7 de ago de 2008

Chinês é eleito vice-presidente do COI

Eleito com 84 votos a favor e apenas dez contra, o chinês Yu Zaiqing será o novo vice-presidente do IOC - International Olympic Committe - Comitê Olímpico Internacional (COI). A eleição levanta preocupações, principalmente, em se tratando de liberdade de imprensa e respeito aos direitos humanos. Verdade seja dita, caso Zaiqing, vice-presidente do Comitê Olímpico Chinês e do BOCOG - Beijing Organizing Committe Olympic Games - Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Beijing, entre para o COI com a mesma mentalidade com que a China está tratando a mídia e os Jogos, a comunidade olímpica deve se preparar para dias menos brilhantes. O receio de como será a influência do chinês Yu Zaiqing em um cargo tão importante no COI passa por questões e pontos subliminares como Trégua Olímpica, liberdade de imprensa, respeito aos direitos humanos - valores que são pilares importantes do Movimento Olímpico os quais garantem aos Jogos Olímpicos, um marketing positivo mundial e, conquentemente, a permanência e interesse das empresas. Algumas perguntas insistem em não calar. O que a comunidade olímpica pode esperar de um vice-presidente oriundo de um país, cuja política maculou a trajetória da Tocha Olímpica mundialmente e colocou em risco o envolvimento de patrocinadores mundiais como Coca-Cola, Samsung e Lenovo? O que esperar de um vice-presidente oriundo de uma cultura na qual as mulheres não são respeitadas, a qual vai de encontro com as regras da Carta Olímpica que valoriza e estimula a participação feminina nos esportes e em cargos nos CONs - Comitês Olímpicos Nacionais? Como será a atuação de um vice-presidente vindo de um país no qual valores como paz, harmonia e direitos humanos são descartados? O que a mídia internacional deve esperar de um vice-presidente, cujo país sediou os Jogos Olímpicos, fazendo bloqueios à internet e ao acesso da imprensa, mesmo tendo ciência de que a cobertura jornalística, aos direitos de transmissão dos Jogos, são responsáveis por 50% de receita do COI e que isso ocorre, graças à presença maciça da imprensa mundial no evento? Estas são perguntas que insistem em não calar com relação à Yu Zaiqing no cargo de vice-presidente do COI, substituindo a sueca Gunilla Lindberg. Outras mudança importantes no organograma do COI foram a incorporação da marroquina Nawal El Moutawakel, campeã olímpica dos 400m com barreiras nos Jogos de Los Angeles-1984, à comissão executiva do COI, a renovação dos mandatos do mexicano Mario Vázquez Raña - como representante dos Comitês Olímpicos Nacionais - e do suíço Denis Oswald e a contratação o ex-velocista namíbio Frankie Fredericks, em substituição ao ucraniano Serguei Bubka na condição de representante dos atletas no órgão. Entre todas as novidades, a única que causa profunda preocupação foi a do chinês Yu Zaiqing.

Redação Sport Marketing