3 de abr de 2008

Universo Tintas pinta na Vila

A Universo Tintas, uma das principais empresas do ramo no Brasil, é a mais nova patrocinadora do Santos. De acordo com o contrato, a empresa terá a marca nas mangas das camisas oficial do Peixe e em outras propriedades de marketing do clube. O contrato é válido até 31 de dezembro deste ano. O novo patrocinador já figurará no uniforme do time no jogo contra a Ponte Preta, no domingo, na despedida do Peixe no Campeonato Paulista. "A Universo Tintas é uma marca que tem crescido no mercado nacional e tem se consolidado com uma das grandes empresas do ramo. É gratificante ver que marcas importantes, líderes de seus segmentos, estão se associando a imagem do Santos. Com certeza, essa união entre o Santos e a Universo Tintas será duradoura" - disse o presidente do Santos, Marcelo Teixeira."O Santos é um time universal. Por isso, a Universo Tintas decidiu unir a marca ao clube. Em todos os cantos do mundo as pessoas sabem quem é o Santos. Ele é o grande embaixador do futebol brasileiro e é um orgulho para nós da Universo Tintas associar nossa marca a do clube. Desta união, não tenho dúvidas, virão muitas vitórias e conquistas" - afirmou o presidente da Universo Tintas, Douver Gomes Martinho. A formalização do contrato entre as duas partes foi intermediada pela agência de marketing esportivo da Universo Tintas, a Figer, empresa comandada pelos filhos de Juan Figer, Marcel e André e pelo Diretor Geral, Alan Cimerman. A Figer lidera o mercado nacional no segmento de representação de jogadores de futebol, há mais de 40 anos e é sinônimo de credibilidade, profissionalismo, parceria e certeza de resultados.

Redação Sport Marketing

Sochi inicia preparativos para Jogos de 2014

A empresa russa Geokosmos terminou o levantamento com sensor laser aerotransportado (Lidar) da região da cidade de Sochi, que será sede dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014. O projeto faz parte do mapeamento topográfico para a construção de edificações que serão usadas durantes os Jogos. A Geokosmos gerou uma variedade de produtos parao Comitê Organizador: um mapa topográfico na escala 1:1000 das regiões planas, outro na escala 1:500 dos territórios montanhosos, uma ortofoto, além de modelos de superfície e modelos texturizados de terreno.

Redação Sport Marketing

Copa impulsiona crescimento na África

A África do Sul apresentou crescimento acelerado e inesperado de 5.3 % na área industrial e de construção imobiliária. A construção se beneficiou com o aumento dos gastos do governo em estradas de ferro e estádios para a Copa do Mundo de 2010. O evento, segundo a Bloomberg, ajudou a aliviar choques econômicos, mantendo a taxa de crescimento acima de 4%, prolongando a expansão da economia desde setembro de 1999. "É um número excepcional'' - disse Russell Lamberti, economista em Johannesburg.

Redação Sport Marketing

Chevron patrocina Fundação Tiger Woods

A Chevron, segunda-maior companhia de petróleo dos Estados Unidos, fechou acordo de patrocínio que visa o desenvolvimento de programas, atividades e eventos com a Fundação Tiger Woods. Como parte desta nova relação, a Chevron irá batizar o torneio de golfe organizado em prol da Fundação Tiger Woods, o Chevron World Challenge, um evento que angaria fundos para a Fundação pelos próximos cinco anos. O evento acontece anualmente no Sherwood Country Club em Thousand Oaks, Califórnia. As condições financeiras do patrocínio não foram reveladas, porém, sabe-se que o grupo de gerenciamento de Tiger Woods estava buscando um patrocínio no valor aproximado de US$7 milhões para o evento e de US$600,000 para o Torneio AT&T. "Nós temos muito prazer que a Chevron concordou em ser parceiro da Fundação" - disse o campeão de golfe Tiger Woods. "Chevron tem um registro amplo de compromisso social com as comunidades onde opera. Nós estamos felizes em trabalhar com a Fundação e ajudar a desenvolver programas para a Fundação. "Nós somos emocionados em começar a nossa relação com Tiger Woods e com a Fundação aqui na Califórnia" - disse Mike Wirth, vice-presidente executivo da Chevron. A Chevron e a Fundação explorarão oportunidades na Califórnia, outros locais dos Estados Unidos e em locais seletos internacionalmente. Em 2007, a Chevron investiu aproximadamente US$119 milhões em programas de responsabilidade social no mundo.

