6 de ago de 2008

Confusão na Vila Olímpica de Beijing

Além da estréia do Brasil nos Jogos Olímpicos de Beijing, com os toques da seleção brasileira feminina de futebol, o dia foi marcado por confusão na Vila Olímpica. A bicampeã olímpica de natação, a norte-americana Amanda Beard, patrocinada pela Speedo e garota propaganda da Red Bull e marcas de biquinis como Sixdegrees, realizou um protesto a favor da proteção aos animais. Amanda, que já pousou nua para a Playboy, usou um cartaz com uma foto em que aparece usando apenas óculos de natação pendurado no pescoço diante da bandeira americana e que traz os dizeres: “Sinta-se confortável na sua própria pele. Não use pele de animais”. Apesar do protesto não ter diretamente cunho político, a manifestação da atleta contra o uso de pele de animais, contraria uma das regras destes Jogos Olimpícos, uma vez que que há apenas três lugares em Beijing onde os protestos são permitidos desde que solicitados com cinco dias de antecedência. Falando em roupa, o Brasil estreiou nos Jogos com o distintivo da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e não o do COB estampado na camisa, encerrando o impasse entre a entidade, o IOC - International Olympic Committe - Comitê Olímpico Internacional (COI) e Comitê Olímpico Brasileiro (COB). De acordo com a carta olímpica, nenhuma das seleções pode utilizar os símbolos de federações. A são admitidos apenas os escudos dos CONs - Comitês Olímpicos Nacionais ou as bandeiras de países. A Nike, fornecedora de material esportivo das seleções de futebol, não possuía uniformes que cumprissem a exigência. O COB, que tem contrato com a Olympikus, afirmou que não tinha interesse em estampar o logo nas camisas de uma empresa concorrente. Chegou a ser cogitado que a bandeira do Brasil substituísse o escudo da CBF caso o COI exigisse que a regra fosse cumprida.

Redação Sport Marketing - Beijing 2008