18 de abr. de 2008

Não é "Mosley", não!

Demorou, mas escândalo sexual envolvendo o presidente da FIA, Max Mosley respingou na F1 e nas empresas que estão ligadas ao circo do automobilismo. Porsche e Volkswagen desistiram de participar da F-1. Alegaram que os boatos fizeram com que o esporte deixasse de ser atraente para as montadoras. O presidente da Volkswagen, Ferdinand Piech disse à revista alemã "Stern" que investir 300 milhões de euros por ano é queimar dinheiro. "E depois do caso de Max Mosley com as mulheres, não seria muito agradável se envolver na F-1 agora", acrescentou Wolfgand Porsche, da Porsche. A Porsche está no processo de aquisição da maioria das ações da Volkswagen. Ambas as companhias alemãs foram vistas como participantes potenciais da F-1 no passado. As montadoras alemãs Mercedes, que detém 40% da McLaren, e BMW lançaram um comunicado conjunto neste mês, questionando o futuro do inglês na direção da categoria. A FIA marcou uma reunião para votar o caso Mosley.

Redação Sport Marketing

Templo budista fecha as portas à Tocha de Beijing

A Chama Sagrada de Olympia acesa em comemoração aos Jogos Olímpicos de Beijing segue em peregrinação pelo mundo suportando os carmas da discórdia chinesa. A Tocha, chamada de Nuvem da Esperança, pela Lenovo, empresa que idealizadora e patrocinadora do Revezamento , já está na capital tailandesa Banguecoque, depois de uma passagem relâmpago por Nova Deli, na Índia. No Japão, a Tocha de Beijing já inspira problemas. O templo budista de Zenkoji, em Nagano, símbolo olímpico no país do sol nascente, decidiu retirar-se como ponto oficial de partida da Tocha Olímpica em solo japonês, por causa da atual situação no Tibet. Os responsáveis pelo local de culto alegam que desde que aceitaram participar na cerimónia olímpica a situação alterou-se consideravelmente. Sublinham que são monges como os tibetanos. O templo de Zenkoji foi um ponto simbólico nos Jogos Olímpicos de Inverno de Nagano, em 1998, e de Tóquio em 1964. Os organizadores ainda não decidiram qual vai ser agora o ponto de partida para os 18 quilômetros de trajeto da chama. A preparação do evento é estudada detalhadamente e a segurança reforçada face aos distúrbios verificados em vários pontos do globo. Em Nova Deli, dezenas de pessoas foram detidas antes de um cerimônia que contou mais uma vez com um forte esquema de segurança.

Redação Sport Marketing

Uniformes com desconto

A Arena Store, loja oficial do Atlético Paranaense e a Umbro mandam avisar: promoção exclusiva para os Sócios Furacão: os primeiros mil sócios que comprarem as novas camisas oficiais - modelo 1, 2 ou 3 - ganharão um chaveiro réplica da camisa número 1. Para participar da promoção basta o associado apresentar o Smart Card no ato da compra. Lembrando que a promoção é válida para os primeiros mil associados que comprarem a nova camisa oficial do Furacão. Além de ganhar um chaveiro exclusivo, os sócios ganharão um desconto especial na aquisição das três camisas oficiais. Até o dia 17 de maio, os sócios que adquirirem os três modelos (1, 2 e 3) na mesma compra terão um desconto e o preço de cada camisa passará de R$ 169,90 para R$ 140,00 cada uma. A promoção é exclusiva para compras na Arena Store.

Redação Sport Marketing

Mercado: Apple patenteia óculos laser

Proporcionar novas sensações com aos aparelhos. Patentear acessórios é a nova meta da Apple após o sucesso estrondoso do iPhone e do iPod touch. A marca americana planeja investir em uma das maiores vantagens dos dois gadgets: o player de vídeo. Para isso, patenteou recentemente um óculos laser. O acessório seria uma espécie de óculos que mostraria os vídeos provenientes do iPhone e iPod touch, proposta semelhante a de outros produtos já existentes no mercado, como o Myvu, que possui um aparato óptico completo no próprio óculos para gerar a imagem no display, o que o torna grosso e pesado.Segundo o site Unwired View, o display da Apple será diferente. Em vez de ter tudo isso na armação e lente, pode ser colocado em uma pequena caixinha movida a bateria, que seria presa ao cinto do usuário. Graças a um dispositivo laser em no interior, esta caixinha transmitiria o vídeo ao display por meio de um cabo óptico, permitindo a criação de um acessório mais fino, elegante e leve. De acordo com o o site Gizmodo, esses óculos ficariam transparente quando não estivessem sendo utilizados para vídeo, podendo se tornar óculos normais de leitura.

