10 de mar de 2008

Pacaembu atrasado

A Secretaria de Esportes, Lazer e Recreação de São Paulo e a administração do estádio anunciaram que, pela terceira vez, a reabertura do Pacaembu foi adiada. Inicialmente, a previsão era início de fevereiro."Em princípio, nossa idéia era trocar apenas o gramado, mas percebemos que uma reforma estrutural era necessária. Portanto, a demanda de tempo foi maior do que o previsto inicialmente", afirmou o secretário de esportes Walter Feldman. Serão trocadas também 13 mil cadeiras, o banco de reservas será estendido para 22 lugares, as marquises serão protegidas e uma pista de atletismo será construída, entre outras mudanças. Além disso, está prevista para 7 de maio a inauguração de uma das seções do Museu de Futebol, obra orçada em R$ 33 milhões, divididos entre cinco empresas privadas e a prefeitura de São Paulo.A reforma do estádio deve custar outros R$ 7 milhões à prefeitura.

Redação Sport Marketing

Nacional de Rolândia faz parceria com empresários

O Nacional Atlético Clube, clube da Divisão de Acesso do Campeonato Paranaense, assinou uma parceria com a Royal Player, que gerencia a carreira de jogadores, pertencente aos empresários Persius Sampaio e Gilberto Ponce, ao médico Alexandre Queiroz e ao volante do Oita Trinita do Japão, Edmilson, ex-jogador do Londrina. Eles vão gerir o departamento de futebol do NAC em conjunto com o presidente José Danilson de Oliveira, pelos próximos cinco anos. Entre os reforços anunciados pelo treinador Claudemir Sturion, estão os jogadores Alisson, lateral direito; Edinho, meia de ligação, Bahia, volante, todos ex-Roma Apucarana; e Leonardo, atacante do Real Brasil e vice-artilheiro da Divisão de Acesso de 2007.

Redação Sport Marketing

Orçamento do esporte deverá ser maior

Segundo o ministro do Esporte, Orlando Silva, este ano haverá uma expansão de investimentos na área do esporte, em decorrência do aumento do orçamento disponível para a pasta. O relatório aprovado pela Comissão de Orçamento da Câmara Federal, a dotação para o Ministério do Esporte este ano será de R$ 1,2 bilhão. Isso corresponde a um aumento de 80% sobre o orçamento do ano passado.“Porque o orçamento do ministério ano passado, excluindo o Pan-Americano, que foi um esforço extraordinário, foi de R$ 677 milhões. Ou seja, nós vamos partir de R$ 677 milhões em 2007 e alcançar a marca de R$ 1,2 bilhão, o que revela uma visão do governo federal e do Congresso Nacional sobre a importância que tem o esporte para o cotidiano das pessoas”, declarou. A partir da votação do orçamento no Congresso, prevista para ocorrer esta semana, Orlando Silva acredita que terá condições de discutir, “em parceria com o governo do estado do Rio de Janeiro e com as prefeituras quais serão os investimentos prioritários no estado” para 2008.

Redação Sport Marketing

Justiça aceita denúncia contra Alberto Dualib

O ex-presidente do Corinthians Alberto Dualib teve denúncia formulada pelo Ministério Público do Estado aceita pela 15ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo. Além dele, outros três ex-integrantes da diretoria corintiana e um empresário também serão processados por formação de quadrilha e estelionato. A denúncia foi aceita na última sexta-feira pelo juiz Marcelo Semer. Os interrogatórios estão marcados para o dia 23 de abril, mas não poderão ser acompanhamos porque foi decretado segredo de Justiça no processo. O motivo, segundo a assessoria de imprensa do TJ, é que constam informações fiscais da denúncia, que são sigilosas.A denúncia, assinada por quatro promotores do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) do MP, foi protocolada dia 29 de fevereiro na Justiça.Dualib e outros quatro réus respondem por um suposto desvio de pelo menos R$ 1.433.333 por meio de notas frias do Corinthians. O valor, segundo o MP, pode chegar a R$ 5,4 milhões.

