9 de ago de 2008

Seleção obedece regras do COI e joga sem escudo da CBF

A controvérsia com relação ao uniforme da seleção brasileira de futebol, masculina e feminina, chega ao fim. As equipes vão jogar as partidas dos Jogos Olímpicos com uma camisa sem escudo algum, ou seja, sem o CBF e sem o do COB. A única marca no uniforme das equipes será da Nike, fornecedora oficial de materiais esportivos da Confederação Brasileira de Futebol. Havia-se aventado a possibilidade de ser usado o logo do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), porém, a entidade é patrocinada pela Olympikus, detentora dos direitos exclusivos de utilização do logotipo, formado pela bandeira nacional e dos aros olímpicos. O cerne da questão é que a CBF insiste em ter 'voz de decisão' nos Jogos Olímpicos, que são organizados pelo IOC - International Olympic Committee - Comitê Olímpico Internacional (COI), o qual tem normas e regras de marketing distintas da FIFA. O COI não permite, por exemplo, publicidade nas arenas esportivas dos Jogos e tão pouco, o uso de distintivo de federações, mas sim dos CONs - Comitês Olímpicos Nacionais, vinculados à entidade. Sob esta visão, é mais do que correto que o escudo da CBF, com as cinco estrelas, não esteja na camisa das seleções de futebol olímpica que nunca ganharam um título olímpico! Ciente de que o COI e o COB poderiam exigir que as regras da carta olímpica fossem respeitadas, a CBF disse que levou um lote de camisas sem o escudo. A pergunta que fica no ar é: se levou camisas sem o escudo, porque não usou, uma vez que sabia que estaria infringindo uma regra? Por que esperou o desgaste? Atitude típica do futebol brasileiro - lamentável como o desempenho da seleção masculina de Dunga.

Redação Sport Marketing - Beijing 2008