Redação Sport Marketing

Federação de Taekwondo Mundial dá golpe de sorte

O Grupo Macquarie e a World Taekwondo Federation (WTF), Federação de Taekwondo Mundial assinaram um contrato de patrocínio mundial. O valor estimado em US$1 milhões vale pelos próximos cinco anos."O envolvimento do Grupo Macquarie com a WTF será um impulso enorme para o taekwondo. Este patrocínio nos habilitará promover o esporte na Coréia e no exterior" - disse Dr Choue Cheong, presidente da WTF baseada na Coréia. "Este é um dos patrocínios mais significantes fechados por nós no mundo. A maioria de famílias coreanas experimentam ou praticam o taekwondo. Nós esperamos que este acordo nos permita fazer dessa experiência uma recompensa para eles" - disse John Walker, o presidente Grupo Macquarie de serviços financeiros internacionais. Como parte do patrocínio, o Grupo Macquarie lançará um programa de comunidade para prover equipamento e outros benefícios para crianças de famílias pobres. O taekwondo também estará nos Jogos Olímpicos de Beijing. O esporte tem mais de 60 milhões de adeptos em 188 países. Por este motivo, o Grupo Macquarie demonstrou interesse em aliar a marca da empresa ao esporte.

Redação Sport Marketing

LANCE lança novo produto

O diário Lance anuncia um novo produto. O jornal 'Vencer' será distribuído em todo o estado do Rio de Janeiro com custo de banca de R$ 0,50 e tem como público-alvo os torcedores hard core do Flamengo. "Estamos fazendo um jornal popular, como é o Flamengo. Daremos destaque às musas rubro-negras, vamos abrir espaço para celebridades, para as manifestações da torcida e notícias do cotidiano do torcedor. Mas o popular não precisa ser feio ou vulgar, a qualidade está mantida" - disse Luiz Fernando Gomes, editor-chefe dos veículos do grupo. O jogador Obina será o garoto propaganda do lançamento que, segundo Eucimar de Oliveira, consultor convidado do novo projeto "segue a tendência mundial de segmentação de mídia". Na Espanha, jornais deste tipo são um sucesso de circulação e publicidade. O El Mundo Deportivo, que cobre o Barcelona, tem venda diária de 90 mil exemplares e o As, especializado no Real Madrid chega a 260 mil. "Na realidade do grupo isto é ainda mais marcante, é uma hipersegmentação, já que o próprio LANCE! já é um produto segmentado" - destacou Walter de Mattos Junior, presidente e editor do Grupo.

Redação Sport Marketing

Pelé e Gordon Banks juntos em jogo beneficente

Pelé e Gordon Banks, que juntos estrelaram um dos momentos mais memoráveis de uma Copa do Mundo, vão se encontrar em Stoke. Pelé vai inaugurar a primeira parte de uma estátua tripla em homenagem a Banks, ex-goleiro do Stoke City e da Inglaterra, no estádio Brittania. A inauguração acontecerá no dia 12 de julho. A estátua será seguida por uma partida beneficente entre um time liderado por Pelé e outro comandado por Banks, para ajudar na luta contra a pobreza na África, informou o clube pelo site (http://www.stokecityfc.premiumtv.co.uk/). Banks, que ganhou a Copa do Mundo de 1966 com a Inglaterra e disputou 73 jogos pela seleção, costuma ser lembrado pela linda defesa que fez numa cabeçada de Pelé na Copa do Mundo de 1970, no México.

Redação Sport Marketing

COB é contra boicote

O presidente do Comitê Olímpico Brasileiro e do Comitê de Candidatura Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, afirmou, em Beijing, que apóia o Comitê Olímpico Internacional e o BOCOG - Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Beijing. Segundo Nuzman, que foi um dos condutores da Tocha Olímpica no trajeto da Grécia, a proposta de boicote aos Jogos Olímpicos é um desrespeito aos atletas do mundo inteiro. A afirmação foi feita após o encerramento da reunião de trabalho da Comissão de Coordenação dos Jogos Olímpicos, da qual faz parte. O presidente do COB afirmou que os atletas não podem ser prejudicados por questões alheias ao âmbito esportivo e. que a maior competição multiesportiva do mundo não pode abdicar das grandes estrelas. Para Nuzman, o COI, assim como o COB, é uma entidade que trata de questões esportivas, e não políticas. “O COB entende que os Jogos Olímpicos têm nos atletas seus principais astros. Eles devem ser os protagonistas dessa grande festa esportiva, portanto a proposta de boicote é um desrespeito àqueles que durante anos se prepararam com suor e sacrifício”, afirmou."Felizmente, em toda sua história esportiva, o Brasil nunca boicotou uma edição olímpica. A tradição brasileira é fundamentada no respeito aos atletas, portanto, volto a afirmar que nosso país estará representado integralmente em Beijing 2008”, ratificou.