Redação Sport Marketing

Complexo esportivo vai receber R$ 1 milhão do governo

O município de Duque de Caxias, na Baixa Fluminense, terá um complexo esportivo para atendimento a crianças e jovens da periferia da cidade. O Complexo Esportivo Jardim Anhangá receberá do governo federal cerca de R$ 1 milhão na construção. “O conjunto de equipamentos vai permitir o esporte e o lazer para a população que mais precisa aqui na cidade de Duque de Caxias”, disse o ministro do Esporte, Orlando Silva, em entrevista à Agência Brasil. Orlando Silva relatou que já existe o compromisso firmado com o prefeito da cidade, Washington Reis, de implantar em Caxias o programa Segundo Tempo para atender a cerca de 10 mil crianças e jovens com atividades sócio-esportivas. Nos anos de 2006 e 2007, o ministério apoiou um total de 52 projetos no município de Duque de Caxias, com investimentos federais de R$ 17,73 milhões. A contrapartida da prefeitura totalizou R$ 5,37 milhões. Os dados são da assessoria do governo municipal. Os investimentos foram efetuados, sobretudo, em infra-estrutura esportiva. “O Ministério do Esporte tem feito um esforço para qualificação do espaço urbano das cidades”. Ele revelou que no ano passado foram contratadas 1,5 mil obras para a construção de equipamentos esportivos, “o que vai permitir que milhões de brasileiros possam ter na atividade física uma forma de obter melhor qualidade de vida, produção de saúde e um ambiente social integrado. O complexo contará com ciclovia, pista de skate, campo de futebol, quadras poliesportivas e dois centros sociais.

Redação Sport Marketing

Formação de cartel na Bundesliga

Formação de cartel na venda dos direitos de transmissão dos Jogos da Bundesliga. Essa é a suspeita que paira no ar na Alemanha. As dúvidas sobre um acordo entre a Liga de Futebol da Alemanha (DFL) e o grupo de mídia Leo Kirch's KF 15 responsável por comercializar os direitos para Bundesliga a partir de 2009 está movimentando os vestiários dos clubes alemães. O grupo Kirch garantiu pagar 500 milhões de euros pelos direitos televisivos das temporadas 2009/2010, 60 milhões de euros a mais do que a liga atualmente recebe. Além de oferecer à Bundesliga esse aumento considerável em rendas de televisão, o grupo Kirch também propôs a quantia de €3 bilhões (US$4.5 bilhão) na expansão de contrato com a DFL por seis anos. Para avaliar o negócio, formou-se uma comissão de ética que já declarou que um contrato de €3 bilhões só será permitido caso os clubes pequenos ganhem mais dinheiro. O presidente do Bayern de Munich, Karl-Heinz Rummenigge, recentemente pediu mais dinheiro pelos direitos de TV para os principais times alemães. O Bayern atualmente recebe 25 milhões de euros em direitos de TV da Bundesliga, mas podia ganhar muito mais se o time negociasse os próprios direitos. A Bundesliga, é composta pelos times da primeira e da segunda divisão da Alemanha.

Redação Sport Marketing

Volkswagen acelera fundo no Rally da Europa Central

A Volkswagen partirá com tudo em busca da vitória no Rally da Europa Central. A equipe alemã usará cinco carros nas trilhas entre a Hungria e a Romênia, dos dias 20 a 26 de abril. As cinco duplas inscritas pela VW são: Carlos Sainz e Michel Perin, Carlos Souza e Andréas Schulz, Giniel de Villiers e Dirk von Zitzewitz, Mark Miller e Ralph Pitchford, e Dieter Depping e Timo Gottschalk. O Rally da Europa Central irá largar em Budapeste, na Hungria, e terá algo em torno de 3.000 quilômetros até Lake Balaton, na Romênia. “O Rally da Europa Central representa um novo desafio no rali cross-country e nós tentaremos um bom resultado nesse desafio” - afirma Kris Nissen, diretor da equipe. “Estamos extremamente motivados para mostrar nossa capacidade desde que o Dakar foi cancelado”- acrescenta. No Rally dos Sertões, 18 a 28 de junho, a Volkswagen participará com dois carros de fábrica. A equipe entende que a prova no Brasil pode servir como preparação para o Rally Dakar 2009, na Argentina e no Chile, de 3 a 18 de janeiro.

Redação Sport Marketing

Super Aguri segue aos trancos na F1

A Super Aguri conseguiu o capital necessário para competir na temporada de 2008 da F1. A equipe revelou uma sociedade entre a Honda, que fornecerá motores e informações técnicas por um ano e a Magma Group, empresa de consultoria inglesa especializada em automobilismo, que como patrocinadora da escuderia, garantirá a equipe na abertura da temporada de F1, no próximo fim de semana, na Austrália. A dupla de pilotos Anthony Davidson e Takuma Sato foi confirmada e a Suzuki disse que a preservação do time seria "uma grande vantagem" em alcançar consistência a longo prazo. Não falou-se em valores.

