradas para 47 projetos olímpicos, destinados aos estádios esportivos, aeroporto e metrô. Por meio de tecnologia sustentável, a Schneider Electric proporciou aos Jogos sistemas de energia inteligentes, seguros, eficazes e econômicos. "A Schneider está muito honrada em fazer parte dos Jogos Olímpicos de Beijing. Para as instalações do evento, desenvolvemos soluções inovadoras de gerenciamento de energia, que possuem forte capacidade de integração, além de redução de custos. Todas as tecnologias visam sempre a garantir a qualidade na distribuição de energia sustentável, segura, econômica e beneficiando a sociedade chinesa como um todo" - explicou Guy Dufraisse, presidente da Schneider Electric China. Outro benefício criado pela Schneider Electric é o controle de refrigeração, sistema capaz de garantir um ambiente adequado aos locais onde os equipamentos da CCTV ficam armazenados. Com o objetivo de fornecer uma distribuição de qualidade, foi desenvolvida uma unidade de processamento central que concentra os sistemas de controle da estação de refrigeração e do edifício. A solução fornece ampla ventilação, distribuição de água, iluminação e elevadores ao local. No Cubo d'Água, o Centro Aquático Nacional, a necessidade era o fornecimento de energia elétrica de maneira sustentável e com baixos custos. Pensando nisso, a Schneider Electric instalou no local de competição o transformador SCB10+, uma tecnologia patenteada da empresa que oferece proteção contra relâmpagos, além de um sistema de combate a incêndios com três níveis de proteção. Porta de entrada para o mundo inteiro, o Aeroporto Internacional de Beijing também possui uma solução desenvolvida pela companhia. Esta não é a primeira vez que a Schneider Electric se envolve com a realização dos Jogos Olímpicos. A empresa já forneceu soluções para os Jogos Olímpicos de Sydney (2000) e Atenas (2004) e para os Jogos de Inverno de Salt Lake (2002) e Albertville. Tecnologia. Outro evento de grande porte que contou com as soluções da Schneider Electric foram os Jogos Pan-Americanos de 2007, realizados no Rio de Janeiro (RJ). Nas instalações do Estádio Olímpico João Havelange, a empresa desenvolveu projetos e soluções direcionadas às necessidades de cada setor. Com faturamento mundial de 17,3 bilhões de euros em 2007, a companhia possui aproximadamente 120 mil funcionários em 106 países. No Brasil desde 1947, a companhia emprega cerca de 1,5 mil colaboradores e possui 13 filiais comerciais, 3,5 mil pontos-de-venda e quatro unidades fabris - São Paulo (SP); Guararema (SP), Sumaré (SP) e Curitiba (PR).