Redação Sport Marketing

Atletas franceses prometem ação

Atletas franceses pretendem usar durante a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Beijing, em agosto, um símbolo chamativo mostrando a preocupação com os direitos humanos, afirmou o bicampeão olímpico de judô David Douillet. "Temos coisas a dizer e vamos dizê-las" - disse Douillet, co-presidente da comissão de atletas junto ao Comitê Olímpico Francês. As declarações dele foram dadas em uma entrevista coletiva realizada em Paris. A iniciativa será apresentada oficialmente pelos atletas em uma entrevista marcada para sexta-feira, acrescentou Douillet, que está se aposentado das competições e hoje é membro da federação francesa de judô. "Vamos anunciar qual o símbolo chamativo que usaremos na passagem da Tocha Olímpica (em Paris, na segunda-feira) e na cerimônia de abertura dos Jogos" - afirmou. A entrevista foi convocada pelo Comitê Olímpico da França antes da chegada da Tocha ao país. O prefeito de Paris, Bertrand Delanoë, afirmou que uma faixa manifestando o apoio da cidade aos direitos humanos em todo o mundo seria exibida na frente da prefeitura da capital naquele dia. O primeiro a carregar a Tocha em Paris será o ex-campeão mundial dos 400 metros com barreira Stéphane Diagana. "Acho que podemos expor nossas opiniões e, ao mesmo tempo, permitir que a Tocha continue avançando rumo a Beijing. Mas precisamos enviar para a China a mensagem de que esse país não cumpriu suas obrigações" - afirmou Diagana à Reuters. "O que podemos fazer é algo não contra a China, mas a favor dos direitos humanos. Na condição de seres humanos, é nosso dever intervir" - acrescentou. Uma pesquisa da revista Sports revelou que aproximadamente 43% dos atletas franceses que participarão dos Jogos Olímpicos desejam que o presidente do país, Nicolas Sarkozy, boicote a cerimônia de abertura como forma de protesto. Do total de atletas pesquisados, 31,5% seriam contra esse boicote, enquanto 25,5% não tinham uma opinião definida sobre o assunto. A pesquisa, que conta com a opinião de 126 atletas, aponta que a grande maioria (96%) é contra um boicote esportivo aos Jogos. Grande parte dos atletas (86%), no entanto, estaria disposta a manifestar solidariedade ao Tibet, sobretudo como um compromisso geral com os direitos humanos. Como forma de protesto, o método preferido por 73% seria levar um laço, como proposto pelo atleta Romain Mesnil, enquanto 40% afirmou ser capaz de levar uma imagem dos anéis olímpicos transformados em algemas, e 33%, uma bandeira do Tibete.Metade dos entrevistados pela pesquisa manifestou a vontade de não participar da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, enquanto 47% afirmou que não teria problemas em falar publicamente em Beijing sobre direitos humanos. Fabrice Santoro e Mary Pierce, se revezarão com outras estrelas do país na passagem da Tocha pela França. O percurso será aberto no segundo andar da Torre Eiffel, com o nadador Stéphane Diagana, ex-campeão olímpico dos 400m. Em seguida, ela subirá em direção ao Arco do Triunfo e descerá a Avenida Champs Elysées, passando por outros pontos pontos turísticos da capital como a igreja de Notre Dame, o Museu do Louvre, o Hôtel de Ville, até chegar ao estádio Charléty. O alemão Walther Troger, membro do Comitê Olímpico Internacional (COI), afirmou que os atletas que participarem de manifestações contra a política chinesa em relação ao Tibet podem ser excluídos dos Jogos Olímpicos. "Quem não respeitar a proibição de propaganda não autorizada nas zonas regulamentadas, ou seja, nas arenas, vila olímpica será excluído assim que o caso for avaliado"- alerta Troger. O dirigente acrescentou que cada competidor deve conhecer as regras estabelecidas pelo COI, e pode achar outras formas mais adequadas de protesto. "Eles têm o direito de não participar dos Jogos caso não aceitem as regras" - explica Troger, membro do COI desde 1989. No entanto, Troger diz que se um atleta participar das manifestações após ganhar uma medalha, não terá que devolvê-la. O mesmo acontece caso os atletas se manifestem ainda no país de origem. "Os resultados das competições já disputadas só podem ser anulados se as regras técnicas forem violadas" - diz. Juan Antonio Samaranch Salisachs, membro do Comitê Olímpico Internacional (COI), filho do espanhol Juan Antonio Samaranch, ex-presidente do COI, considera "uma injustiça" que os Jogos sirvam como pretexto para protestos extra-esportivos, pois transformam em "reféns" os que deveriam ser os únicos destaques do evento, os atletas. "É um assunto muito sério. Esta campanha, surgida no mundo ocidental, tenta usar o Movimento Olímpico e a proximidade dos Jogos para obter mudanças na China que não nos cabem fazer nem seríamos capazes de conseguir. Esta pressão transforma em reféns mais de 10 mil atletas que ficaram muitos anos se preparando para os Jogos" - afirma. Várias organizações pró-direitos humanos, entre elas as associações a favor da independência do Tibet, pediram um boicote dos Jogos ou, pelo menos, da cerimônia de abertura, em protesto contra a política de repressão do Governo chinês.