Redação Sport Marketing

China em contagem regressiva

Hoje em dia há mais caminhões de obras em Beijing do que bicicletas. Não há como negar que a chegada e aproximação dos Jogos Olímpicos mudou o ritmo de vida do país. Quando a noite cai em Beijing e os habitantes se preparam para dormir, as arenas olímpicas que ainda estão em construção são pontos de luz no escuro da capital, onde é sempre dia para os milhares de operários que constróem a cidade, faça chuva, calor ou neve, para sediar os Jogos Olímpicos. A menos de seis meses do início dos Jogos, que decorrem entre 08 e 24 de agosto, a cidade quer ter finalizado todas a parte de infra-estrutura, mas, sobretudo, através da arquitetura, mostrar ao mundo o poder de um país que cresce a mais de 10% ano há quase meia década. Além de operários e caminhões, Beijing chamou arquitetos estrangeiros, novos materiais, as tecnologias mais recentes e projetos audaciosos, como compete a uma super-potência em ascensão. O "Cubo Aquático", inaugurado em fevereiro, é o primeiro destes projetos a ver a luz do dia e é uma mostra do que vem por aí nos Jogos Olímpicos - edifícios futuristas pagos pelo estado chinês, para mostrar o poder da China e do seu governo, tal como as catedrais européias que na Idade Média mostravam a força da Igreja. As construções olímpicas dependem diretamente do governo central, que as financia, mas a utilização desportiva retira-lhes o conteúdo político óbvio. O Centro Aquático Nacional, designação oficial do Cubo Aquático, é uma prova deste esforço chinês. O mais ecológico e mais popular de todos os edifícios olímpicos, o complexo custou mais de 200 milhões de dólares (136 milhões de euros), que pagaram a arquitetura e as soluções técnicas brilhantes. Com a forma de uma caixa de sapatos e três piscinas abaixo do nível do solo, o complexo tem um esqueleto de tubos de aço revestidos por uma membrana opaca com mais de três mil bolsas de ar feitas de plástico reciclado, como se fosse um papel de bolhas gigante. A membrana permite a entrada luz natural, ajudando a aquecer a água das cinco piscinas e a reduzir em 30% a fatura energética. Ao presidente da empresa estatal que detém o complexo, presente na cerimônia de inauguração, não escapou a força política do "Cubo Aquático". "A China e todos os chineses devem estar orgulhosos", disse Li Aiqing, presidente da Asset Management Company. "Eu estou muito orgulhoso e muito emocionado. É um projeto tecnologicamente muito ambicioso em termos de tecnologia e um grande desafio de construção", acrescentou. Os descendentes políticos dos imperadores que deixaram Beijing cheia de legados arquitectónicos - e de poder - como a Cidade Proibida e a Grande Muralha, o Templo do Céu e o Palácio de Verão, utilizam assim os Jogos Olímpicos para deixar uma nova marca na cidade. "Querem dizer ao mundo desenvolvido que chegaram, que têm a capacidade financeira e tecnológica para fazer estes projetos", afirma Antony Wood, do Conselho de Edifícios Altos e de Habitat Urbano. Com os olhos do mundo em Beijing durante os Jogos, o Parque Olímpico chinês, é por isso o melhor lugar para mostrar a nova China, através do "Cubo Aquático"ou de edifícios ultra-modernos como o novo Estádio Nacional, conhecido como "Ninho do Pássaro" ou o Centro de Comunicações dos Jogos. O estádio, com lugar para 91 mil pessoas, será o palco da abertra dos Jogos. Os suíços Jacques Herzog e Pierre de Meuron conseguiram dar conta da encomenda, com uma estrutura de 42 mil toneladas de tubos de aço entrelaçados que recria os galhos de um ninho. Com um custo de 3,2 mil milhões de renminbi (301,54 milhões de euros), as aberturas na estrutura do edifício favorecem a circulação natural do ar, com uma membrana semelhante à do "Cubo Aquático" que protege os espectadores. O "Computador", o edifício onde ficará o Centro de Comunicações dos Jogos Olímpicos é a obra que completa a trindade arquitetônica olímpica, com assinatura do chinês Urbanus. Inspirado no circuito integrado de um computador, o alçado principal tem entalhadas calhas de painéis LED onde corem fios de água. O chão de Plexiglas cria também um tapete digital transparente para projeção de imagens. Com a forma de uma caixa e revestimento em betão, alumínio e vidro, a construção quer também evocar um código de barras, reflectido na superfície aquática que rodeia o edifício. No entanto, por muito que a China queira impressionar, certas coisas em Beijing ultrapassam o poder do estado e a vontade política. O ambiente e a qualidade do ar na cidade, por exemplo, uma nódoa no pano do modernismo ambiental. Uma camada de areia reveste a cara e avançada membrana do "Cubo Aquático" e do interior do edifício vê-se no telhado a poeira de carvão que a chaminé de uma central elétrica vizinha vai cuspindo.

