18 de mar. de 2008

Especial: Poluição de Beijing preocupa atletas olímpicos

Já foi o tempo em que a bicicleta era o principal meio de transporte adotado na China. O país cresceu tanto que em sete anos o número de carros circulando pelas ruas de Beijing, cidade eleita para sediar os Jogos Olímpicos, triplicou. Em 2001, havia 1.5 milhões de carros na cidade. Hoje, são 4.5 milhões. Além disso, as fábricas não respeitam os níveis de emissão de gases poluentes. A poluição do ar é alarmante e faltam menos de cinco meses para a chegada dos atletas ao país. Para garantir melhor qualidade do ar durante a competição, o governo chinês fechou algumas fábricas de Beijing e das províncias vizinhas à capital, que estavam com os níveis de emissão de gases poluentes, acima do permitido. Está instalando equipamentos para controlar as substâncias contaminadoras do ar, como o dióxido de enxofre e o monóxido de carbono. O tráfico de carros pelas ruas, durante os Jogos, será bastante reduzido e o transporte coletivo será priorizado. Além disso, foi criado recentemente no país o Ministério do Meio Ambiente. Apesar do esforço do governo chinês para contornar a situação, times de mais de 20 países, incluindo Inglaterra, Alemanha, Grécia, França, Estados Unidos e Suécia estão preocupados com as condições ambientais e planejam permanecer no Japão antes do evento. Outros 15 times ficarão sediados na Coréia do Sul. “Estamos introduzindo porções extra de vitamina C e E na dieta dos nossos ciclistas porque são antioxidantes e ajudam a otimizar a respiração”, disse Mikel Zabala, diretor-técnico da Federação de Ciclismo da Espanha. Haile Gebrselassie, etíope recordista mundial da maratona, disse que não vai participar da prova em Beijing com medo de danos à saúde, pois é asmático. Ele pretende competir apenas nos 10.000 metros. Jacques Rogge, presidente do COI - Comitê Olímpico Internacional - declarou que “ficar em Beijing não é perigoso para atletas jovens e saudáveis, a única possibilidade de que ocorra risco para a saúde é a exposição ao ar poluído em provas de longa distância, como maratona e ciclismo resistência”. Para isso, um sistema de monitoramento do ar analisará diariamente se a qualidade do ar permite provas de resistência ou não. A comissão médica do COI está acompanhando atentamente os números da poluição chinesa. Gilbert Felli, diretor-técnico do COI, disse que se houver risco à saúde dos atletas, as datas de algumas provas de resistência poderão ser alteradas. O fisiologista-chefe do USOC, Comitê Olímpico dos Estados Unidos, Randy Wilber, admitiu que a delegação americana deve usar máscaras quando não estiver competindo, inclusive na Vila Olímpica. Dois mil exemplares de máscaras já foram encomendados. A Holanda está fazendo um trabalho de aclimatação dos atletas, baseado nas condições ambientais adversas do local. Charles van Commerce, diretor-técnico do Comitê Olímpico Alemão, está programando a chegada dos atletas cinco dias antes dos Jogos, pois afirma que “o corpo humano se adapta”. Para o maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima, medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Atenas, a poluição pode representar até uma vantagem para quem está acostumado com a poluição das grandes cidades, como São Paulo. “Se as condições do ambiente em Beijing fossem ideais, seria uma Maratona rápida e eu acho que os brasileiros não chegariam nem entre os 10 primeiros. Mas, a maratona vai ser dura, com temperatura alta e poluição. Isso favorece os brasileiros, principalmente, a mim, que estou acostumado a competir em cidades poluídas”, afirma Vanderlei. O COB - Comitê Olímpico Brasileiro - está realizando exames físicos regulares em todos os atletas e, inclusive, avaliações cardiorespiratórias. Com esses exames, as Comissões Técnicas das Confederações Brasileiras dispõem de recursos para enfrentar os possíveis impactos causados pelas condições ambientais adversas nos locais de competição. Segundo Marcus Vinicius Freire, Chefe da Delegação Brasileira em Beijing, a partir do final do mês de julho será feita a aclimatação dos atletas brasileiros no Japão, Coréia, território de Macau e na própria China, com o objetivo de adaptar os competidores à diferença de fuso horário e às condições climáticas locais. Os Jogos Olímpicos prometem ser um espetáculo para os olhos e um sufoco para os pulmões.

