12 de abr. de 2008

O Ronaldo que brilha

Entre todos os Ronaldos que estão atuando na Europa, nenhum está vivendo melhor fase do que Cristiano Ronaldo. O português jogador do Manchester United é apontado como o favorito a receber, pela segunda vez consecutiva, os prêmios de melhor jogador e melhor jovem da Liga inglesa pela Associação de Futebolistas Profissionais. Com 37 gols marcados pelo time inglês nas várias competições, Ronaldo poderá repetir o feito da última temporada. “Cristiano Ronaldo tem características que mais nenhum outro jogador tem, é o melhor do Mundo! É importante que ele dispute o máximo número de jogos possível” - afirmou Éric Cantona , em declarações prestadas ao Manchester Evening News”. Atualmente com 41 anos, o antigo jogador não quis comparar a importância que teve no Manchester United entre 1992 e 1997 com a de Cristiano Ronaldo: “Isso não é importante, o que interessa é Ronaldo jogar agora pelo United. Mas sinto-me feliz que ele use a minha camisa. Foi especial para mim, espero que também seja especial para ele - finalizou Cantona.” Cristiano está na mesma lista de nomeados para o prêmio de melhor jogador que Fernando Torres e Steven Gerrard (ambos do Liverpool), Emmanuel Adebayor e Cesc Fabregas (Arsenal) e David James, colega de Pedro Mendes no Portsmouth. Ronaldo e os espanhóis Torres e Fabregas também estão na lista para o título de melhor jogador jovem, na companhia de Micah Richards (Manchester City), Gabriel Agbonlahor e Ashley Young, (Aston Villa). Os vencedores de ambos os prêmios serão conhecidos em 27 de abril. "O Ronaldo é suficientemente inteligente e sensível para perceber o que é o futebol. O sucesso pode afetar as pessoas, mas a grande qualidade é manter as nossas habilidades e manter os pés no chão" - disse o técnico do Manchester United em entrevista à impresna internacional. Se a estrela de Ronaldo seguir brilhando o prêmio já está mais do que certo. Segundo o jornal inglês The Sun, o Manchester United quer assegurar em definitivo o futuro de Cristiano Ronaldo e está preparado para apresentar ao jogador um novo contrato de cinco temporadas avaliado em cerca de 50 milhões de euros. Os responsáveis do Manchester United querem resolver a questão do contrato ainda antes do Euro’2008. Caso este novo vínculo venha a concretizar-se, Cristiano Ronaldo passará a ser o jogador mais bem pago na história do clube, recebendo cerca de 186 mil euros por semana. Cristiano Ronaldo não deverá abandonar o Manchester United antes de 2010. Nos últimos dias, o diretor desportivo do clube espanhol, Pedja Mijatovic, esteve em contato com o empresário de Ronaldo, Jorge Mendes, mas neste momento a hipótese mais forte é a renovação contratual com os red devils até 2014, passando a ser o jogador mais bem pago do Mundo com salário anual na casa dos 13 milhões de euros.

Redação Sport Marketing

A volta dos minicraques

Você lembra da Copa do Mundo de 1998, quando a Coca-Cola lançou a coleção de "minicraques" que foi uma mania no Brasil? Pois é, um torcedor deu a sugestão e o departamento de marketing do Palmeiras colocou a possibilidade em estudo - lançar uma coleção de "minicraques" do Verdão. Ainda não há nada oficializado, mas a fabricação de bonequinhos cabeçudos representando caricaturalmente o elenco do Parque Antártica Verdão pode começar em breve. Por enquanto, há apenas dois rascunhos de como seriam os tais "minicraques" do Palmeiras. Um tem as feições do goleiro Marcos e o outro é uma representação do meia chileno Valdívia usando a camisa verde-limão lançada nesta temporada. Na Europa, no entanto, os bonequinhos já são uma tradição entre colecionadores e alguns exemplares raros chegam a custar pequenas fortunas.

