27 de out de 2008

Escândalos e intervenções na Federação Polaca

A Agência Tributária da Polônia bloqueou a conta bancária da Federação Polaca de Futebol (PZPN). Os motivos alegados foram os atrasos no pagamento de impostos, a três dias das eleições no organismo, o conflito com FIFA e a atual entidade. A PZPN deve ao fisco cerca de 18,5 milhões de zloty (cerca de cinco milhões de euros), presumivelmente por dívidas relacionadas com os direitos televisivos por transmissão dos jogos. “Vamos protestar por isto” - assegurou o porta-voz federativo, Zbigniew Kosminski, ao jornal “Dziennik”. A Agência Tributária tomou esta posição a três dias das eleições na PZPN, nas quais será eleita a nova direção, depois da anterior ter sido destituída pelo governo ao nomear um administrador, uma decisão que supõe um confronto aberto com a FIFA. A decisão do executivo polaco, que teve repercussão na imprensa de todo o mundo, foi justificada pela luta contra a corrupção que atinge o futebol. A medida foi recusada pela FIFA, que ameaçou proibir a Polônia de disputar os jogos de qualificação para o Mundial da África do Sul, em 2010, se não voltasse atrás. O governo cedeu ao ultimato da FIFA, além de que estava em perigo o futuro Europeu de 2012, que em princípio, será organizado conjuntamente pela Polônia e Ucrânia. A justiça polaca mantém, há cerca de dois meses, uma guerra aberta contra a corrupção no futebol, que inclusivamente supõe que a liga polaca, a Ekstraklasa, cujo início estava previsto para finais de julho passado, só tivesse começado em agosto devido aos escândalos.

Redação Sport Marketing