4 de ago de 2008

Patrocínio de camisas supera expectativas na Bundesliga

Os 18 clubes da Bundesliga deverão levantar, em conjunto, aproximadamente 114 milhões de euros em receitas de patrocínio principal nas camisas na temporada 2008/09. Na temporada passada, os clubes da liga alemã de futebol ultrapassaram, pela primeira vez, a marca dos cem milhões de euros neste segmento. O crescimento de 13% (dos 101 milhões de 2007/08 para os 114,1 milhões de 2008/09) deve-se, em grande parte, ao regresso à divisão principal de dois clubes "históricos": Borússia de Monchengladbach e Colonia. Cada clube da Bundesliga recebe, em média, 6,34 milhões anuais, embora a maioria (11 clubes) receba bem menos. Sete clubes estão acima deste patamar. A lista é encabeçada pelo gigante Bayern de Munique, cujo "sponsor" - a T-Home, da empresa de telecomunicações Deutsche Telekom - paga 20 milhões de euros por ano. Na Europa, apenas o Manchester United recebe mais (20,9 milhões da seguradora AIG). Três clubes da Bundesliga estão no Top 5 das receitas do patrocínio de camisas do futebol europeu, juntamente com Real Madrid (15 milhões/Bwin), Chelsea (14,5 milhões/Samsung) e AC Milan (12 milhões/Bwin - o mesmo do Schalke 04). Nenhuma outra liga européia tem receitas tão significativas no domínio dos patrocínios principais. Os grandes conglomerados energéticos (seis clubes - um terço da Bundesliga) passaram a dominar, nos últimos anos, a lista de "sponsors" na Alemanha, tomando progressivamente o lugar das empresas de telecomunicações e de serviços financeiros. O Bayern recebe 15 vezes mais do que o Energie Cottbus, a única equipe da Bundesliga de uma cidade da antiga RDA. Quase 19 milhões de euros em patrocínios de camisas separam estes dois clubes. A estréia dos patrocínios em camisas de um clube da Bundesliga ocorreu no dia 24 de Março de 1973, num jogo Eintracht Braunschweig-Schalke 04. A equipe da casa acabara de assinar um contrato revolucionário, com a duração de cinco anos, com a Jagermeister, uma marca de bebidas alcoólicas muito popular. O Eintracht recebia 90 mil marcos (cerca de 45 mil euros) anuais. Na época, este contrato - idealizado por Gunter Mast, presidente do Eintracht - provocou uma polêmica enorme, com inúmeras vozes a protestarem contra a "prostituição do futebol". Na temporada 1974/75, o número de clubes da Bundesliga a exibir patrocinadores nas camisas aumentou para seis. Hoje em dia, transformou-se numa das principais fontes de receita dos clubes da Alemanha.

Redação Sport Marketing