13 de out de 2008

EUA usam marketing para salvar marketing

Antes de atingir as ações de marketing esportivo na Europa, a atual crise financeira que assola mercados de todo o mundo, abala o esportenos Estados Unidos. Caso o atual cenário não mude drasticamente, os meses de fevereiro e março de 2009 serão negros para o esporte americano. Segundo especialistas, franquias de diversas modalidades podem decretar falência. Entre os esportes que já vivem o reflexo do olho do furacão está o hóquei. A montadora Chrysler encerrou o patrocínio de 13 anos com o Florida Panthers e a Dodge, também desistiu da parceria com o San Jose Sharks. A National Football League (NFL), que teve uma arrecadação de US$ 6,2 bilhões na última temporada, já se preocupar com a possibilidade real de uma queda histórica no faturamento. De acordo com uma pesquisa realizada pela empresa Turnkey Sports & Entertainment, 80,4% dos entrevistados afirmaram que assistir a um jogo nos estádios ou ginásios era muito caro, enquanto 50,6% das pessoas pretendiam comprar menos ingressos nos próximos seis meses. A fim de se preparar para o problema, os departamentos de marketing das categorias esportivas estão se movimentando realizando promoções para não perder público e manter a arrecadação. A Nascar, stock car americana e um dos esportes mais populares dos Estados Unidos, é um ótimo exemplo. A categoria criou um pacote de US$ 159,00 no qual o torcedor tem direito a quatro ingressos para uma corrida e o mesmo número de cachorros-quentes e copos de refrigerantes, além de cupons de desconto. Já a Liga Americana de Basquete Profissional (NBA) reduziu o número de jogos na Europa. A Fórmula 1 pretende realizar cortes de custos.

Redação Sport Marketing