Redação Sport Marketing

Chama na Turquia

A Tocha Olímpica chegou à Turquia, segundo país na rota do Revezamento que terminará no dia 8 de agosto, na abertura dos Jogos Olímpicos, em Bejing. O fogo chegou ao país depois de passagem por Almaty, no Casaquistão, onde ficou os últimos dois dias. O vice-presidente do BOCOG - Comitê Organizador, Jiang Xiaoyu, foi quem desembarcou com a lanterna de proteção do fogo olímpico na capital turca. Na Praça Santa Sofia, ele passará a lanterna para Togay Bayatli, presidente do Comitê Olímpico da Turquia, que acenderá a Tocha. A patinadora Tugba Karademir, que representou o país nos Jogos de Inverno de Turim, em 2006, dará início ao Revezamento, que passará pelos principais pontos da principal cidade turca, entre eles o Estreito de Bósforo, que conecta os continentes asiático e europeu. Um homem tentou agarrar a Tocha em Istambul, mas o esquema de segurança reforçado que foi armado na cidade turca, os policiais conseguiram deter o manifestante e evitaram maiores problemas.Como tem sido habitual, o revezamento da tocha foi palco para protestos na Turquia. Durante o trajeto, manifestantes exibiram uma camiseta com a inscrição "direitos humanos na China" em turco. Também foram ouvidos gritos contra o governo de Beijing. Paris, que vai receber o Revezamento na próxima segunda-feira já anunciou que vai fazer um protesto oficial contra a violação dos direitos humanos na China. O prefeito da capital francesa, Betrand Delanoé anunciou que uma bandeira será colocada em frente à prefeitura na passagem da Tocha.A faixa terá o texto:"Paris defende os direitos humanos por todo o mundo". Em San Francisco (EUA) também ocorrerão protestos durante a passagem da Tocha. As autoridades informaram que haverá espaços destinados a manifestantes em vários pontos. O prefeito da cidade fez apelo para que os atletas que estarão carregando símbolo olímpico sejam preservados. Quinze membros do congresso federal norte-americano pediram ao presidente George W.Bush para reconsiderar a decisão de assistir aos Jogos de Beijing. Os 14 democratas e a republicana Dana Rohrabacher consideram a recente repressão aos protestos no Tibet, os estreitos vínculos do governo chinês com o Sudão, e a repressão aos defensores das liberdades religiosas e dos direitos humanos como motivos para que Bush não vá. O presidente da França, Nicolas Sarkozy, também considera boicotar a Olimpíada por causa da repressão às manifestações no Tibete. Já a presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, disse em uma entrevista para a rede ABC que também pediu a Bush que considere a possibilidade de não participar da cerimônia de abertura dos Jogos, mas que não apoiaria um boicote por parte dos atletas. Em resposta ao pedido dos congressistas, a Casa Branca disse que esse não seria o melhor caminho para tratar a crise do Tibet. Outros líderes políticos de países como Alemanha, Noruega, Austrália, Polônia, Estônia e República Checa também já se pronunciaram no sentido de boicotar a cerimônia de abertura.

