4 de jul de 2008

Robert Scheidt será o porta-bandeira

O bicampeão olímpico Robert Scheidt será o porta-bandeira da Delegação Brasileira na Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos Beijing 2008, marcada para o dia 8 de agosto. O anúncio foi feito pelo presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, Carlos Arthur Nuzman quando parte da delegação que disputará os Jogos e o Chefe da Missão Brasileira, Marcus Vinícius Freire foi recepcionada pelo Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio do Planalto, em Brasília. Cerca de 60 atletas de diversas modalidades como vela, tênis de mesa, desportos aquáticos, judô, taekwondo, basquete feminino, ginástica artística, handebol, entre outras, estiveram presentes. Scheidt é o único bicampeão olímpico da delegação brasileira em Beijing. O atleta conquistou as medalhas de ouro da classe Laser nos Jogos Olímpicos de Atlanta 96 e de Atenas 04. Em Sydney 2000, o velejador conquistou a medalha de prata. Na China, Scheidt terá um desafio diferente na raia olímpica porque mudou de classe e agora compete na classe Star, ao lado de Bruno Prada.
“Estou muito emocionado. Essa escolha vai ficar marcada por muito tempo na minha vida. É uma honra muito grande carregar a Bandeira Brasileira na Abertura dos Jogos Olímpicos” - disse Scheidt, logo após saber que seria o porta-bandeira da Delegação Brasileira.” Essa é uma delegação renovada, cheia de novos talentos. Desta forma, me sinto também renovado para a minha quarta participação em Jogos Olímpicos”- completou Scheidt. A Delegação Brasileira que competirá em Beijing já é a maior da história da participação do Brasil em Jogos Olímpicos. Até o momento, o país tem 272 atletas classificados. Ainda há chances de classificação no atletismo e no basquete masculino. O recorde anterior foi dos Jogos Olímpicos de Atenas 04, quando a Delegação Brasileira competiu com 247 atletas. Em Beijing, o Brasil também participará com número de mulheres da Delegação, 127 classificadas até agora. Em Atenas o Brasil competiu com 122 mulheres. Além destes recordes, o Brasil também se classificou para o maior número de modalidades em relação às participações anteriores, 31. O recorde anterior, também de Atenas, era de 28 modalidades.

Redação Sport Marketing