24 de out de 2008

Oposição cria chapa para eleições da CBR

Finalmente, a oposição resolve se unir, a fim de tentar quebrar a hegemonia jurássica da
Confederação Brasileira de Remo (CBR). Wilson Reeberg lançou uma chapa que disputará a presidência da entidade. Wilson terá pela frente a missão de assumir o poder e colocar fim ao comando de Rodney Bernardes de Araújo, que dirige a entidade desde 1990, devido aos 'apoios' que o mesmo consegue das federações que a CBR 'sustenta'. Wilson pretende implantar o que chama de "Nova CBR" e, para tal, fez questão de trazer nomes ligados ao esporte. Um deles foi José Carlos Brunoro, especialista em marketing esportivo que está à frente da Brunoro Sport Business que, atualmente, desenvolve projeto do grupo Pão de Açúcar . "Estamos tentando nos cercar dos melhores nomes para ajudar em nossa administração. Ainda não conversei com o Ary Graça, mas sei mais ou menos como funciona o sistema de gestão de treinamento dele e é isso que quero trazer para o Remo. Precisamos criar ídolos como os que o vôlei tem hoje" - disse Reeberg, cuja chapa também estuda criar uma "cópia" do Centro de Treinamento que a CBV mantém em Saquarema. Opositor voraz de Araújo, Reeberg acusa a atual administração da entidade de não dialogar com as federações e priorizar programas que privilegam clubes do Norte e Nordeste, onde a atual gestão tem maior base de apoio. Reeberg garante, porém, que já conta com promessa de votos de entidades historicamente ligadas a Araújo, mas prefere não revelar quem são os apoiadores, porque muitos deles ainda tentam receber vantagens da CBR. Para vencer a eleição é preciso que um candidato consiga somar oito votos entre as 14 federações estaduais existentes. Algumas entidades já manifestaram apoio a Reeberg nesta tarde. Foram os casos das federações do Rio de Janeiro, de Pernambuco e do Rio Grande do Sul. São Paulo afirmou que fará uma votação interna entre os clubes para decidir qual candidato apoiará.

Redação Sport Marketing