14 de dez de 2008

F1 procura se adequar à crise

O Conselho Mundial da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) adotou por unanimidade das equipes várias medidas para reduzir os custos da F1 a partir de 2009. Os motores deverão durar três GPs consecutivos e os pilotos não poderão utilizar mais de oito blocos de propulsão durante a temporada. Quatro estarão disponíveis para os treinos, o que soma 20 motores por escuderia. Eles estarão limitados a 18.000 rotações por minuto para aumentar a vida útil. As medidas devem representar uma economia de 50% do orçamento por motor em relação à temporada passada. As equipes não poderão realizar treinos privados durante a temporada, com exceção das sessões de treinamentos livres que acontecem durante o fim de semana da corrida. Serão permitidos apenas os treinos de inverno, antes do início da temporada. A FIA está realizando estudos de mercado para conhecer a aceitação de determinadas medidas, como substituir os pontos por medalhas ou modificar o formato das classificações.

Redação Sport Marketing