17 de jul de 2008

Ignorância olímpica

Ignorância olímpica, do verbo ignorar, não ter conhecimento sobre. Essa é a única explicação para a notícia veiculada esta semana sobre a retirada os aros olímpicos da logomarca de candidatura olímpica do Brasil para os Jogos de 2016, a fim de evitar uma punição do Comitê Olimpíco Internacional (COI). Para esclarecimento geral, todo Comitê Olímpico Nacional, tem direito a utilizar os aros olímpicos, vide a logomarca do COB, composta pela bandeira brasileira e pelo símbolo máximo do Movimento Olímpico. Em ocasiões especiais, a meta da utilização dos aros deve ser comunicada ao COI, mas a entidade entende que, partindo de um CON - Comitê Olímpico Nacional, a utilização estará sempre dentro das normas estabelecidas pela Carta Olímpica. Portanto, achar que o Brasil estaria utilizando os aros de forma inconsequente, colocando em risco a candidatura do país, é no mínimo, ignorância olímpica e no máximo, falta de consciência da capacidade dos profissionais do COB. Além disso, não é apenas a logomarca do Brasil que mudou após a primeira seleção da candidatura. Chicago, Tóquio e Madrid também incluíram o símbolo mais conhecido do mundo nas logomarcas. O burburinho foi tanto, que o COB precisou dar uma nota oficial, por meio da assessoria de imprensa, esclarecendo que a logomarca Rio 2016 foi aprovada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) e que sempre teve duas versões: uma com os aros olímpicos e outra sem os aros. A marca com os aros olímpicos tem uso destinado a materiais institucionais e eventos oficiais da candidatura. Os três níveis de governo e demais parceiros da candidatura utilizarão nas ações a marca sem os aros olímpicos, já que apenas o COB e os parceiros do COI podem utilizar os aros. O livro Ouro Olímpico - a história do marketing dos aros, descreve em detalhes esse assunto e é uma ótima dica de leitura para a secretária de Turismo, Esporte e Lazer do Estado do Rio, Márcia Lins. Ela teria dito a um jornal paulista que o COI tem sérias restrições contra o uso dos aros olímpicos nas logomarcas das candidaturas. "A gente pode sofrer penalidade por isso. O COI pode até, dependendo da gravidade, nos desclassificar da candidatura" - disse a secretária sem profundo conhecimento de causa. Pior do que dizer, é publicar tamanho absurdo!

Redação Sport Marketing