Redação Sport Marketing

Palavras, palavras, palavras

O ministro do Esporte, Orlando Silva, segue em peregrinação pelas cidades do país distribuindo palavras e promessas. Assumiu o compromisso de construir em Sorocaba uma pista de atletismo com padrões internacionais de qualidade. As obras estariam prontas até o final do ano de 2008. Orlando Silva recebeu o projeto da pista das mãos do prefeito, que ainda solicitou o auxílio do ministro para a construção de um centro olímpico na cidade. De acordo com o ministro, os dois pedidos poderão ser atendidos, mas o centro olímpico será um pouco mais complicado. “Infelizmente, não poderemos fazer as duas coisas ao mesmo tempo. Porém, vamos atender a cidade no que for possível” - disse. Com relação ao centro olímpico, o ministro garantiu que o primeiro passo será construir uma área poliesportiva em parceria com a Ufscar (Universidade Federal de São Carlos). O ministro anunciou também que Jundiaí tem chances de sediar uma das seleções na Copa do Mundo de 2014 . “Se a cidade fizer a ‘lição de casa’ não tem como ser recusada” - disse. Orlando Silva também não descartou a possibilidade de Porto Feliz abrigar uma seleção de futebol durante a Copa do Mundo no Brasil, em 2014. Porém, Silva afirmou que a cidade terá que correr para oferecer a estrutura adequada para que ser um dos municípios escolhidos. “Fica complicado eu dizer qual cidade vai e qual não vai.”A certeza apontada pelo ministro é de que a cidade que estiver interessada em receber um elenco que vai disputar a Copa do Mundo precisa ter uma ótima estrutura de logística. “Porto Feliz tem um projeto ousado e terá que seduzir uma das seleções a escolhê-la. Depende única e exclusivamente da própria cidade.”A principal aposta de Porto Feliz para abrigar uma das seleções é o moderno Centro de Treinamento que está sendo construído pelo Desportivo Brasil, do grupo Traffic. Até 2014 chegar, haja ouvidos para tantas promessas e tantas palavras que o vento normalmente levam para os campos do esquecimento! Enquanto o ministro peregrina, o relatório preliminar da Controladoria-Geral da União (CGU) apontou que Orlando Silva terá de devolver R$ 8 mil aos cofres públicos por gastos com cartão corporativo considerados irregulares. Segundo um assessor que acompanha o processo, em entrevista ao jornal Estado de São Paulo, a maior parte das despesas refere-se a almoços e jantares pagos a terceiros. Foram cobradas diferenças referentes a 2006 e 2007. O Ministério do Esporte argumenta que as despesas de 2006 já haviam sido aprovadas e não poderiam ser reavaliadas. Quinta-feira à noite a CGU recebeu as justificativas do ministério, que contestou a cobrança e sinalizou que pretendia manter a penalidade. Silva marcou reunião com o titular da CGU, Jorge Hage, para a próxima segunda-feira. De acordo com o jornal, Silva pretende reforçar os argumentos.

Redação Sport Marketing

CBF condenada pela Coca-Cola

Trocar a Coca-Cola pelo Guaraná Antártica vai custar caro para a Confederação Brasileira de Futebol. A CBF foi condenada pela 41ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro a pagar R$ 13 milhões para a fábrica americana de refrigerantes, por conta da quebra do contato de patrocínio da seleção brasileira de futebol em 2001. O entendimento anterior com a Coca-Cola havia sido assinado em 1° de janeiro de 1997 e previa seis anos de contrato, a vencer em 31 de dezembro de 2002, após a Copa da Ásia, com possibilidade de renovação automática por mais quatro anos. De acordo com o documento firmado entre CBF e a empresa de refrigerantes em 1997, a entidade receberia R$ 30 milhões pelo acordo e mais 25% em uma possível renovação de contrato, além do pagamento de prêmios pelo desempenho da seleção — foi estipulado por exemplo um prêmio de R$ 1 milhão aos jogadores e comissão técnica para o caso de o Brasil ganhar a Copa de 98, na França, e R$ 800 mil se fosse vice, como aconteceu. Para a Coca-Cola, o contrato foi rompido unilateralmente em 30 de março de 2001 quando a CBF fechou com a marca de refrigerantes brasileira Guaraná. Como justificativa para a quebra, a CBF invocou a chamada "teoria da imprevisão", pois, de acordo com a entidade, a alta do dólar americano naquele ano refletiu no custo das passagens aéreas e hospedagens das seleções (a principal e as de base) no exterior. Em 2005, em decisão de primeira instância, o juiz Leandro Ribeiro da Silva, havia julgado improcedente a ação da Coca-Cola. A empresa, no entanto, entrou com recurso. No voto, o relator do recurso, desembargador José de Samuel Marques, argumentou que "não existe moeda com estabilidade plena" e "não houve nenhuma alteração no comércio interno do país", dando parcial provimento ao recurso da Coca-Cola, que exigia o pagamento da multa de R$ 10 milhões pelo rompimento. O último capítulo da novela CBF/Coca-Cola aconteceu em 27 de março, quando a juíza Patrícia Rodriguez Whateley deu prazo de 15 dias para que a CBF quitasse a dívida, que, acrescida de correção monetária, chega agora a R$ 13 milhões.

Redação Sport Marketing