29 de dez de 2008

Mercado: Café com processamento natural de fezes

Cada vez mais me convenço que política, religião, ideologia e gosto cada um tem o seu! Um dos tipos de grão de café mais caros do mundo é o Kopi Luwak. A maior particularidade do grão é ser tratado naturalmente pelo sistema digestivo de um mamífero da Indonésia, uma espécie de gato, chamado Luwak ou Civet Cat. O animal seleciona os melhores grãos, come, o estômago tira a casca, o animal defeca os grãos e as fezes formam uma capa que lhe dá status de um autêntico Café Especial, por tornarem o gosto do café algo que especialistas classificam de magníficamente diferente. Os grãos permanecem no chão até que os colhedores cuidadosamente os recolham para processá-los, a seguir, de forma, digamos, não animal. Nos pequenos sítios, sofrem o processo de secagem em terreiros, onde ficam até atingirem a umidade em torno de 11%, mantendo o pergaminho como invólucro. O nome do produto, Kopi Luwak, é originário da linguagem bahasa da Indonésia, sendo que kopi significa café, enquanto que luwak identifica o pequeno animal. Devido ao aspecto estritamente artesanal na coleta dos grãos, a quantidade ofertada deste café é bastante restrita, fazendo com que os preços atinjam valores exorbitantes. No Brasil, o animal responsável pelo processo é o jacu, que deu origem ao Jacu Coffe. Cada 'troço' de fezes de Jacu pesa 3 gramas. Uma saca de café , necessita 20.000. Isso tudo foi só prá comprovar que a natureza e o homem, sabem como ninguém, transformar 'fezes' em ouro! Vivendo e aprendendo. Mas que esse é, sem dúvida, o produto ideal para patrocinar certos profissionais, que só falam 'm...', lá isso é... Imagine então, se certos jornalistas, que pela própria natureza, são especialistas em pensar, falar, escrever muita 'm...", resolverem aderir ao consumo do produto! Deus nos livre!

Redação Sport Marketing