Redação Sport Marketing - Beijing 2008

As forças que movem o esporte nacional

O Brasil enviou para os Jogos Olímpicos de Beijing a maior delegação da história. Foram para a China 277 atletas, em 32 modalidades, com um recorde de 132 mulheres classificadas. Programas como Bolsa-Atleta, Lei de Incentivo ao Esporte e Lei Piva ajudaram nesta façanha do Comitê Olímpico Internacional (COB). "Este será o primeiro ciclo olímpico completo com a verba da Lei Piva. Se há mais apoio, mais verba, mais estrutura, o lógico é que em Beijing as performances sejam melhores, com mais finais e medalhas" - afirmou o ministro do Esporte, Orlando Silva, na Casa Brasil. Porém, a lógica do Ministro não está sendo espelho da realidade. Os resultados do Brasil até o momento, comprovam a máxima de que quantidade não é qualidade. Desde 2002, a lei repassa 2% da verba das loterias federais às federações esportivas brasileiras. Já o programa Bolsa-Atleta garante garante que atletas de alto rendimento, sem patrocínio, consigam se manter no esporte. Criada em 2005, o Bolsa-Atleta já distribuiu cerca de quatro mil bolsas, nas categorias Estudantil (R$ 300), Nacional (R$ 750), Internacional (R$ 1.500), Olímpica e Paraolímpica (R$ 2.500). A Lei de Incentivo ao Esporte aprovou projetos para Beijing. O COB captou mais de R$ 23 milhões e o Comitê Paraolímpico Brasileiro, R$1,94 milhão para a preparação dos atletas. A lei foi sancionada em 2006, e permite que patrocínios e doações para a realização de projetos desportivos e paradesportivos sejam descontados do Imposto de Renda. Não há como negar a participação efetiva de patrocinadores como a Petrobras que investiu R$ 28,8 milhões em ações de marketing esportivo neste ano. O patrocínio ao COB, no valor de R$ 26 milhões, corresponde à maior fatia do bolo. O apoio ao projeto "Preparação das Equipes Brasileiras para os Jogos Olímpicos Beijing 2008" foi garantido no fim do ano passado. A empresa já era uma das patrocinadoras oficiais do COB no ciclo olímpico 2005-2008. Já para o CBHb, a Petrobras destina, atualmente, R$ 2,8 milhões por ano. O patrocínio inclui as seleções brasileiras adulta, júnior, juvenil e cadete, e tem como principais objetivos a democratização, o desenvolvimento e o fortalecimento do handebol brasileiro por meio do apoio permanente às seleções olímpicas masculina e feminina e às seleções de base.

Redação Sport Marketing - Beijing 2008 - Foto: Claudia Liechavicius

Meio Ambiente: Aon cria seguro ecológico

A exemplo do IOC - International Olympic Committee - Comitê Olímpico Internacional (COI), responsável pela criação de um programa de construções de instalações esportivas ecologicamente corretas, A Aon Corporation lançou o "Programa de Construção de Propriedade Verde." De acordo com a empresa, tratam-se de soluções de seguro que ajudarão os empresários a realizar construções comerciais "ecologicamente corretas" e energeticamente eficientes. A cobertura é oferecida como uma melhoria da apólice Aon's Global Property e protege propriedades certificadas e não-certificadas ecologicamente e garante reembolso para reparos ou reposição de componentes que possuem o certificado de "construção verde". Assim, os proprietários serão estimulados a sempre fazerem um "upgrade" nos componentes "verdes".

Redação Sport Marketing

A supremacia Phelps - medalha 2

A cena de Michael Phelps urrando em estado de glória, após a conquista
da medalha americana de ouro no revezamento 4 x 100 m livre me lembrou a trajetória vitoriosa de outro nadador, Johnny Weissmuller, um dos maiores fenômenos da natação nos Jogos Olímpícos de 1924 e 1928 quando ganhou todas as provas rápidas. Johnny Weissmuller foi o primeiro da história olímpica a completar nas provas de 100 metros em menos de 1 minuto e em menos de cinco minutos nas provas de 400 metros. Na época, sem maiôs super rápidos e sem a ajuda tecnológica das marcas de materiais esportivos, o feito era fenomenal ! Estabeleceu 28 recordes mundiais e os feitos de Johnny Weissmuller foram tão significativos que a Associated Press votou nele como o melhor nadador da primeira metade do século vinte. Foi o primeiro nadador da história a fazer publicidade e fechar um contrato milionário, na época, com a marca de roupas de natação BVD Underwear Co, o primeiro contrato de patrocínio da carreira do atleta que se tornaria também ator. Como ator, Johnny Weissmuller também urrava de alegria, como fez Michael Phelps, ao sentir a aproximação da segunda medalha de ouro olímpica que o deixou ainda mais próximo da missão de bater o feito do lendário Mark Spitz. Diga-se de passagem, o grito de Johnny Weissmuller o tornou mais famoso do que as medalhas olímpicas que conquistou. Weissmuller foi o primeiro ator a fazer o papel de Tarzan, em Hollywood. O grito do Tarzan na selva e a frase “Me Tarzan, you Jane” – são as performances mais famosas do cinema Hollywoodiano. Em 1931, a Metro-Goldwyn-Mayer (MGM) assinou com ele um contrato de sete anos. Em 16 anos, Weissmuller foi o protagonosta de doze filmes como Tarzan (fonte: Ouro Olímpico - a história do marketing dos aros - Selo COB Cultural). Tá certo que a beleza depõe contra Michael Phelps, mas esperamos que ele continue urrando de felicidade enchendo de heroismo os Jogos Olímpicos de Beijing.


