9 de jul de 2008

UEFA volta a analisar caso do Porto

O Comitê de Controle e Disciplina da UEFA irá rever a admissão do FC Porto à próxima Liga dos Campeões de futebol assim que receber a documentação requerida à federação portuguesa sobre as decisões do caso 'Apito Final'. O diretor de comunicação da UEFA disse que o organismo ainda não recebeu a informação pedida à Federação Portuguesa de Futebol (FPF), embora as duas partes se mantenham em "contato telefônico permanente". "Provavelmente, ainda hoje poderemos ter todos os dados que pedimos. Posteriormente, toda a informação será remetida ao Comitê de Controle e Disciplina, que depois avaliará se encerra ou reabre o processo do FC Porto" - revelou William Gaillard. Depois de admitir que as deliberações da atribulada reunião do Conselho de Justiça (CJ) possam ter gerado alguma confusão entre os juristas do organismo europeu, Gaillard insistiu que este é um "caso complexo". Na madrugada de sábado, cinco membros do CJ confirmaram as penas de descida de divisão do Boavista, por coacção sobre árbitros e de suspensão de dois anos do presidente do FC Porto, Pinto da Costa, por tentativa de corrupção, decretadas em 1ª instância pela Comissão Disciplinar da Liga de clubes, no âmbito do 'Apito Final'. Porém, estas deliberações foram tomadas sem as presenças do presidente e vice-presidente do CJ, Gonçalves Pereira e Elísio Amorim, respectivamente, que abandonaram a reunião. E por isso Gaillard insiste que este "é um caso complexo que exige ser analisado com todo o cuidado pelos juristas. Depois de ser excluído da próxima edição da Liga dos Campeões, devido à condenação pela Comissão Disciplinar da Liga por dois atos de tentativa de corrupção, pena que não mereceu recurso dos 'dragões', o FC Porto foi readmitido na prova porque a UEFA considerou que o processo ainda não estava encerrado na justiça desportiva portuguesa, por correr um recurso de Pinto da Costa. Por temer que o caso não ficasse resolvido antes do sorteio da 3ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões, marcado para 1 de Agosto, a UEFA readmitiu o FC Porto, em 16 de junho, mas avisou que o caso poderia ser reaberto para a temporada 2009/2010. Dez dias depois, o presidente da UEFA, Michel Platini, manifestou insatisfação pela readmissão do FC Porto, reiterando que o organismo europeu lutaria "até à morte" contra a corrupção no futebol. William Gaillard assegurou ainda que Platini não vai tecer mais qualquer comentário sobre o FC Porto até que o processo seja reapreciado pelos "órgãos competentes da UEFA".

Redação Sport Marketing