3 de dez de 2008

COB redistribui verbas da Lei Agnelo/Piva para 2009

O Comitê Olímpico Brasileiro redistribuiu as verbas da Lei Agnelo/Piva para 2009. De acordo com o anúncio do COB, 17 Confederações que recebem menos de R$ 2 milhões tiveram os valores anuais aumentados em relação ao estudo preliminar apresentado pelo COB no dia 7 de novembro. Não houve aumento dos valores das sete Confederações que recebem entre R$ 2,3 milhões e o teto de R$ 2,5 milhões. O valor mínimo das modalidades olímpicas de verão passou para R$ 800 mil, e das modalidades de inverno para R$ 600 mil, em função de 2009 ser ano pré-olimpico. O novo repasse será possível graças ao aumento da estimativa de arrecadação dos recursos da Lei Agnelo/Piva no próximo ano para R$ 79 milhões, o que significa um aumento de 18% em relação à previsão feita inicialmente para 2008. “Estamos certos de que os valores apresentados às Confederações para 2009 atendem às necessidades para cumprir o planejamento estratégico de crescimento de cada modalidade. O mais importante é que a diferença de valores entre as Confederações que recebem mais e as que recebem menos está diminuindo. Este é um processo que se acentuará na medida em que as Confederações de menor porte apresentarem evolução das modalidades. Mas todas, inclusive as mais avançadas, terão que cumprir as metas do COB para merecerem o patamar financeiro em 2010. Esta análise do COB será dinâmica” - explicou o superintendente executivo de esportes, Marcus Vinicius Freire. O plano de metas para cada modalidade deverá ser apresentado pelo COB em janeiro. Os valores apresentados pelo COB tiveram como base cinco pontos fundamentais: análise das Prioridades e Metas de cada modalidade no período 2001/2008, atingidas e não atingidas; participação nos Jogos Sul-americanos 2006, Pan-americanos 2007, e Jogos Olímpicos 2008; análise do último Ciclo Olímpico; trabalho nas categorias inferiores, qualificação de técnicos e gestores; e planejamento do Ciclo 2009/2012. “O mais importante é que as Confederações Brasileiras Olímpicas, sobretudo as de menor porte, terão condições de executar o plano de desenvolvimento para cada modalidade. O COB dará todo o apoio necessário para a execução desse plano, porém as Confederações terão que cumprir as metas que serão definidas em função do planejamento de cada modalidade para 2009. Vale ressaltar que as metas sempre existiram, a diferença agora é que elas serão divulgadas. Para isso, tivemos a preocupação de fechar o ciclo olímpico para não interferir na preparação das equipes para Pequim 2008”, avaliou o presidente do COB Carlos Arthur Nuzman.

Confira abaixo a estimativa de repasse às Confederações em 2009:

Modalidades com campeões olímpicos ou conquista de mais de uma medalha em Jogos Olímpicos: R$ 2,5 milhões – Atletismo, Desportos Aquáticos, Judô, Vela e Voleibol

Modalidades com campeões pan-americanos e/ou histórico olímpico
R$ 2,3 milhões – Ginástica e Handebol
R$ 1,8 milhão – Hipismo
R$ 1,7 milhão – Basquete

Modalidades em desenvolvimento com resultado sul-americano, pan-americano e mundial
R$ 1,6 milhão – Canoagem, Ciclismo, Remo e Tênis de mesa
R$ 1,4 milhão – Boxe
R$ 1,3 milhão – Tênis e Tiro Esportivo
R$ 1,2 milhão – Triatlo
R$ 1 milhão – Taekwondo

Modalidades em desenvolvimento com resultado sul-americano
R$ 900 mil – Esgrima e Lutas
R$ 800 mil – Badminton, Hóquei sobre grama, Levantamento de peso, Pentatlo Moderno e Tiro com arco
R$ 600 mil – Desportos no Gelo e Desportos na Neve

Redação Sport Marketing