Redação Sport Marketing

Volkswagen inaugura quarta fábrica na China

A Volkswagen, patrocinadora oficial local dos Jogos Olímpicos de Beijing, anunciou que abriu a quarta fábrica na China, com o objetivo de atender o crescimento da demanda no país. A nova filial, com capacidade inicial para produzir 60.000 veículos, está localizada na província de Nanjing/Jiangsu, a cerca de 300 quilômetros de Xangai. O primeiro modelo que será produzido na fábrica é o Santana Vista. A Volkswagen de Xangai modificou uma planta já existente em uma aérea de 640 mil metros quadrados para atender os padrões de qualidade e produtividade da montadora alemã. A nova fábrica terá cerca de 1.200 empregados que estão sendo treinados nas unidades de Xangai. A fábrica de Nanjing/Jiangsu é parte da estratégia da Volkswagen e de seus parceiros para elevar a produção em linha com a demanda do mercado, já que mais de 95% da capacidade para produzir um milhão de veículos já está sendo utilizada. A nova unidade contribuirá para que o Grupo Volkswagen atinja a meta de vender mais de um milhão de veículos em 2008 e de se manter crescendo nos próximos anos. A montadora vendeu mais de 910.000 veículos na China em 2007. A fábrica em Nanjing é 49ª da rede de produção da Volks. A fabricante alemã de veículos recentemente lançou o carro oficial do Revezamento da Tocha Olímpica, ou melhor, os carros. São cinco novos modelos batizados com os nomes: Touran, Lingyu, Crafter, Sagitar, e Magotan, responsáveis por acompanhar a Tocha Olímpica ao longo da jornada pelo mundo. Você não está familiarizado com os modelos? É que esses carros são evoluções de modelos que Volkswagen vende fora dos Estados Unidos em continentes como a Europa e Ásia. O modelo a foto, por exemplo, é um MPV baseado no Golf 5 portas. Além de fornecer uma frota de mais de 1.000 carros que representarão a fabricante alemã no Revezamento e carregarão a chancela de "Veículo Oficial do Revezamento da Tocha Olímpica", a VW também cedeu 346 veículos para a escolta da Tocha, 583 para serviços de suporte ao Comitê Organizador os Jogos e 30 para segurança e mídia.

Redação Sport Marketing

Jogador do Flamengo ganha direito de arena

O chamado direito de arena tem natureza jurídica de remuneração, pois decorre da contraprestação do trabalho do atleta no clube empregador. Este entendimento foi enfatizado pela Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho ao rejeitar recurso do Clube de Regatas do Flamengo contra decisão favorável do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (Rio de Janeiro) ao jogador Evandro Pinheiro da Silva, que, em dezembro de 2003, acionou judicialmente o clube, na 60ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro. Na reclamação trabalhista, na qual pediu, entre outras verbas, o pagamento dos direitos de arena (correspondentes a dois contratos, um de janeiro de 1997 a dezembro de 2000,e o segundo de maio a dezembro de 2002), o jogador ressaltou que o referido direito foi “consagrado pela Constituição em razão de que os estádios de futebol foram transformados em verdadeiros estúdios das emissoras de televisão, que pagam milhões aos clubes pelo televisionamento das partidas”. A instância inicial julgou prescrito o primeiro contrato e condenou o clube aos pagamentos relativos ao segundo. O Flamengo não negou o débito, mas justificou o não-pagamento por “notória impossibilidade financeira”, no que foi contestado pelo juízo ao argumento de que “dificuldades decorrentes da má administração e gestão de recursos financeiros não exime o clube de sua obrigação legal”. O clube foi condenado a pagar diferenças de verbas rescisórias, FGTS, férias e décimo-terceiro salário. Insatisfeito com a sentença, o Flamengo recorreu, alegando a incompetência da Justiça Trabalhista para julgar indenização de verbas referentes a um contrato de imagem, que segundo afirmou, teria incorrido em fraude. As informações são do portal Âmbito Jurídico afirmam que o Regional não reconheceu o argumento e informou que a sentença apenas deferiu a verba denominada direito de arena. Em caso semelhante julgado recentemente pela Primeira Turma do TST, relativo a um ex-atleta do Internacional de Porto Alegre, o direito de arena foi explicitada como “verba prevista no artigo 42, parágrafo 1º, da Lei 9.615/98 (Lei Pelé) e decorre de participação do atleta nos valores obtidos pela entidade esportiva com a venda da transmissão ou retransmissão dos jogos em que ele atua, seja como titular, seja como reserva, com cláusula inserida no contrato de trabalho por força de lei.” O artigo 42 da Lei Pelé dispõe que, salvo convenção em contrário, 20% do preço total da autorização para transmissão dos jogos, como mínimo, serão distribuídos, em partes iguais, aos atletas profissionais participantes do espetáculo ou evento. Ao concluir o voto, o ministro José Simpliciano Fernandes, relator, reforçou que o direito de arena não tem por intuito indenizar o jogador, mas, sim, remunerá-lo por sua participação no espetáculo. Por unanimidade, a Turma considerou correta a decisão regional que determinou a integração do direito de arena na remuneração do jogador, para fins de cálculo do FGTS, férias e 13º salário.

Redação Sport Marketing