Claudia Liechavicius especial para Sport Marketing

Sport Marketing e New Gap Productions em parceria com a CCTV

Durante toda essa semana, a New Gap Productions - Soluções em Mídia estará acompanhando a equipe de cineastas da CCTV - emissora estatal chinesa - presente no Rio de Janeiro para as filmagens do filme olímpico oficial dos Jogos de Beijing. Atuando no mercado desde 2003, a produtora de vídeos e filmes, New Gap Productions - Soluções em Mídia será representada pela sócia diretora da empresa, a jornalista Deborah Ribeiro de Almeida, membro da Academia Olímpica Brasileira, jornalista com respeitado know how em produções e coordenações de eventos esportivos nacionais e internacionais. Deborah Ribeiro desde agosto integra a equipe e foi a responsável por todo o trabalho de pesquisa, produção jornalística e coordena a filmagem. "Fico feliz em estar realizando esse intercâmbio de conhecimento entre países, nesse caso específico, entre Brasil e China. Essa é a principal meta da Academia Olímpica Brasileira cujo presidente é o Dr. Eduardo Henrique de Rose e o vice-presidente, Bernard Rajzman. Ontem, dia de folga das atletas, nós filmamos as belezas do Rio de Janeiro. Hoje, vamos dedicar o dia para a dupla Renata e Talita" - afirmou a jornalista que já participou da cobertura in loco das últimas quatro edições dos Jogos Olímpicos de verão e é autora do livro Ouro Olímpico - a história do marketing dos aros, em parceria com o diretor e chefe de missão do COB, Marcus Vinicius Freire. As atletas do vôlei de praia foram escolhidas pelos cineastas como os ícones da beleza do Brasil e símbolo da força do esporte nacional no filme. A equipe Sport Marketing irá aproveitar a oportunidade para estar com os patrocinadores das atletas que estão vibrando com a possibilidade de terem suas marcas eternizadas em um filme olímpico que ficará no arquivo do COI - Comitê Olímpico Internacional - em Lausanne, Suíça. A equipe de filmagem ficará no Brasil esta semana, período que antecede a partida das atletas do vôlei de praia para a primeira etapa do Mundial na Austrália. A New Gap Productions - Soluções em Mídia é uma Agência de Comunicação especializada na produção de vídeos, filmes e de conteúdo informativo para mídia. Atuando no mercado desde 2003, a New Gap tem um casting de respeitado know how em criação, produção e edição de vídeos e filmes institucionais e de esporte.

Redação Sport Marketing

Federação Paulista gera conhecimento

A partir do próximo dia 15 de abril, a Federação Paulista de Futebol (FPF) oferece o Curso Master em Gestão do Futebol. Voltadas ao aperfeiçoamento acadêmico de dirigentes e administradores de clubes, as aulas se estendem até dezembro.No curso da FPF, serão ministradas aulas de marketing esportivo, administração de empresas aplicada ao futebol, direito desportivo e contabilidade e auditoria em clubes. Os matriculados também devem realizar atividades complementares como aulas práticos, participações em palestras técnicas, visitas a estádios e clubes e debates com profissionais de diversas áreas.Para participarem do curso, os interessados precisam ter formação universitária e preencher uma ficha de inscrição, que pode ser retirada na FPF. Antes da admissão, cada candidato ainda passa por análise de currículo e por uma entrevista.

Redação Sport Marketing

Nova Expressão já controla quase 10% do capital do Sporting

A agência Nova Expressão voltou a aumentar a posição no capital do Sporting, detendo agora uma participação de 9,33%. Num comunicado, a Nova expressão adianta que comprou 542 mil ações do time, equivalente a 2,581% do capital. Esta compra resultou de 2 operações fora da Bolsa, no dia 31 de Janeiro de 2008 e no dia 8 de Fevereiro de 2008, de 520.000 ações e de 22.000 ações respectivamente. No total, direta e indiretamente, a Nova Expressão detém já 1,96 milhões de ações do time português, que representam 9,33% do capital do clube.