Deborah Ribeiro - Redação Sport Marketing-Beijing 2008 - Fotos: arquivo New Gap Productions - Soluções em Mídia

Li Ning - príncipe dos ginastas e rei do marketing olímpico chinês

A cena do príncipe dos ginastas chineses Li Ning flutuando, caminhando no ar, com a Tocha Olímpica na mão rumo a pira olímpica do Estádio Nacional, o Ninho de Pássaro, ficará gravado na memória dos espectadores e apaixonados pelo esporte em todo o mundo (foto 1). A carreira de Li Ning, 44 anos, como ginasta foi histórica. Ganhou seis medalhas olímpicas. Foi o atleta mais vitorioso nos Jogos de Los Angeles-1984, quando a China encerrou um hiato de 32 anos afastada dos Jogos Olímpicos. Na ocasião, conquistou três ouros, duas pratas e um bronze. Ganhou 13 títulos internacionais individuais importantes e um por equipe, o Mundial de 1983. Em 2000, entrou para o Hall da Fama da Ginástica Internacional e considerado o maior atleta chinês do século 20. Li Ning se aposentou depois de não conseguir subir no pódio dos Jogos de Seul-1988. Aposentou-se do esporte, mas não se afastou do universo do sport business. Decidiu reverter os ouros olímpicos e a fama adquirida em dinheiro. Tornou-se empresário - um próspero empresário. Fundou uma grife esportiva batizada com nome dele, a qual, neste ano colocou 20 milhões de ações da empresa à venda por 50 milhões de dólares. A empresa do ex-atleta é a primeira marca esportiva nacional da China e tem cerca de 10% do mercado local. A marca está presente em vários pontos de Beijing, inclusive no aeroporto (foto 2), ao lado do logo do Comitê Olímpico Sueco. Não foi à toa que Li Ning foi escolhido para ser o protagonista do momento maior da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Beijing. Com o sucesso no esporte e nos negócios, Li representou, na cermônia de abertura, a força do sistema esportivo chinês, inspirado no modelo soviético e, também, do empreendedorismo e riqueza do peculiar capitalismo local. Enquanto o atleta fazia a inesquecível performance no topo do Estádio Nacional, no gramado, a delegação sueca e a espanhola trajavam roupas da marca que é um sucesso incontestável na China, mas que tem sido o centro de polêmicas nesta edição olímpica. A marca ainda desconhecida (para o resto do mundo) parece se inspirar nas grandes marcas ocidentais. O logotipo da companhia, por exemplo, é muito parecido com o da Nike. Com relação à isso, Li Ning argumenta que marca representa as iniciais do nome dele e o design refere-se a um atleta em ação nos aparelhos da ginástica. O slogan da marca de Li Ning também é outro ponto que tem dado o que falar. É exatamente o contrário afirmativo do slogan da Adidas. Enquanto a Adidas diz: "Impossible is nothing", a Li-Ning vira o avesso do avesso para dizer o mesmo: "Anything is Possible". Como se não bastasse, a empresa tem sido acusada de práticas de marketing de emboscada. A Li Ning fabricou os uniformes da equipe da tv estatal CCTV, detentora dos direitos de transmissão dos Jogos. Sem ter pago cota de patrocínio ao BOCOG - Beijing Organizing Committee Olympic Games - Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Beijing, a marca Li Ning está garantindo exibição na maior rede nacional chinesa diariamente. Li Ning alega que a empresa fechou contrato diretamente com a CCTV e que o acordo não fere as regras do IOC - International Olympic Committee - Comitê Olímpico Internacional (COI) e nem do BOCOG. Realmente, Li Ning, que tem várias lojas em Beijing e outras cidades da China (foto 