31 de ago de 2008

Cuidado: o mercado está cheio de picaretas

Se existisse uma competição para definir o país com maior contingente de 'picaretas' do planeta, certa e infelizmente, o Brasil seria forte concorrente a ganhar medalha de ouro, prata e bronze! Pena que uma competição mundial de 'picaretagem' seja tão nefasta! Mas, aproveitando o momento esportivo, a metáfora vem bem a calhar para lhe alertar contra a ação de alguns 'picaretas' que assolam o mercado e explicitar minha indignação com a capacidade genética que alguns brasileiros têm em, descaradamente, querer se dar bem no exercício da 'picaretagem'. Digo 'alguns' porque a 'picaretagem', não está no sangue de todos os brasileiros e tenho orgulho em dizer que conheço profissionais sérios que também combatem a ação e que não conseguiriam nem índice para uma competição de 'picaretagem' regional, quiçá, nacional ou internacional. Apesar do asco que os 'picaretas' causam a profissionais renomados, por prostituirem mercados, os 'campeões em picaretagem' são dignos de admiração e também de risos. É impressionante a capacidade latente que os 'picaretas' têm, mesmo totalmente fora da lei e da ética, em acharem correto o que fazem. Usam argumentos de defesa, quando devidamente desmascarados, argumentos estes, dignos de roteiros de comédias estilo pastelão. Já outros, menos inteligentes, agem com arrogância e morrem com o próprio veneno demonstrando as verdadeiras capacidades que têm em não saber administrar problemas e as chagas que causam ao mercado. Imagine esses 'picaretas' administrando clientes! Lamentavelmante, a 'picaretagem' é um 'esporte' nacional praticado em várias áreas. O marketing esportivo, que ainda está engatinhando no país, infelizmente, não está livre da ação dos 'picaretas' e não faltam 'esportistas da picaretagem profissionais', inspirados talvez, na famosa 'lei de Gerson', sobre a qual já comentamos aqui (ler matéria arquivo Sport Marketing - Chineses abusam da Lei de Gerson com dinheiro doado às vítimas). Para quem não sabe, a expressão originou-se em uma propaganda, de 1976, para os cigarros Vila Rica, na qual o canhotinha de ouro Gerson, da seleção brasileira, era o protagonista e dizia: "Gosto de levar vantagem em tudo, certo? Leve vantagem você também." Vale aqui a ressalva de que, anos depois da gravação do comercial, Gerson afirmou que se arrependeu de ter associado a imagem dele ao anúncio, visto que qualquer comportamento pouco ético passou a ser aliado ao nome dele nas expressões Síndrome de Gérson ou Lei de Gérson, referindo-se à pessoas que "gostam de levar vantagem em tudo", no sentido negativo de se aproveitar de todas as situações em benefício próprio, sem se importar com a ética. Isso sem contar os 'sábios' de plantão, 'especialistas e doutores' que se metem a escrever sobre marketing esportivo. Li tantas besteiras durante esses Jogos sobre marketing olímpico escritas pelos 'especialistas' em marketing esportivo que doeu nos ossos e na alma - 'profissionais' que se metem a escrever sobre o tema em blogs e sites, que desconhecem até as regras da Carta Olímpica, e que ao invés de informar, desinformam! Por isso, aqui vai uma dica importante: antes de entregar uma cota de patrocínio ou um projeto a qualquer empresa de marketing esportivo, antes de ceder os direitos de um evento, antes de fechar parcerias, filar-se a associações, federações, institutos, antes de se inscrever em cursos, congressos, enfim, antes de qualquer passo importante que você pretenda dar nesta área e que , principalmente, implique dinheiro, pesquise, pesquise muito! Pesquise o histórico da empresa e dos profissionais que você pretende se associar. Não se engane com 'picaretas' de terno e gravata que exibem currículos e históricos na internet arrotando prepotência, mas que nunca participaram da organização de um mega evento internacional ou 'filhinhos de papai' que brincam de empresários e abrem uma empresa de marketing esportivo de fundo de quintal e se acham os donos da verdade e do mercado. A ação dos 'picaretas' está assolando, inclusive, muitos profissionais respeitados na área. Coleciono declarações e e-mails de profissionais renomados que alegam que depois de sondados a cargos, foram, simplesmente empossados, sem que tivessem participado de uma única reunião, que não ganham pelo cargo que lhe 'deram', que nem sabiam que os nomes estão sendo indevidamente usados e que apesar dos cargos de presidentes, diretores, secretários não respondem pela entidade e não têm o menor poder de decisão ou interesse! Estão ali, sendo usados, como vitrine para que a 'picaretagem' siga e se assombram quando são procurados e questionados pelo 'suposto' envolvimento e parceria com 'profissionais' que declaram, inclusive, que 'mandam outros para o espaço', (olha que nível), mas que não têm parceria com a NASA! Por essa e tantas razões e exemplos, digo e repito, não caia no golpe dos 'picaretas' que tentam vender, passar uma imagem, uma importância no mercado do marketing esportivo que na verdade não tem! Acorda para a realidade Brasil - você ainda é um ponto negro na escuridão do mercado de marketing esportivo que engatinha. Um dia você poderá ser um ponto iluminado, grande, referência, mas para isso, vai precisar aprender a ser maduro, digno, ético, sério e profissional - qualidades que lhe faltam! Enquanto isso não acontecer, ganhas apenas a medalha de ouro, daquelas de chocolate enrolada em papel dourado, em 'picaretagem'!

Deborah Ribeiro - Diretora Sport Marketing