15 de out de 2008

Números de candidatura assustam

A Folha de S. Paulo publicou matéria sobre os custos da candidatura do Rio de Janeiro para os Jogos Olímpicos de 2016. De acordo com o jornal paulista, esta é a candidatura mais cara comparada às outras três tentativas de receber o evento: em 2000 (em Sydney), 2004 (em Atenas) e 2012 (que será em Londres). Segundo a publicação, somente em salários, a comissão de candidatura já paga R$ 450 mil mensais, podendo aumentar conforme a proximidade da escolha definitiva para os Jogos de 2016. Com mais de cem funcionários, o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) já teria consumido R$ 68 milhões nos últimos quatro anos. Mas não é só em salários que a comissão tem gastos. O jornal destaca que o Ministério do Esporte disse que 'todas as despesas serão bancadas pelo governo federal, Prefeitura do Rio de Janeiro e setor privado'. Comparada com a candidatura e o comitê organizador da Copa 2014, que será no Brasil, a comissão do Rio de 2016 seria bem mais inchada, de acordo com a publicação. Na campanha para receber o maior evento do futebol, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) teria usado apenas três diretores remunerados, além do presidente Ricardo Teixeira. O Ministério do Esporte se pronunciou e, de acordo com o jornal, 'o planejamento de recursos humanos do comitê de candidatura é variável em função das atividades previstas em cada fase dos trabalhos' e o número de funcionários ainda pode aumentar. Segundo o ministério, o COB tem plena autonomia para o uso da verba.

Redação Sport Marketing