25 de dez de 2008

TBZ na justiça

A empresa de licenciamento e merchandising TBZ, que geriu as marcas dos três maiores clubes portugueses e do Real Madrid, está sob investigação do Ministério Público por insolvência dolosa. O banco Efisa, agora nas mãos do Estado português, detém 50 % do capital desta empresa. O processo está sendo conduzido pelo Departamento de Investigação Penal (DIAP) de Lisboa, tendo como base suspeitas de contração de dívidas com intenção de prejudicar credores. A TBZ, que tem sido acusada judicialmente por fornecedores e clientes devido a falhas nos pagamentos, é detida em 50% pelo banco Efisa, comprado no início da década pelo Banco Português de Negócios (BPN). Com a nacionalização da instituição financeira, a empresa passa pertencer ao universo do Estado. Além do processo de insolvência dolosa, a TBZ foi vítima de um processo por parte de um fornecedor, a empresa China do Século XXI, que reclama dívidas de um milhão de euros. Em Novembro, a Puma interpôs um processo de insolvência contra a empresa, por dívidas acumuladas de 850 mil euros. E, este mês, Benfica, Sporting e FC Porto rescindiram os contratos com a TBZ, alegando incumprimento de obrigações contratuais. Seguiram os passos do Real Madrid, que cessou relações com a TBZ em junho. No final do ano passado, a TBZ apresentava um faturamento acima de 20 milhões de euros, o que representa um crescimento de 103% face a 2004. No entanto, o endividamento também subiu para os 20,7 milhões de euros, quase 20 vezes mais do que o capital próprio (1,6 milhões de euros). Pelo menos desde 2004 que a empresa apresenta problemas de liquidez.

Redação Sport Marketing