10 de ago de 2008

Aros olímpicos marcam Jogos e vidas

A marca mais conhecida do mundo é encontrada em todos os lugares de Beijing. Os cinco aros, símbolo olímpico e do IOC - International Olympic Committee - Comitê Olímpico Internacional (COI) estão, inclusive, nos corpos dos atletas. Nas costas, nas pernas, nas cochas os valores que inspiram os cinco aros interligados, apresentado por Coubertin em 1914 no Congresso Mundial, têm marcado a ferro a mente de pessoas em todo o mundo. O livro Ouro Olímpico - a história do marketing dos aros - selo COB Cultural, escrito pelo Chefe da delegação Brasileira e diretor voluntário do COB, Marcus Vinicius Freire, em parceria com a jornalista Deborah Ribeiro, aborda em detalhes a evolução da importância dos aros do ponto de vista de marketing e como o COI passou a aproveitar as propriedades que os aros inspiram como marketing do evento. Segundo alguns estudiosos, a inspiração do Barão para o símbolo olímpico veio de uma propaganda dos pneus Dunlop, cujo anúncio mostrava pneus de bicicleta, entrelaçados, segurados por anjos. Desde que foram instroduzidos até os dias de hoje, os aros ganharam propriedades intelectuais valiosas e essenciais para os ideais de marketing de longo prazo do COI e do Movimento Olímpico, que estabeleceu uma imagem durável e valiosa ao longo dos anos. Essa imagem está baseada em conceitos sublimes como celebração da humanidade, cultura, arte, educação e do espírito esportivo, conceitos que certificaram ao Movimento Olímpico um poder simbólico capaz de carregar muitos ideais com valores humanos. Os aros olímpicos são os espelho dessas qualidades.

Redação Sport Marketing - Beijing 2008