Redação Sport Marketing

Estrelas vermelhas e dourada

A Adidas apresentou a bola oficial da final da Liga dos Campeões UEFA. O lançamento teve a participação do Secretário-Geral da UEFA, David Taylor, a lenda do futebol alemão, Franz Beckenbauer, o embaixador da final da Liga dos Campeões UEFA, Rinat Dasaev, e o presidente da Federação Russa de Futebol (FUR), Vitaly Mutko. O evento aconteceu na Praça Manezhnay, no coração de Moscou, onde a Adidas construiu uma réplica da bola de 2,5 metros. Cerca de 300 bolas "Finale Moscow" foram atiradas ao público. A capital da Rússia recebe sua primeira Final da Liga dos Campeões da UEFA. Os dois maiores clubes de futebol da Europa na temporada 2007/2008 vão disputar a finalíssima no Estádio Luzhniki, o maior da Rússia, usando a bola "Finale Moscow". Depois, o campeão da Liga usará a bola em todos os seus jogos em casa, durante a temporada da Liga dos Campeões 2008/2009. O design da bola e as cores vermelho e dourado têm como base as estrelas do logotipo da UEFA. Os "designers" Adidas inspiraram-se também nas cores da Praça Vermelha, no "Kremlin" e nos nomes, escritos em dourado, das várias catedrais existentes em Moscou. Assim como aconteceu com a bola da final de 2007, a "Finale Athenas", as cores e os elementos tão conhecidos da cidade sede foram incorporados na criação da bola 2008, dando um destaque para o palco do jogo mais importante dos clubes europeus. Semelhante à "Europass", a bola da EURO 2008, a "Finale Moscow", apresenta a nova estrutura de acabamento PSC-Texture (Power, Swerve e Control), que permite que os jogadores controlem e direcionem a bola perfeitamente, em qualquer condição climática. PSC-Texture consiste em uma estrutura extremamente fina e sofisticada na superfície externa da bola, garantindo ótima aderência entre a bola e a chuteira. Além disso, da mesma forma que a bola foi construída com 14 painéis, usando a revolucionária Thermal Bonding Technology (Tecnologia de Ligação Térmica). A "Finale Moscow" estará disponível no Brasil a partir da segunda quinzena de abril em dois modelos: Matchball (bola oficial) e réplica.

Redação Sport Marketing

Liedson sai se pagarem a multa

O presidente do Sporting, Filipe Soares Franco, comentou as notícias sobre a saída de Liedson para outro clube, lembrando que o brasileiro deverá cumprir o contrato que o vincula ao Sporting até 2009, com uma cláusula de rescisão de 25 milhões de euros. Também o treinador dos leões, Paulo Bento, tem um contrato para cumprir até 2009 e, de acordo com o líder do clube de Alvalade, tanto no caso de Liedson, como no de Paulo Bento, apenas o Sporting poderá decidir. Sobre a hipótese de Luís Figo ser o futuro dirigente desportivo do clube, Soares Franco considera o antigo jogador uma referência. "Teria o maior prazer em tê-lo como dirigente no Sporting" - disse.

Redação Sport Marketing

Museu colorado

Orçado em R$ 2 milhões (no mínimo), o Inter pretende construir, em comemoração ao centenário do clube o Museu Colorado. A obra será erguida ao lado do portão 7, terá dois andares e mais de mil metros quadrados. O projeto será bancado por empresas como a Reebok, atual fornecedora de material esportivo do clube. A idéia é erguer uma obra definitiva com memorial e loja integrados, além de espaços interativos para os torcedores como salas de áudio e vídeo com gols, jogos e conquistas históricas do clube. Atualmente, os principais troféus do Inter estão em uma sala improvisada. Já os primeiros uniformes ocupam uma vitrine numa ala da biblioteca do clube, no segundo piso do Gigantinho. O novo museu também soma o objetivo de criar uma nova fonte de receita do clube, com a cobrança de ingresso para visitação e lucros com as vendas de produtos de merchandising.

Redação Sport Marketing