23 de jul. de 2008

Equipe de Graham Rahal fecha novo patrocínio

A Newman-Haas-Lanigan, equipe do piloto Graham Rahal, anunciou a assinatura de contrato de patrocínio com a farmacêutica Rexall. A empresa, que também patrocina a única prova disputada no Canadá em 2008 terá a marca no carro braco do piloto.“Estamos contentíssimos por estampar um grande patrocinador como a Rexall no nosso carro. A Newman-Haas-Lanigan venceu duas das três provas em Edmonton da Fórmula Mundial e nos sentimos em casa nesse circuito. Estou ansioso para fazer um bom trabalho pela equipe e nossos parceiros” - disse Rahal. Os termos financeiros do contrato não foram divulgados, mas a Rexall revelou que pretende utilizar o espaço publicitário no carro também para incluir o logotipo do time local de hockey no gelo, o Edmonton Oilers.

Redação Sport Marketing

Mercado: McDonald's alcança lucro recorde

A maior rede de lanchonetes do mundo anunciou lucro recorde no segundo trimestre de 2008, puxada para cima pelas vendas fora dos Estados Unidos. O McDonald's, patrocinador do Movimento Olímpico, teve lucro foi de US$ 1,2 bilhão, ou US$ 1,04 por ação. No mesmo período do ano passado a empresa teve prejuízo de US$ 711,7 milhões (na ocasião, a empresa tinha vendido suas operações na América Latina). O resultado foi acima do esperado. Segundo pesquisa da Thomson Financial, a aposta era de um lucro por ação de 0,86. De acordo com a empresa, o desempenho foi positivo graças às vendas da linha de produtos de baixo preço. O lançamento de novos produtos no cardápio, como pratos temáticos lincados aos Jogos Olímpicos, e outros ítens de café-da-manhã, lanches com frango e cerveja, também colaboraram para a alta.
Redação Sport Marketing

Mercado: PepsiCo divulgou lucro líquido

A PepsiCo divulgou lucro líquido de US$ 1,7 bilhão no segundo trimestre de 2008. Os números equivalem a um aumento de 9% dos US$ 1,56 bilhão apurados com de 2003. O ganho por ação foi de US$ 1,05, pouco acima das expectativas de analistas. As receitas cresceram 14% nessa comparação, somando US$ 10,95 bilhões graças ao aumento das vendas fora dos Estados Unidos. O volume global de vendas da companhia aumentou 5%. Nas Américas, a comercialização de alimentos das marcas da empresa subiu 2%, mas a de bebidas caiu 1%. Nos outros continentes, a venda de lanches cresceu 10% e a de bebidas avançou 13%. Para o ano de 2008, a meta da empresa é registrar lucro por ação de pelo menos US$ 3,72 e crescimento de 3% a 5% no volume de vendas. Também está nos planos a recompra de US$ 5,3 bilhões em ações, a depender das condições do mercado.

Redação Sport Marketing

Nike acusada de propaganda homofóbica

A notícia correu por diversos blogs gays norte-americanos. A Nike espalhou por pontos em Nova York uma série de anúncios que mostra jogadores de basquete em posições, digamos, homoeróticas com destaque para a frase “That Ain´t Right” (Isso não está certo) -, que os blogs interpretaram como homofóbica. “Todos os anúncios brincam com a idéia de como é péssimo a cara de um homem estar próxima à virilha de outro homem” - destacou o Towleroad. “Uma interpretação possível é que a Nike seria irresponsável por fomentar e apoiar a homofobia na comunidade negra, onde as taxas de infecção pelo HIV são maiores e a homofobia é, assim, mais letal. O oposto, uma interpretação mais restrita, seria a de que o basquete é um esporte cheio de homens negros nas categorias mais elevadas e, assim, utilizar gírias faladas por eles em um anúncio dirigido especificamente a jogadores de basquete é natural e correto” - observou o blog Gawker. Os anúncios da Nike foram criados pela agência Wieden + Kennedy. Considerada uma das empresas mais tolerantes dos Estados Unidos, a Nike alcançou em 2003 pontuação máxima no Índice de Igualdade Corporativo, ranking anual promovido pela ONG Human Rights Campaign que lista as melhores empresas para gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros trabalharem.

