26 de mai. de 2008

Penalty fecha parceria com a Cavalera

A Penalty, fornecedora de material esportivo da Portuguesa, fechou parceria com a Cavalera, marca de roupas para jovens, para desenhar o terceiro uniforme do time. A Lusa planeja lançar um terceiro uniforme preto, cor bem diferente do tradicional e conta com a opinião do torcedor para definir qual o design será usado. Para isso, a Lusa colocou no site oficial do time uma enquete no qual os torcedores pdoerão opiniar entre quatro opções de modelos. As camisas pretas terão gola cinza, uma faixa vermelha em uma manga e uma faixa verde na outra. O primeiro modelo tem apenas detalhes em amarelo, o segundo destacam-se recortes vermelhos sob os braços, o terceiro possui verde nesse recorte vermelho e a última opção apresenta apenas duas faixas verticais do lado direito (uma vermelha e outra verde). Na manga das camisas, as palavras "Esperança" e "Coragem" estão escritas com listras verdes e vermelhas. Nas costas, abaixo do número, a frase é "Orgulho de ser Lusa".

Redação Sport Marketing

Mercado: Versão genérica do iPhone

A versão genérica do iPhone já está à venda no mercado americano e é descartável. O HOP1800, da Hop-on custa apenas 10 dólares nos Estados Unidos. A fabricante chama o aparelho de "anti-iPhone", contrapondo a simplicidade do celular descartável à sofisticação do smartphone da Apple. O aparelho é pré-pago e usa a tecnologia GSM. É dual-band, disponível em duas versões: 850/1900 MHz ou 900/1800 MHz. Pesa 77 gramas. Longe do estilo do aparelho da Apple, a versão genérica, apesar de mais barata, não tem visor. Segundo a empresa, a bateria dura 4 horas de conversação ou 150 horas em modo espera (stand by). Os ringtones são polifônicos. O HOP1800 já está à venda em drogarias e lojas de conveniências. A Hop-on estimula que o celular seja devolvido à empresa para ser reciclado, oferecendo um crédito de 5 dólares. Outro modelo de celular descartável já está sendo vendido pela Hop-on no mercado europeu, por cerca de 13 euros.

Redação Sport Marketing

Mercado: Guaraná Antarctica lança Guarah

A Guaraná Antarctica lança o Guarah, um novo produto que chega ao mercado com a meta de impulsionar ainda mais a categoria inaugurada pela H2OH!. O desenvolvimento do novo produto levou mais de um ano e foi conduzido apenas pelas duas pessoas que conhecem a fórmula do Guaraná Antarctica. Guarah tem como principal destaque o líquido que, mesmo contendo extrato natural de guaraná, como o refrigerante, é incolor, uma inovação jamais realizada no mundo. O resultado final foi avaliado como excepcional em várias pesquisas realizadas pela empresa durante o processo de desenvolvimento. De acordo com Adrianne Elias, gerente de marketing de refrigerantes e não-alcoólicos da AmBev, o Guarah tem papel determinante no portfólio de não alcoólicos da AmBev. “Guarah teve ótimos resultados nas pesquisas com consumidores, porque conseguimos inserir o sabor do verdadeiro guaraná, o Guaraná Antarctica, de forma leve e suave, garantindo total adequação de Guarah à expectativa do consumidor para este tipo de produto. E esse sabor é o grande diferencial de Guarah que, por enquanto, é exclusividade dos brasileiros, que recebem o primeiro produto do mundo com sabor guaraná nesta nova categoria. Vale ressaltar que refrigerante sabor guaraná é o segundo mais consumido no país, sendo o dobro de produtos a base de laranja e quase quatro vezes dos a base de limão” - disse Adrianne Elias. Além da fórmula secreta, Guarah também herdou o misticismo indígena que existe em relação à origem do Guaraná Antarctica. A AmBev foi buscar nas lendas dos índios Saterê Maués o nome do novo produto que significa “ave das águas” e a mesma era conhecida pela leveza nos vôos e nos movimentos e por viver em locais de água pura, referência importante para os índios, pois ali eles montavam as aldeias.

Redação Sport Marketing

Mercado: Petrobras e Caixa Econômica Federal patrocinam Parada Gay

A Parada Gay de São Paulo recebeu neste ano, novamente, o apoio de estatais como Petrobras e Caixa Econômica Federal. De acordo com o coordenador-geral da Parada Gay, Manoel Zanini, o evento que este ano recebeu o tema "Homofobia mata-Por um Estado laico de fato", a teve investimento de R$ 1 milhão. Segundo Manoel Zanini, cada real investido traz um retorno para a cidade de R$ 169. O evento movimentou, portanto, R$ 169 milhões na capital paulista. "Com uma taxa de retorno dessa magnitude, sugiro que as ações da Parada devam ser negociadas na Bolsa de Valores" - afirmou Zanini. O evento que está na décima segunda edição reuniu aproximadamente 5 milhões e meio de pessoas no trajeto que tem a Avenida Paulista, coração comercial do país, como palco principal. A Fecomercio-SP (Federação do Comércio do Estado de São Paulo) pretende criar um selo para estabelecimentos que respeitem a diversidade sexual. A iniciativa partiu após uma pesquisa realizada pela Fecomercio com o público que freqüentou a feira GLBT, realizada na praça da República, no centro de São Paulo, na qual foi constatado que dos freqüentadores, 12% eram heterossexuais. A pesquisa revelou que dos entrevistados, 61% se sentem bem atendidos nos estabelecimentos comerciais da cidade, mas 39% disseram que o atendimento às vezes deixa a desejar. A pesquisa apontou também que 22% dos entrevistados se dizem vítimas de hostilidade quando vão às compras por causa da orientação sexual e 59% dos entrevistados disseram que não retornam aos estabelecimentos em que são maltratados. Do total, '31% procuram a Justiça; 5% o Procon e 5% não fazem nada'. Do total de entrevistados, 80% aprovaram o selo da diversidade e 70% consideraram importante a criação desta identificação. O governo federal desenvolve um projeto denominado "Brasil sem Homofobia". Só em 2007 foram beneficiados mais de 300 eventos, incluindo paradas, congressos, seminários, mostras de cinema, peças de teatro, atividades esportivas, entre outros.

Redação Sport Marketing