30 de nov de 2008

Prefeito do Rio anuncia secretário de esportes

O recém-eleito prefeitodo Rio de Janeiro, Eduardo Paes, anunciou o nome do futuro secretário municipal de Esportes. O agraciado com o cargo será o deputado estadual Francisco Manoel de Carvalho, o Chiquinho da Mangueira. O anúncio foi feito durante visita à Vila Olímpica da escola. Aos 54 anos, Chiquinho da Mangueira já esteve à frente da pasta no âmbito estadual, por sete anos, nos governos Anthony e Rosinha Garotinho. O jornal carioca Extra publica uma matéria ressaltando a trajetória política de Chiquinho. "Ele estava no cargo em 2003, quando o então comandante do 4º BPM (Méier), Erir Ribeiro, o acusou de ter pedido uma trégua no combate ao tráfico de drogas na Mangueira. E denunciou ter sido exonerado por este motivo. De acordo com o oficial, Chiquinho solicitara em reunião a redução do número de operações na Mangueira, alegando que os bandidos queriam uma trégua, porque a venda de drogas estava caindo. Ainda segundo o tenente-coronel, o secretário teria dito que estava sendo pressionado pelos bandidos. À época, Chiquinho confirmou a reunião, realizada no batalhão, mas negou a acusação. Ele afirmou que, para evitar que crianças fossem feridas por balas perdidas, pedira apenas que as blitzes não fossem realizadas nos horários de entrada e saída das escolas. O inquérito foi arquivado pelo Ministério Público estadual. Também em 2003, dois agentes penitenciários disseram que Chiquinho, entre 1997 e 1999, visitava dois traficantes no presídio Bangu III. Ele negou e disse que foi ao presídio, a convite do diretor, para desenvolver projetos de ressocialização. No ano passado, o nome de Chiquinho apareceu em uma lista, apreendida pela Polícia Federal, durante a Operação Hurricane. Ele teria supostamente recebido doações de bicheiros e da máfia dos caça-níqueis para a campanha à Assembléia. Paes chegou a criticar a gestão do Maracanã ao assumir a Suderj, em 2007, no lugar de Sérgio Emilião, que ocupou o cargo de abril a dezembro do ano anterior. Antes dele, Chiquinho presidiu a entidade por dois governos. Na época, Paes, que também foi nomeado secretário estadual de Turismo pelo governador Sérgio Cabral, declarou que o gramado do estádio era um queijo suíço de tão esburacado e que sofria por vícios de administrações antigas. Ontem, Paes era só elogios para o novo colaborador: ' Não tem exemplo melhor no Rio do que o do Chiquinho, que é o grande condutor desse processo da Vila Olímpica da Mangueira. Tem a história de vida política voltada para a garotada, juventude e esporte.' Para Chiquinho, a campanha eleitoral os aproximou: 'Mostrei a ele que saí do Maracanã com aprovação de 79% dos torcedores que freqüentavam o estado'. Eleito em 2002 e reeleito em 2006, Chiquinho da Mangueira foi o idealizador da Vila Olímpica da Mangueira, em 1987; presidente da Federação de Atletismo nos anos 90 e presidente da Suderj por duas vezes. O futuro secretário anunciou ontem a criação de programas para descobrir novos talentos do esporte entre os alunos da rede municipal: 'Vamos fazer um trabalho para pinçar os melhores, exatamente como Cuba fez, e desenvolver esses talentos nas escolas, clubes e vilas olímpicas. Além de vilas olímpicas, a prefeitura pretende usar clubes ociosos, que poderão ter dívidas de IPTU negociadas, para complementar as atividades físicas de alunos de escolas municipais'. Chiquinho também espera poder organizar, no segundo semestre, a partir de 2010, um campeonato carioca com clubes de futebol da segunda e terceira divisões. Ele ainda quer investir no futebol feminino na cidade."

Redação Sport Marketing