Redação Sport Marketing

Ronaldinho diz não ao Chelsea

Ronaldinho Gaúcho, 27, está no topo da lista de desejos de Roman Abramovich, mas o jogador brasileiro já mandou avisar: "Eu sei que Chelsea quer me contratar. Mas, é um time que eu não quero jogar" - disse Ronaldinho. "Quando eu enfrentei o Chelsea na Liga dos Campeões os jogadores me chutaram muito para tentar conseguir a bola. Esse tipo de jogo não é para mim e em nenhum lugar se joga assim. Se o Roman vier me procurar eu vou dizer 'não muito obrigado'. Também digo não a qualquer oferta da Inter de Milão e do Milan. Eu estou tentando dar o meu melhor para Barcelona" - finalizou Ronaldinho que teve uma atuação regular no último final de semana, na derrota do Barcelona por 2-1 para o Villareal.

Redação Sport Marketing

NBC e Johnson&Johnson lançam reality show olímpico

O portal olímpico NBC Olympics, da emissora americana detentora dos direitos de transmissão dos Jogos de Beijing com exclusividade para os Estados Unidos, e a Johnson & Johnson, patrocinadora mundial do Movimento Olímpico, fecharam parceria e vão lançar um produto muito interessante. As duas empresas, vão hospedar no portal iVillage o site "O quarto de família" www.iVillage.com/familyroom. O site terá como conteúdo a experiência multimídia de oito atletas em fase de classificação para os Jogos de Beijing e apresentará uma série de episódios semanais sobre suas vidas e famílias destacando as expectativas, depoimentos e as experiências dos atletas aspirantes a uma vaga nos Jogos. A peça central são mini-documentários de aproximadamente sete minutos também vão destacar a vida em família desses atletas. Os atletas escolhidos para o reality show NBC Olympics/J&J são pessoas que têm histórias de vida delicadas como Tina Ellertson, que ficou grávida aos 18 anos e que aos 26 se tornou goleira no time americano de futebol; e Reese Hoff, que teve uma adolescência problemática e a mãe, muito idosa, a enviou para um orfanato às 4 anos de idade. Também fazem parte: os irmãos gêmeos Paul & Morgan Hamm (ginástica); Chellsie Memmel (ginástica); irmãos Steve & Katie Mocco (luta olímpica e judô); e Lauryn Williams (atletismo). Nenhum dos atletas do site estão garantidos para ir aos Jogos. "Isto é uma forma de conectar os consumidores em todo o país para a jornada dos atletas olímpicos. Não existe nada mais real do que a vida de alguém tentando fazer parte de uma delegação olímpica" - disse Dave Mingey, o diretor de marketing olímpico para J&J. Em julho de 2005, J&J tornou-se patrocinadora oficial dos Jogos de Inverno de Turim na categoria de produtos de saúde e na sequência, fechou contrato de patrocínio com o IOC - International Olympic Committee - Comitê Olímpico Internacional, se tornando então uma parceira oficial TOP do Movimento Olímpico mundial e garantiu lançar uma série de atividades para promover os Jogos globalmente. O site também apresentará informações sobre os produtos Johnson & Johnson e promoções para das emissoras da rede NBC. No Brasil, Suzan Rivetti, que trabalhava na empresa atuando como vice-presidente para América Latina da Unidade Global de Negócios de produtos para beleza da Johnson & Johnson foi eleita presidente. Rivetti, que é formada em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas, iniciou e consolidou sua carreira na Johnson & Johnson, primeiramente na área financeira, até ser transferida para a área de marketing. Em 2003, a executiva assumiu a presidência da empresa na Argentina e em 2007 retornou ao Brasil.

Redação Sport Marketing