Redação Sport Marketing

Pepsi lança portal e nova campanha só com craques

A Pepsi está lançando em Londres, um portal que permite aos usuários criarem uma campanha com seis grandes estrelas do futebol de mundial. Entre elas: David Beckham, Thierry Henry, Ronaldinho, Cesc Fabregas, Lionel Messi e Frank Lampard, que figuram num multimilionário anúncio de tv que começaráa ser veiculado no próximo mês. Em “Open Source”, assim se chama a campanha, a marca convida as pessoas a participarem de um anúncio com várias estrelas. O resultado foi… surpreendente! Podemos assim ver Ronaldinho dando um de surfista na praia, Messi tomando conta de um planeta no espaço, Thierry Henry em pleno trânsito da cidade, Beckham e Fabregas trocando bola na selva e Frank Lampard recebendo o passe majestoso numa rua de Beijing. No final, Beckham serve uma Pepsi os outros craques enquanto descansam da viagem pelo mundo. A campanha chega em Portugal em 20 de março. A campanha tem como meta popularizar a marca Pepsi entre consumidores jovens britânicos. A fabricante de refrigerantes planeja adicionar, em breve, no portal outras celebridades.

Redação Sport Marketing

Air China em alta

A Air China. companhia aérea, patrocinadora local do BOCOG - Beijing Organizaing Committee Olympic Games - Comitê Organizador dos Jogos de Beijing - informou alta do lucro líquido em 57% ano passado para 4,23 bilhões de iuanes (US$ 596,9 milhões), devido à forte valorização da moeda local e do retorno de investimentos. Em 2006, a empresa obteve um lucro líquido de 2,69 bilhões de iuanes. A receita da Air China foi de 51,3 bilhões de iuanes (US$ 7,2 bilhões) em 2007, ante 44,9 bilhões de iuanes (US$ 6,3 bilhões) do ano anterior. A alta recorde da moeda chinesa contra o dólar favoreceu as companhias aéreas chinesas, já que as suas substanciais dívidas são denominadas em dólar. O número de passageiros da Air China subiu 10,6% em 2007, para 34,8 milhões de pessoas, contra 31,5 milhões registrados em 2006. A companhia afirmou já estar preparada para o aumento do tráfego de passageiros nos Jogos Olímpicos de Beijing.

Redação Sport Marketing

Big concurso cultural olímpico

A rede de restaurantes McDonald’s lançou concurso cultural “Jogos Olímpicos: Tô Dentro”. No Brasil, serão selecionados três adolescentes, entre 10 e 16 anos, que enviarem os trabalhos artísticos mais originais. O prêmio será uma viagem com direito a acompanhante para assistir aos Jogos. Para participar, o candidato deverá enviar um texto, foto ou vídeo sobre o tema “Jogos Olímpicos de Beijing 2008” para o hotsite da campanha na página do McDonald’s. As fotos e textos impressos poderão ser depositados em urnas identificadas nos próprios restaurantes da rede, junto com a ficha de inscrição. Os participantes poderão concorrer enviando o trabalho pelo telefone celular. Após o envio, o aparelho receberá uma mensagem de texto com o código para validar a inscrição no hotsite. Todos os trabalhados serão disponibilizados no hotsite para votação. Os 100 participantes que receberem mais votos pela Internet também serão premiados, com kits olímpicos formados por camiseta, mochila, squeeze, boné e medalha simbólica. Durante a estadia na China, os ganhadores serão correspondentes e postarão textos no site do McDonald's. A escolha dos campeões será feita por um atleta olímpico. "Ninguém melhor que um medalhista olímpico para identificar qual trabalho traduz o espírito das Olimpíadas", enfatiza o gerente de marketing do McDonald's do Brasil, Roberto Gnypek. Além do material promocional, o concurso cultural ainda contará com o suporte de blitze da campanha e distribuição de cards. Promotores de eventos percorrerão os restaurantes, clubes e praças da rede com displays para fotos e ainda oferecerão a oportunidade para as pessoas mandarem mensagens aos nossos atletas olímpicos. Já os cards, que serão distribuídos nos restaurantes e durante as blitze, promoverão um jogo com informações sobre as modalidades olímpicas.

Redação Sport Marketing