3 e 4) foi mestre na articulação do marketing da empresa ao fornecer os uniformes da equipe técnica e dos repórteres da emissora, garantindo assim, a exibição da marca 24 horas por dia, lincando-a ao mega evento dentro da China, mercado que interessa ao empresário, sem ter pago os milhões exigidos pelo COI ou pelo BOCOG pelo direito de patrocínio. Os repórteres e equipes da CCTV desfilam com o logo da emissora de um lado e da fábrica de materiais esportivos Li Ning do outro pelo IBC - International Broadcast Center - Centro de Transmissão dos Jogos e nas instalações olímpicas. A CCTV, diga-se de passagem, durante as trasmissões para a China, não esconde os laptops Lenovo, nem a marca Haier nos cinco mascotes (Fuwa). No mês passado, Li Ning propôs cancelar o contrato com a CCTV durante os Jogos, mas, o COI autorizou a ação, por considerar que não violava as regras do markeitng olímpico. Li Ning, então, levou avante o negócio. Mas, nenhum dos casos destacados até aqui tiveram mais impacto do ponto de vista de marketing do que o fato de Li Ning ter sido o protagonista do momento máximo da cerimônia de abertura dos Jogos de Beijing, o que, indiretamente, garantiu à marca Li Ning uma exposição de marketing sem igual e uma forte influência e credibilidade no mercado chinês e, agora, mundial. O retorno de marketing e de visibilidade dos passos de Li Ning por toda a extensão do Ninho de Pássaro, apenas podem ser comparados com o retorno que a Lenovo, empresa idealizadora da Tocha Olímpica que ele carregava nas mãos. O ascendimento da pira olímpica foi o momento de glória de duas marcas-Lenovo e Li Ning. Importante salientar, que o design da pira respeitando o mesmo estilo da Tocha criada pela empresa chinesa, irá eternizar o nome da Lenovo nas páginas dos Jogos Olímpicos e do esporte chinês, uma vez que permanecerá no Estádio lembrando a todos a participação e a primeira e última participação da marca do Movimento Olímpico, uma vez que a Lenovo não renovou contrato com o COI para o próximo quadriênio. Li Ning, o príncipe dos ginastas, tornou-se em 2008 o rei do marketing olímpico e esportivo da China. A medalha de ouro de marketing da cerimônia de abertura é de Li Ning. (ler matéria arquivo Sport Marketing - Especial: Li Ning, a marca que venceu Nike e Adidas).

Deborah Ribeiro - Diretora Sport Marketing - Beijing 2008 - Foto: Claudia Liechavicius

Seleção de futebol veste Olympikus

A seleção brasileira de futebol finalmente se rendeu às regras da Carta Olímpica e do departamento de marketing do IOC - International Olympic Committee - Comitê Olímpico Internacional (COI). Os jogadores desembarcaram em Qinhuangdao com uniforme completo (camisas e agasalhos) da Olimpikus, a patrocinadora oficial do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e de toda delegação olímpica na China. Patrocinada pela Nike, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), retirou o distintivo das camisas de jogo dos jogadores que vão usar o material da Olympikus nos hotéis, concentração e nos treinos. Nos jogos oficiais olímpicos, os jogadores e a comissão técnica usarão roupas da Nike (sem o escudo da CBF). A CBF, que tem na figura histórica de João Havelange, que também é membro decano do COB, um dos nomes importantes na candidatura do país aos Jogos Olímpicos de 2016 (ler matéria arquivo Sport Marketing - Seleção obedece regras do COI e joga sem escudo da CBF; Afinal, com que roupa a seleção de futebol joga?).

Redação Sport Marketing - Beijing 2008