Redação Sport Marketing

BOCOG - olho no gato e no peixe

O BOCOG - Beijing Organizing Committee Olympic Games - Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Beijing pretende seguir a risca a Carta Olímpica e impedir a qualquer custo ações de marketing de emboscada. De acordo com o jornal "South China Morning Post", o BOCOG proibiu uso de roupas, bandeiras e cartazes com motivos comerciais, ambientais, religiosos, políticos, militares ou ligados aos direitos humanos durante os Jogos. Outra medida é a proibição de torcedores com peças iguais, estratégia de marketing de guerrilha que pode ser usada por alguma empresa que não seja parceira do evento. Segundo o BOCOG, o caso não se aplicará a famílias, casais e grupos pequenos e de torcedores, mas desde que sejam roupas usadas no dia-a-dia e que não tenham "intencionalidade" alguma. As restrições permitirão que o BOCOG possa também controlar manifestações como a do grupo ativista dinamarquês "Cor Laranja", inspirado nos monges birmaneses, o qual, entre outras ações, usa roupas de cor laranja e até descascam a fruta numa alusão de que o sistema "não funciona". Também não serão permitidas bandeiras de países e regiões que não participam do evento, bem como todo objeto que possa causar dano físico aos espectadores, inclusive guarda-chuvas de cabo longo e até isqueiros. A medida é válida também para os animais, exceto aqueles que cumprem a função de guia. Outras restrições se referem a fumar fora das áreas onde isso é permitido, permanecer em pé por mais tempo do normal nas arquibancadas em detrimento da visão dos demais espectadores, e portar apitos.Com o objetivo de conseguir uma maior difusão, os organizadores entregaram um folheto com todas estas regras junto com as entradas às sedes. No caso dos visitantes de outros países, poderão consultá-las na Internet ou telefonar para o número "12308". Os esforços pelo 'fair play' também nas arquibancadas tiveram como expressão precoce o início, no mês passado, dos ensaios de 800 mil voluntários para aplaudir os competidores, tanto aos de casa como os de fora. Essa demonstração de apoio e respeito inclui uma aclamação de quatro passos e lemas fáceis de aprender, enquanto protagonistas vestem roupa esportiva. As normas também estipulam escutar os hinos nacionais em pé. O Comitê Organizador da 19.ª Olimpíada lançou também a campanha "Bons hábitos, para bons jogos", quando mais de quatro milhões de famílias receberam manuais de protocolo como parte dos esforços com esse fim. A preparação nesse sentido abrangeu também 870 mil taxistas, funcionários públicos, arrumadeiras e motoristas de ônibus, entre outros.

Redação Sport Marketing

Mercado: Apple tem lucro de US$ 1 bi

A Apple conseguiu entre abril e junho de 2008 um lucro líquido de US$ 1,070 bilhão. O valor é 31% maior em comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com a empresa, o volume de negócios chegou neste período, correspondente ao terceiro trimestre do atual ano contábil, aos US$ 7,460 bilhões, 38% a mais que em 2007. Segundo a Apple, a melhora nas receitas deve-se, principalmente, às fortes vendas de computadores Macintosh e do iPod. A companhia com sede na Califórnia (Estados Unidos) distribuiu entre abril e junho, aproximadamente 2,5 milhões de Macs, 41% a mais que no mesmo trimestre de 2007, e 11 milhões de IPods, alta de 12%. Steve Jobs, executivo-chefe da Apple, disse que a empresa "marcou um novo recorde nas vendas do Mac" e aumentou o faturamento graças ao iPhone 3G. "Estamos muito ocupados terminando alguns novos e maravilhosos produtos para lançar nos próximos meses", acrescentou Jobs em comunicado. No último ano, a Apple obteve clientes no mundo todo graças a seu popular celular iPhone, cuja versão 3G começou a ser vendida em 11 de junho em 21 países. Entretanto, o telefone representa, por enquanto, cerca de 5% de seu volume de negócio internacional. A Apple também divulgou as previsões de resultados para o atual trimestre, que mostraram ser um pouco inferiores ao previsto pelos analistas. A empresa espera obter um lucro líquido por ação de US$ 1 e alcançar um faturamento de US$ 7,8 bilhões. Wall Street tinha previsto um lucro por ação de US$ 1,25 e um volume de negócios de até US$ 8,3 bilhões, graças, em parte, ao sucesso de vendas do iPhone. Como resultado, as ações da Apple caíram ligeiramente após suas contas do último trimestre serem conhecidas e até às 18h44 (Brasília) perdiam 4,8%, para US$ 158.

Redação Sport Marketing